A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

22/04/2013 06:32

Famílias abrem as portas de casa e aguardam estrangeiros para JMJ

Mariana Lopes
Isabel e Edevaldo se cadastraram para acolher jovens de outros países durante a semana que antecede a Jornada Mundial da Juventude (Foto: Vanderlei Aparecido)Isabel e Edevaldo se cadastraram para acolher jovens de outros países durante a semana que antecede a Jornada Mundial da Juventude (Foto: Vanderlei Aparecido)

Faltam três meses para o Brasil receber o maior evento da Igreja Católica, a Jornada Mundial da Juventude. E desde já, famílias campo-grandenses se organizam para receber estrangeiros que chegam ao País nos dias que antecedem o encontro, a Semana Missionária, e que devem se alojar na Capital.

Veja Mais
Aos 56 anos, Márcia é parceira do filho do tênis de LED ao Pokémon Go
Papai é a estrela, mas Mamãe Noel pode fazer toda diferença no Natal

Cerca de 600 famílias de Campo Grande já estão cadastradas para abrirem as portas de suas casas e acolherem jovens do mundo todo que vêm para a JMJ, que acontece entre os dias 23 e 28 de julho, no Rio de Janeiro. A Semana Missionária acontecerá em várias cidades do Brasil, de 16 e 21 de julho, e abrirá a programação da jornada.

Na residência do casal de empresários Isabel Aparecida Silva, 52 anos, e Edevaldo Lima da Silva, 58 anos, está tudo pré-organizado. A casa tem dois quartos e uma suíte, além de uma sala grande e duas varandas, estrutura que dá para acomodar uns 10 estrangeiros, de acordo com a soma dos moradores.

“A gente coloca colchões pela casa, monta umas mesas no quintal, para servir as refeições, e está tudo certo”, explica Isabel. A única preocupação dela é em relação à comida e aos cobertores, que ela não tem a quantidade suficiente para atender os visitantes.

“É um evento muito importante para a nossa igreja, e temos que ajudar de todas as formas. Acho que aqueles que não podem oferecer a casa, podem contribuir com doações de alimentos e emprestando cobertores, já que julho é mês de frio”, sugere Isabel.

Mesmo sem saber quem e quantas pessoas são, o casal está na expectativa de recebê-las. Mas a ansiedade maior é com relação ao idioma. “Já pensou se vier um alemão e um americano?! Vai ser uma confusão, mas sei que no final tudo dá certo”, brinca a empresária, sempre com foco de que o importante é participar deste momento histórico para a Igreja Católica no Brasil.

Padre Márcio (Foto: Vanderlei Aparecido)Padre Márcio (Foto: Vanderlei Aparecido)

Coordenador do Setor Juventude, da Arquidiocese de Campo Grande, padre Márcio Reis explica que cada estrangeiro pode escolher a cidade na qual deseja passar a Semana Missionária, e ainda não há número exato de quantas pessoas ficarão na Capital neste período.

“Mas independente disso, a Semana Missionária acontecerá em nossa cidade”, afirma o padre. Ele explica ainda que será uma semana de missão e evangelização dos jovens, tanto os estrangeiros quanto os de Mato Grosso do Sul. “Vamos ter uma programação com visitas a aldeias indígenas, presídios e casas de famílias”, conta o sacerdote.

Segundo padre Márcio, Campo Grande tem capacidade de acolher 5 mil jovens de outros países. Na programação da Semana Missionária está prevista uma missa de abertura, que deve acontecer no dia 16 de julho, e também uma de envio, que está programada para ser celebrada no dia 21 de julho, na Praça do Papa.




Muito bonito a acao , minha cunhada pode contar conosco estamos , se precisar de uma imterprete estou a disposicao ...grande abraco....
 
dora assis em 27/04/2013 09:41:45
Q Deus nos Ilumine .... Orgulho de ser Católicaa =D
 
Ana Antunes em 22/04/2013 08:24:56
Coloco minha casa a disposição.




NEI SALVIANO
 
nei salviano em 22/04/2013 07:32:40
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.