A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 03 de Dezembro de 2016

21/01/2013 08:00

Festa de igreja é local para a venda de bebida alcoólica? Vale o exemplo?

Elverson Cardoso e Anny Malagolini
Festa lotada no final de semana na São Sebastião. (Foto: João Garrigó)Festa lotada no final de semana na São Sebastião. (Foto: João Garrigó)
Casal diz que bebe cerveja na festa católica porque ambiente familiar é espaço saudável. (Foto: João Garrigó)Casal diz que bebe cerveja na festa católica porque ambiente familiar é espaço saudável. (Foto: João Garrigó)

Até quem não coloca uma gota de bebida na boca entra na discussão quando o assunto fica sério. O que fazer para as pessoas consumirem menos álcool, provocarem menos acidentes, menos encrencas, menos tragédias? 

Veja Mais
Datilografado, pedido de casamento revelou primo apaixonado em 1980
Super-heroi, Pedro precisa de ajuda para continuar salvando a alegria da família

Há cerca de um ano, o arcebispo de Campo Grande, Dom Dimas, resolveu tomar uma posição pública. Assinou um documento oficial pedindo reflexão nas paróquias sobre a venda de bebida alcoólica em festas realizadas nas comunidades católicas, mas a venda continua. 

Parece que o fato de manter uma "Pastoral da Sobriedade" e ter na rotina tantos relatos dramáticos sobre o consumo da tais drogas lícitas fez o Igreja pensar. 

Responsável pelo santuário Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, o padre Dirso Gonçalves diz que a discussão é polêmica e a Igreja Católica fica em um dilema. Precisa promover eventos para se manter e dar continuidade às obras, mas por outro lado, deveria ser exemplo e não incentivar o consumo.

Na avaliação dele, a atitude mais prudente seria entrar em consenso, decisão que depende da Arquidiocese.

Ou todas as paróquias assumem a comercialização e continuam a vender e garantir renda à comunidade ou proíbe-se a venda de vez, alternativa que, para ele, seria mais viável.

“Acho que tem outras opções. A bebida é só uma das coisas que se pode vender em uma festa. Daí entra a criatividade. Ficar dependendo da bebida para ter lucro é muito redutivo. Não é por aí”, avaliou, ao dizer que, na Perpétuo Socorro, nas festas, desde que assumiu a paróquia, são vendidos apenas água e refrigerante.

O problema, completou, é que se a Igreja deixa de vender cerveja, por exemplo, os eventos promovidos correm o risco de não ter o mesmo sucesso. “As pessoas não prestigiam. O pessoal, infelizmente, precisa disso. É quase uma tradição”, disse.

Padre Dirso não acredita que a polêmica prejudique a imagem da Igreja Católica e argumenta que, no senso comum, se for ver o histórico da religião, isso sempre foi claro.

Os próprios fiéis, segundo o padre, comentam o assunto e não vêem com bons olhos a possibilidade de proibição “Entre católicos uma pesquisa esmagadora vai achar que de deve ter. Nas vezes que tocamos no assunto eu percebi uma reação negativa contra o padre. Chamam de hipocrisia, de moralismo barato”, explicou.

 

Solange Oliveira resolveu tomar vinho.(Foto: João Garrigó)Solange Oliveira resolveu tomar vinho.(Foto: João Garrigó)

No final de semana, na Paróquia São Sebastião, a festa em homenagem ao santo teve cerveja e vinho.

Entre as mesas com latinhas abertas e copos cheios, ninguém mais alegre do que deveria, pelo menos no início da noite. "Beber com inteligência e com limite", assim está permitido para a professora Solange Oliveira, de 60 anos, que não negou a origem italiana. Na mesa, duas taças de vinho.

Mesmo com histórico de alcoolismo na família e o drama que tudo isso pode representar, a professora conta que sabe a hora de parar e acredita que o problema está nas pessoas. “Não adianta não vender em festa religiosa, a cada esquina tem um bar, deve haver moderação”.

Em uma mesa, o casal de namorados Reginaldo Fernandes, 26 anos, e Mariana da Silva, de 22, aproveitam a tranquilidade da festa católica para uma cervejinha. “Aqui é um ambiente familiar, a igreja traz essa paz. Não há porque não vender”. 

Padre Marcelo Tenório lembra que a Arquidiocese promoveu uma reunião que durou três dias, envolvendo sacerdotes, fiéis e Pastoral da Sobriedade. Ele conta que foi aconselhado para que em festas ligadas à igreja não houvesse comercialização de bebida alcoólica, mas isso quem iria definir será a própria paróquia.

"Optamos por continuar a vender bebidas alcoólicas". O argumento tem uma comparação estranha: “Há pessoas diabéticas, e por conta disso não iremos vender doces? Não vejo problema, festa é algo saudável e, a bebida também, contando não ultrapassar o limite. São Thomé de Aquino falou 'Bebe, mas evita a alegria'. Deve se beber enquanto há consciência”.

Frequentador da São Sebastão há 25 anos, o comerciante Sidnei Cunha, de 54 anos, participou dos noves dias de festa em homenagem ao santo. “Bebi os nove dias”, diz brincando. Para ele, não há problema em ter bebida em festas ligadas à igreja, por ser um ambiente familiar. “Nunca vi alguém saindo bêbado daqui”, garante.




É muita incoerência. Pregamos o evangelho e incentivamos o uso da bebida alcoólica, visando ao lucro para o sustento paroquial. Onde foi parar o Espírito Santo? Foi extinto (1Ts 5,19)?
É imperioso que se afaste das festas a bebida alcoólica que traz, em seu rastro, violência, dependência alcoólica e sofrimento.
A renovação paroquial passa pela conversão pastoral de nossas ações e promoções, abandonando-se a lógica do mercado que visa ao lucro, e, assumindo a lógica da fé, através dos instrumentos bíblicos de sustentação comunitária, como o dízimo cristão e a oferta que visam a promoção da vida, na gratuidade evangélica, na solidariedade fraterna e na generosidade cristã. Paz e Bem!
Rinaldo Alberton
 
Rinaldo Alberton em 06/06/2013 10:06:35
NÓS CATÓLICOS TEM QUE TER CONSIÊNCIA DO DIZIMO,PORQUE FESTA COM BEBIDAS ALCOOLICA E JOGOS DE BINGOS, OS DIRIGENTES ESTÁ LEVANDO A IGREJA NA CONTRA MÃO DA VERDADE, DA PALAVRA DE DEUS QUE É A BIBLIA.
 
benedito donizete teodoro em 20/04/2013 22:16:13
Sim, dou apoio a todos que estão condenando o uso de bebida alcoólica nos eventos das igrejas. A bebidas alcoólica é o veneno da serpente. O verdadeiro cristão não deve se meter com isso. Deixe esse veneno para aqueles que são apenas religiosos, alisadores de banco, comedores de hóstia. O diabo está matando e destruindo muitos lares através da bebida. A palavra diz:( Não vos embriagueis com vinho mas enchei-vos do espírito). Ser seguidor de Jesus Cristo é uma coisa; ser religioso é outra. É muito melhor ser abstêmio . Além do mais, a bebida alcoólica não faz falta àquele que serve a Deus de verdade.
 
David Martins dos Santos em 11/02/2013 13:45:07
É impressão minha, ou o Padre Wender Vital em vez de citar um trecho da bíblia, citou um tal de Aristóteles, que nem sei se era cristão, para justificar a bebedeira do pessoal?
 
Alan Siberiano em 22/01/2013 10:40:42
Bem disse o Apostolo Paulo: Efésios 5v18 não vos embreagueis com vinho em que há contendas mais enchei vos do Espirito..
 
sonildo viana em 22/01/2013 07:30:48
De acordo com a Bíblia, há maldição sobre quem bebe e quem dá de beber bebidas alcoólicas - Leia Habacuque 2:15.
I - HÁ MALDIÇÃO SOBRE QUEM BEBE:
1. Soberba - Isaías 28:1
2. Escárnio - Prov. 20:1
3. Pobreza, Sonolência - Prov. 23:21
4. Olhos Vermelhos, Pesadelos, Quedas, Dependência, Virtudes Destruídas - Prov. 23:29-35
5. Esquecimento, Distanciamento de Deus - Isaías 5:11
Infeliz é o homem que gasta o seu dinheiro em bebidas... além dele próprio, que se insere num processo de auto-destruição, também a sua família sofrerá as conseqüências.
A bebida leva o homem a perder o pudor, lançando-se à prática de coisas abomináveis, ridículas e imorais.
A bebida tem levado centenas à morte, destruído lares, deixado pessoas aleijadas, provocado brigas e confusões, conduzido à falência. Isto ocorre porque os que fazem uso do álcool estão sob maldição, conforme a Palavra de Deus.
O destino do bêbado é o inferno, conforme diz a Palavra de Deus - I Cor 6:10, a não ser que se arrependa e abandone o vício!

II - HÁ MALDIÇÃO TAMBÉM SOBRE OS QUE DÃO DE BEBER AOS OUTROS - Habacuque 2:15-16 e Gálatas 6:7-8.
Quem vende ou serve bebida alcoólica, seja no bar, clube, na sua própria casa, ou qualquer outro lugar, ou mesmo quem paga uma bebida para alguém, está semeando na carne, e da carne colherá corrupção. E aos olhos de Deus é co-responsável pelos efeitos e conseqüências que a bebida provoca!
III - OUTRAS CONSEQÜÊNCIAS...
- É obra da carne, desagradável a Deus - Gál. 5:21;
- Deus ordena "não" - Efésios 5:18;
- Deus adverte contra o seu uso - Lc 21:34;
- É aviltante - Isaías 28:8;
- Inflama os sentidos - Isaías 5:11;
- Tira o entendimento - Oséias 4:11;
- Conduz à:- pobreza, Pv 21:17; 23:21; contenda, lamentos, tristezas, Pv. 23:29-30; erro, Isaías 28:7; desprezo às obras de Deus, Isaías 5:17; zombaria, Oséias 7:5; vida de orgias, Rm 13:13; condenação, I Cor 6:10.
CONCLUSÃO - Irmão e amigo, em nome de Jesus, abandone a partir de hoje o uso de bebidas alcoólicas. Jogue fora a máscara, e seja você mesmo! Saia desse caminho de erro, engano e pecado, enquanto ainda há tempo! Dirija agora mesmo uma oração a Deus pedindo perdão pelos seus pecados, inclusive o alcoolismo, e você será liberto no nome de Jesus.
 
Pr. Wesley Festa em 22/01/2013 07:29:06
Não concordo com a proibição de bebidas nos eventos, pequenas doses de bebidas deixam as pessoas mais alegres, a festa mais animada...
Aprendi uma coisa, faço churrasco todos os domingos em minha casa, e para não ultrapassar os limites, compro pouca bebida, é a mediana que o Pe. Wender se refere.
Sugestão: Bebidas nestas festas, com horário definido para encerrar vendas, nada de entrar tarde ou madrugada adiante.
 
Carlos Magno em 22/01/2013 06:37:22
Sepulcro caiado! Falsos cristãos! Em vez de se preocuparem em andar com Jesus, ficam justificando seus vícios. Jesus fez o milagre mas nao encheu a cara de cachaça, procurem conhecerem a Jesus e beberao de uma água que sacia qualquer sede.
 
Paulo Prado em 21/01/2013 23:00:01
e pena que pessoas se preocupem tanto com coisas como familias se divertindo num final de semana pior e q todos se fazem de cego e o que varias ( igrejas) fazem uma perfeita lavagem cerebral na cabeça de pessoas pobres fragilizadas onde os mesmo acabam entragando o sustento de suas familias nas maos falsos moralistas e isso ninguen enxerga ........
 
jose nilson gimenez em 21/01/2013 22:38:56
O pessoal esta a fim de tumultuar e não ajudar mesmo quando faz comparações com pastel e bebidas. Sabemos que a bebida causa acidentes envolvendo pessoas que na maioria das vezes nem sabe o que esta acontecendo. Vamos ser coerentes e ANALISAR a situação seriamente. A bebida pode alem dos acidentes provocar alterações e sempre a violencia tbem vem acompanhada. vamos realmente ser coerentes. obrigada pela oportunidade .
 
Maria Marques em 21/01/2013 21:50:41
Evangélicos são todos hipócritas!
 
Elviria Santos Ferreira em 21/01/2013 21:35:27
sou feliz por ser catolica
 
jaqueline barbosa em 21/01/2013 21:21:01
Me impressiona que quando o assunto é religião, o fórum ferve. Agora quando o assunto é de fato importante e afeta a vida dos outros, ninguém fala nada.

Beba quem quiser beber, e quem não quiser que cuide de sua vida e deixe a dos outros em paz.

Faz o que tu queres. Há de ser tudo da lei.
 
Caio Graco Pompeu Sabino de Araujo em 21/01/2013 20:17:42
A grande verdade é que as pessoas não querem deixar de beber, se é certo ou não, não vale a pena discutir. Infelizmente damos um péssimo testemunho cristão, e são poucos os que tomam apenas uma ou duas latinhas.A igreja deveria sim proibir, antes de qualquer coisa devemos dar exemplo de cidadão e cristão.Bebida e igreja não combinam. A pergunta que devemos fazer é: Deus esta se agradando da minha atitude? Estou dando exemplo cristão para o meu filho? Pais bêbados envergonham seus filhos, um triste fim para uma discussão que não cabe concessões. Festa religiosa( com propósito) não tem espaço para bebida.
 
Judson Klein em 21/01/2013 19:42:23
suco de uva Flávio Oliveira ? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk tem que conhecer a palavra mesmo !!
 
Gabriel Pereira de Souza em 21/01/2013 18:39:32
Tem festinhas que só bêbado mesmo para aguentar. Afff.
 
Madalena Arre Pendid em 21/01/2013 18:38:01
Caríssimo Flávio, não era suco de uva, o vinho sempre foi vinho, bebida fermentada, em Bodas de Caná era fermentada, pois deixava bêbados os participantes....como o mestre sala disse...

Cito Aristóteles "Portanto, a virtude é uma espécie de mediania, porque, pelo menos, tende constantemente para o meio. Ademais, errar é possível de muitos modos (...), ao passo que agir retamente só é possível de um modo (...). Por essas razões, portanto, o excesso e a falta são próprios do vício, enquanto a mediania é própria da virtude: somos bons apenas de um modo, maus de variadas maneiras."

Ética do justo meio, beber socialmente não faz mal. Excessos são maléficos... até água demais faz mal. Pense nisso...
 
Pe. Wender Vital em 21/01/2013 17:50:34
Eu concordo que tudo tem que ter moderação...mas pensem na função de uma igreja...imagina eu levando meu marido para converter o seu coração para Cristo, um marido alcoolatra e violento, aí eu preciso da ajuda da igreja para minha familia, e na primeira confraternização que tenho com meus irmãos de fé...o pior que eu podia esperar..a festa tem cerveja, lá vou eu passar vergonha com o meu marido e ficar apreensiva o tempo todo pela situação. Gente...igreja é para ajudar as familias, e não para destrui-las, sei que não é responsavel pelo tanto que cada um bebe, mas é responsavel pelo bem estar das familias, aliás estamos na igreja para isso, para proteção. Se uma pessoa não vai em uma festa da igreja pq não tem bebida, reflita ela pq está procurando a igreja.
 
Claudia Morales em 21/01/2013 17:34:58
Não concordo com o apoio a venda de bebida que as igrejas catolicas estão disponibilizando em suas festas a seus fiéis, quando Jesus transformou agua em vinho não foi vinho fermentado e sim suco de uva que não contem alcool, mais as pessoas se confundem, pois não conhecem a palavra, acho triste as igrejas catolicas partirem para este tipo de comercio para arrecadarem dinheiro para suas obras. Bastasse os fieis ter o senso e não ficar depositando apenas um ou dois reais e sim contribuir com 10% do seu salario o que e justo devolver seus dizimos
 
Flávio Oliveira em 21/01/2013 17:32:20
O primeiro milagre de Cristo foi realizado durante um casamento. Ele transformou água em vinho para satisfazer os convidados daquela festa. Por que então proibir a venda de bebidas alcoólicas nas festas religiosas? Desde que feita com moderação não vejo problema algum. Devemos ser razoáveis. O consumo de bebidas alcoólicas é socialmente tolerado, tando que são cobrados impostos, e altíssimos, na comercialização desses produtos.
 
JOSIBERTO MARTINS DE LIMA em 21/01/2013 16:46:39
Que tristeza! Nem na Igreja se tem exemplo de integridade! Além de não se preocuparem com a saúde física da comunidade, ainda estão estimulando o descumprimento das leis do país, pois a maioria das pessoas, após as "festinhas", saem dirigindo.
A Lei Seca, além dos bares, restaurantes, festas, também tem que fiscalizar os eventos da Igreja Católica.

Decepcionante!
 
Anderson Nascimento em 21/01/2013 16:45:54
me entristeço quando leio reportagens onde ferem minha igreja..fere em relação ao comércio que virou a casa de Deus,e infelizmente virou mesmo...mas a culpa é do próprio católico que se devolvesse seu dizimo corretamente;não esmolas; a igreja não precisaria fazer festas e bingos e transformar a casa de Deus em comércio, acho errado bebida alcoólica vendida na igreja sim, já vi muitos casos de pessoas saírem das bebadas e ainda pegarem seus carros e voltarem pra casa, já vi discussões de familias em plena festa mesmo, por causa da bebida...não sou contra a bebida e sim ao exagero, e nesses casos fica complicado saber quem pode e quem não pode beber, e ainda temos os casos de muitos sacerdotes passarem dos limites e nos fazer passar vergonha, é lamentavel mesmo
 
Rose Farfan em 21/01/2013 15:56:53
Um dos destino do dízimo não é o de manter o templo. Incluindo salário, materiais, água, luz, telefone e também melhorias na edificação?

O que nós católicos devemos é melhorar nossa consciência sobre o dízimo.

A festa deve ser encarada unicamente como uma confraternização entre os irmão em Cristo.
 
Gelson Magalhães do Nascimento em 21/01/2013 15:46:15
concordo com dona derci rezende.....falou bonito e corretamente ....mas a igreja tem que dar o exemplo.....a igreja é o espelho !!!!
 
ROGERIO CARVALHO em 21/01/2013 15:28:14
A palavra de DEUS é clara e objetiva para quem tem o habito de ler as escrituras e nao aquele que tem uma biblia e esta aberta no salmo 91 em cima da mesa ...mas e vc perguntar o que tem lá ...nao sabe responder .....lá diz que vc pode todas as coisas ...DEUS nos deu o livre arbitrio ´para fazermos o que quiser...mas nem tudo nos convem ......cada ato ....cada passo....cada atitude ...tem sua consequencia......ou seja voce é livre ....mas escolhe por onde quer andar e o que quer fazer .....ai vai de cada um ....eu particularmente acho inaceitavel isso ....mas peca quem quer ....e ciente !!!!!
 
ROGERIO CARVALHO em 21/01/2013 15:25:49
Cada um deve ser responsável pelos seus atos . As igrejas podem até orientar , mas não tem competência para proibir nada.
 
sebastiao dos reis em 21/01/2013 14:12:46
Em primeiro lugar a Casa de Deus não é lugar de comércio, se a Igreja Católica é contra o uso de preservativos e seus padres e afins não podem consumir bebida alcoólica, porque eles vendem álcool para os seguidores? Sem dizer que já vi festas católicas em que colocam até funk para o pessoal dançar, juntando-se assim na igreja, venda, alcoolismo e danças e músicas inconvenientes para o lugar.
 
Flavio Gazzaneo em 21/01/2013 14:01:43
É um pensamento muito retrógrado esse de proibição de bebidas alcoólicas em festas religiosas.A bebida alcoólica vem dos primórdios da humanidade e, dependendo do tipo e da dosagem, pode ser até benéfica à saúde.A bebida alcoólica foi feita para o homem (espécie).O problema é que ela não pode dominar o homem, e sim o homem deve dominá-la. Pensem: se formos radicalizar nas pribições ... haja renúncia! Pois como já dito por outros leitores, tudo em excesso causa malefícios.Querem saber: adoro um alcóol e desde minha adolescência consumo variadas bebidas e nunca tive problemas de descontrole. É questão de educação(e consciência)que se adquire, primordialmente, no seio familiar. Ingerir bebida alcoólica é um dos prazeres da vida.Estive na festa da Paróquia S. Sebastião.Clima sadio e pacífico.
 
Derci Rezende em 21/01/2013 13:26:31
Meu Deus mas o padre e a paróquia não tem nada a ver com este assunto, imagina o Papa sem tomar seu vinho, imagine na hora da comunhão o padre não poder beber o sangue de Jesus, se a lei fosse mudada e o consumo de alcool fosse proibido, tudo bem, mas se a igreja resolver fazer festa e não vender alcool a paróquia vai a falência, pensa numa festa junina sem quentão, não existe, deixa o povo beber, se o governo não proibe só é mais trabalho pra policia prender os bebuns de plantão.
 
MAXIMILIANO RODRIGO ANTONIO NAHAS em 21/01/2013 13:21:07
TUDO ME É LICITO MAS NEM TUDO ME CONVÉM, ISSO ACONTECEU COM NOÉ PLANTOU A VINHA E COLHEU E SE EMBREAGOU DELA, E FICOU NU E UM DE DEUS FILHOS VIU E ELE AMALDIÇOOU SEU FILHO SENDO QUE A CULPA INICIAL FOI DELE QUE FICOU BEBADO E FICOU NU SEM NOÇÃO, BEBAM MESMO E PERCAM O CONTROLE DA SITUAÇÃO, VOCÊS PODEM TUDO MAS DEUS OS TRARÁ A JUÍZO, DE DEUS NAO SE ZOMBA AQUILO QUE O HOMEM PLANTAR ISSO COLHERÁ, QUEM PLANTAR BEBEDICE ENTAO VÃO COLHER ACIDENTES, MORTES, VERGONHAS, E OUTRAS COISAS RUINS. É BIBLIA PALAVRA DO DEUS ALTISSIMO
 
LEANDRO TENÓRIO CAVALCANTE em 21/01/2013 13:15:56
O PESSOAL DA IGREJA SAO SEBASTAO GOSTO DE TOMAR UM CERVEJINHA, E DAÍ , O SANTO NAO TEM CULPA
 
denisval pereira em 21/01/2013 12:56:00
Desde sempre houve festas, bebidas, direção e violência. Se esta última sobe às alturas em nossos dias, não seria pela liberalidade da bebida em qualquer dos ambientes que sempre houve.Talvez a formação de caráter moderna é que esteja em baixa. Quanto à reflexão solicitada pelo Bispo, faz sentido, todavia a discussão aí está em outra esfera, a doutrinária.
 
Zenobio ferrante Bastos em 21/01/2013 12:32:22
Pedrão, a passagem dos vendilhões não se aplica a uma quermesse paroquial, ou mesmo a uma banca de venda de materiais religiosos. Os vendilhões iam muito além do comércio: eram cambistas, trocavam as moedas do Império (malditas porque à época o Imperador romano era objeto de idolatria) por "artigos lícitos". Era a famosa hipocrisia farisaica, que adulterou a lei de Moisés até a ponto de admitir a moeda idólatra, desde que não fosse dentro do templo. Por isso que Cristo tratou os vendilhões a chicotadas.
Os católicos devem, sim, contribuir com o dízimo nas Paróquias. Mas isso não faz ilícitas as quermesses, que, em certa medida, são uma ocasião a mais para o fiel observar o 5º Mandamento da Igreja (ajudar a Igreja em suas necessidades), isso sem falar na ocasião de convívio fraterno.
 
Marcel Ozuna em 21/01/2013 12:06:57
Muitos comentários sobre este artigo usam a Bíblia como referência tanto a favor como contra, mas Jesus Cristo deu o maior exemplo; EXPULSOU OS VENDILHÕES DO TEMPLO, as paròquias e as igrejas não são lugar de comércio, os fiéis deveriam ser FIÉIS NOS DIZIMOS E OFERTAS e não seriam necessários festas e outros meios para manter a comunidade, os ministros e a pregação do evangelho.
 
pedrao mattos em 21/01/2013 11:27:59
https://www.facebook.com/photo.php?fbid=354859577954820&set=a.314430058664439.76197.100002923432897&type=1&relevant_count=1&ref=nf


ta ai nosso trabalho religioso
 
Nathalia amaral em 21/01/2013 11:21:36
Quanto falso moralismo!
Queria saber quantos dos que disseram ser errado são abstêmios. Em nenhum lugar está escrito "não beberás álcool", percebe-se claramente nos fragmentos postados abaixo que o EXCESSO é proibido. Se o álcool fosse "do demônio" não teria sido transformar água em vinho o primeiro milagre de Jesus. ATÉ ÁGUA em excesso faz mal.
Não coloquem a culpa na bebida para a violência, pois como dizem "o álcool entra e a verdade sai".
Continuando essa "onda" do politicamente correto daqui uns dias as festas serão com peito de frango grelhado com arroz integral e suco sem açúcar.
 
Alexandre Silva em 21/01/2013 11:12:27
Olha, nunca vi ninguém brigar ou provocar graves acidentes por consumo de doces, pastel ou qualquer outra fritura. Alcoolismo é um assunto sério, e, silenciosamente tem acabado com a alegria de muitas famílias. Sou um ex-alcoólatra e sei que as pessoas tem dificuldades em discutir o assunto. Ninguém, mais ninguém mesmo admite que bebeu além da conta. Sem contar o mal exemplo para nossas crianças e jovens e o perigo no trânsito. E a cerca de 10 anos consigo me divertir nas festas sem colocar uma gota sequer de álcool na boca. Festas sem bebidas, as famílias do brasil agradecem...
 
JULIO CESAR NANTES em 21/01/2013 11:04:44
ao meu ponto de vista o problema maior não é a bebida, e sim, quem bebe.
há pessoas que mesmo sóbrias, dirigem feito loucos no trânsito, grande maioria são os motociclistas, essas pessoas se acham os tais, não respeitam ninguem, ae quando bebem dirigem da mesma forma maluca, enquanto houver pessoas andando a 80/90km/h em pistas onde as placas indicam 50km/h, vai continuar acontecendo acidentes, estejam os condutores sóbrios ou não... isso é um fato
 
DOUGLAS CESAR NE em 21/01/2013 11:01:32
poxa falam dos catolicos mais e as outras religioes q podem ate nao ter bebidas alcolicas mais tem muito mais putaria e muita mais pedicao de dinheiro q deixa a gente horrorizado po criticar é bom vir ver de perto nosso trabalho ninguem quer, VCS Q CRITICAM VENHAM FAZER PARTE DA COMUNIDADE VERAO DE PERTO O QTO É SERIO;;;
 
Nathalia amaral em 21/01/2013 10:55:10
" 'Optamos por continuar a vender bebidas alcoólicas'. O argumento tem uma comparação estranha: 'Há pessoas diabéticas, e por conta disso não iremos vender doces?(...)' "
Comparação estranha, só se for na óptica de gente de visão curta. Muito simples: o padre comparou duas doenças - diabetes e alcoolismo - para explicar em que caso o consumo de bebidas é absolutamente ilícito.
Se a pessoa não é doente de alcoolismo, basta moderar a dose.
Fora isso, condenar o consumo de álcool é puritanismo tão pecaminoso quanto a bebedeira.
Comparar álcool à maconha também foge à proporção. Maconha afeta o uso das faculdades mentais em qualquer dose, o que não é o caso de uma bebida, que só no exagero altera a razão das pessoas.
Quanto ao "ensino bíblico", já citaram aqui o exemplo das bodas de Caná.
 
Marcel Ozuna em 21/01/2013 10:53:38
sou frequentadora da Paraquia SAO SEBASTIAO a 27 anos e desde de entao existem bebidas alcolicas e nunca houve casos de pessoas alcolozadas e dando bafao... sempre com moderacao e respeito... pessoas q dizem q é errado vender.. mas é melhor vender na igreja q em bar, um local familiar é mt melhor... chega de moralismo ....... olha temos uma parte religiosa na nossa festa linda com pessoas dedicadas e trabalham com amor, e podem ter certeza mostramos as criancas o certo e o errado... quem nao sabe venha participar de um evento nosso e teras comprovaçao do que falo... tenho uma filha de 5 anos bebo minha cervejinha com moderaçao e ensino corretament minha filha sobre alcolismo.. ediucacao começa em casa si tem um monte d gente ai bebendo ate encher a cara nao tem educacao familiar...
 
Nathalia amaral em 21/01/2013 10:50:53
gente para com demagogia,todo mundo bebe em festas,isso ai deve ser coisa de pessoas do contra veja só jesus transformava agua em vinho,mas nao em suco.....até ele mesmo gostava de uma festa regada a uma bebida......amem!
 
roni braga em 21/01/2013 10:43:31
É incrível como as pessoas gostam culpar o "ALCOOL" pelos seus atos.
Daqui a pouco vão proibir de fazer churrasco em casa porque tem gente que se queima, ou proibir facas em restaurante porque tem gente que se corta... a responsabilidade é individual independente do que se usa!
 
Gilberto Gonçalves em 21/01/2013 10:40:57
O grande problema é quem bebe não admite que a bebida faz mal mesmo em pequena quantidade e da mal exemplo as crianças e jovens que frequentam estas festas "religiosas".
 
Romildo Sanguina em 21/01/2013 10:24:19
Indo por essa lógica, tem que proibir o Pastel também! Pois gordura e colesterol causam o maior número de mortes no país por ano!
 
Francisco Oliveira em 21/01/2013 10:22:09
Excelente essa matéria!
Acredito e, certamente, todo cristão acredita que "os acidentes, encrencas e tragédias" estão relacionados a falta de sobriedade que já nos foi alertada por São Pedro:
"Sede sóbrios, vigiai, porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar". 1 Pedro 5:08
 
Caroline Maldonado em 21/01/2013 10:13:59
De fato, talvez se trate de "moralismo barato", mas não por parte do Padre, e sim por parte do "fiel" que pensa assim, pois se ele já não vive uma vida buscando ser como Cristo, por que vai deixar de beber na festa da igreja? Caso buscasse Cristo todos os dias, repensaria o consumo de álcool, já que isso serve apenas para "relaxar", "curtir", "distrair", coisas bem diferentes das ideias de Cristo né??? Aquelas ideias como... 'Combati o bom combate, guardei a fé", "o caminho é estreito a porta é também", 'renuncie-se a si mesmo, faça a caridade", "Sede sóbrios, vigiai, porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar".... e por aí vai. Combina com cervejinha todo fim de semana? Será? Mas isso é algo direcionado aos que acreditam em Deus!
 
Caroline Maldonado em 21/01/2013 10:10:27
Beber e matar (acidente, destruição da familia, destruição dos jovens) até o governo tem mais juízo que igreja católica?
 
ANTONIO MAIA em 21/01/2013 10:09:35
Senhores, sou Católico e participo ativamente das atividades da minha Paróquia de Nossa Senhora da Guia, em Patos - PB. A cerca de 5 anos resolvemos aboliar bebidas alcoólicas da Festa de Nossa Senhora da Guia (Catedral)! A Festa sobreviveu e muito bem!!! Bebidas deixam muito pouco "lucro" ou "retorno" e trazem muitos problemas. O prrincipal deles é que ao final da noites ficam sempre umas 5 ou 6 mesas com pessoas já embriagadas e querendo beber mais até altas horas!!! Nossas festas tem terminado mais cedo, sem confusões e com um retorno mais significativo para a Diocese!
 
CARLOS Roberto de LIMA em 21/01/2013 10:09:15
É muita cara-de-pau dizer que nunca viu ninguém sair bêbado, só se tivesse um controle rigoroso de meia latinha por pessoa e olhe lá. Mas o que as pessoas precisam entender que em festa de igreja não se pode ter os mesmos hábitos que temos num buteco. Se continuar com essas comparações IDIOTAS, como as que vimos na reportagem onde se comparou o diabético com o alcoolizado , qualquer dia teremos pessoas de sunga, biquine e maiô na igreja. Penso que cada coisa no seu lugar. As festas nas Igrejas são para a comunhão e agradecimento a Deus.
 
juliana bertelli em 21/01/2013 10:07:26
SANTO PAPA, BISPOS ARCEBISPOS PADRES E FREIRAS, OS SENHORES NÃO SÃO A LEI DE DEUS A ¨BÍBLIA¨, MAS SÃO S PROFESSORES QUE TEM A OBRIGAÇÃO DE PASSAR PARA AS OVELHAS O MELHOR ALIMENTO, A VERDADE, E A VERDADE, DIZ SOBRE OS VÍCIOS, SÃO ABOMINÁVEIS AO SENHOR, E QUEM DEVE ORIENTAR SÃO OS PROFESSORES, PROFETAS A PALAVRA E NÃO MUDÁ-LA, DEUS VAIS COBRAR CARO DE VOCÊS LÁ NO CÉU, VOCÊS REPRESENTAM NOSSOS PAIS, E QUAL O PAI QUE O FILHO PEDE O PÃO E ELE OFERECE PEDRA, CUIDADO, AS AUTORIDADES NÃO DEVEM CONSULTAR OVELHAS E SIM DEUS, E A PALAVRA DIZ, QUE NÃO SE PODE MUDAR UM ACENTO DELA, CONFIEM EM DEUS E NÃO NO HOMEM, QUEM TOMAR DIREÇÃO FORA DA PALAVRA, SERÁ QUEIMADO, NO FOGO E ENXOFRE, PRINCIPALMENTE QUE ENTENDE E FAZ DE CONTA QUE NÃO SABE, POIS DEUS ESTA DE OLHO, NO SEU PENSAMENTO, E EM TODOS LUGARES.
 
PEDRO ANTUNES BRAGA em 21/01/2013 09:58:08
Claro que sim, pois se até Jesus transformou água em vinho, que mal tem em uma cervejinha.
 
Caio Souza em 21/01/2013 09:52:24
Pessoalmente, fui criado no ambiente onde todas as festas de igrejas lucravam com a venda de bebidas, estas festas são tradicionais, se não tiver a cerveja a que tomo vou comprar na primeira conveniência e levar, exemplo em almoço de domingo, vou colaborar participar ,estou pagando pelo almoço, mas a bebida ,refrigerante e por conta do colaborador.,normal sempre no limite e com responsabilidade., sem contar que tenho varios amigos fieis de diversas paroquias e padres que (devoram as latinhas comigo) sem falar nos churrasqueiros, então........só não concordo com os valores da venda geralmente 3 cervejas por R$ 10,00 sou contra a proibição da venda,.

 
Paulo Duraes em 21/01/2013 09:52:04
Se um dos milagres de Jesus foi transformar água em vinho para resolver um problema no casamento do primo por ter acabado o vinho...
E aí? hipocrisia sim, o problema não está nas festas com bebidas alcoólicas... O buraco é mais embaixo....
 
Maria Souza em 21/01/2013 09:51:25
Em uma das passagens bíblicas mais épicas (Bodas de Caná), Jesus realizou a a transmutação de água em vinho, que havia acabado naquela ocasião, para que voltasse a reinar a alegria dos noivos e dos convidados na festa. E não foi pouca a quantidade. Estamos falando de seis talhas com 100 litros cada. Talvez se Jesus vivesse em outra época ou em uma região mais tropical multiplicasse cerveja. Em Israel, naquela tempo, o vinho era a bebida utilizada em momentos especiais. Jesus assim comprova, bebendo e o utilizando na Eucaristia. Bebida alcoólica só incita ou aflora sentimentos que já pertencem ao indíviduo. Ela não é a fonte da maldade. Ademais, o excesso de QUALQUER COISA, faz mal. E que fique claro: volante e menor de idade nunca combinarão com álcool.
 
Glauber S Rodrigues Martelli em 21/01/2013 09:48:39
NESTE PONTO QUE GOSTARIA DE TER CHEGADO, DEUS ESPERA QUE A CASA DELE, O ALTAR DELE, ATRAVÉS DE SEUS PROFETAS DÊEM EXCELENTES EXEMPLOS, QUE PROPAGUEM A SUA PALAVRA, BÍBLIA, LEI DE DEUS, NÃO A DOS HOMENS, QUE PELA DESOBEDIÊNCIA A PALAVRA, ESTÁ A SOCIEDADE HUMANA NAS MÃOS DE SATANÁS, ATRAVÉS DOS VÍCIOS, E O MAIS ESTRAGANTE NO MOMENTO, PORTAL PARA OS OUTROS, É A BEBIDA ALCOÓLICA, QUE ESPERO QUE A IGREJA CATÓLICA, AJUDE AS EVANGÉLICAS, COMBATEREM EM TODOS OS SENTIDOS, SEJA EM CASA OU EM QUALQUER LUGAR, SÓ FALTA A CATÓLICA, PARA PASSAR A VERDADE, E O POVO ABANDONAREM A MALDITA BEBIDA ALCOÓLICA, É DEMÔNIO, RESPONSÁVEL PELA DESGRAÇA SOCIAL, E FAMILIAR, QUE DEUS ABENÇÕE.
 
PEDRO ANTUNES BRAGA em 21/01/2013 09:47:29
Se até Jesus não agradou a todos quanto mais nós pobres mortais, porém o bom senso é o principal motivo a ser questionado, cada um tem sua responsabilidade em beber ou não, somos livres e com opniões próprias, mas também temos de responder pelos atos pós bebidas ( BRIGAS, ACIDENTES, DOENÇAS, ETC...), a igreja católica como em vários assuntos apenas concientiza seus fiéis, não os obrigando a fazer ou não fazer isto, em se tratando de bebida lembramos que o primeiro milagre de Jesus se fez em uma festa , concedendo bebida em abundância para seus amigos. SEJAMOS PRUDENTES EM NOSSAS PALAVRAS E NOSSOS ATOS.
 
claudecir bravo em 21/01/2013 09:36:59
a igreja ja é vítima de tantas acusações por parte dos falsos moralistas, só falta agora essa, proibir quando na realidade a conciência é de quem faz uso da bebida. Esqueceram que o primeiro milagre de Jesus foi transformar água em vinho? kkkk, e aí o que dizer agora. feliz de quem é católico.
 
luiz rodrigues em 21/01/2013 09:33:51
Sempre fui contra isso, e o engraçado, ou triste, que uma Igreja católica do interior que era responsável pelo Grupo do AA (que acabou) vende muita bebida nas suas Festas de Maio e nos churrascos no domingo... Era uma contradição... mas agora acabou, a Igreja ficou com a bebida...
 
Silvio Cesar em 21/01/2013 09:33:24
Concordo com a proibição, faço parte do administrativo da comunidade aqui nas moreninhas...
Dom Dimas só pois em leis, pois essa proibição já ocorria desde o tempo de Dom Vitorio, pelo menos aqui na Nossa Paroquia das Moreninhas já colocamos em pratica faz mais de 5 anos e foi ótima essa experiencia, e não da lucro nenhum com a venda de bebidas...e Oferecer só para não chatia alguns...
a igreja prega não aos vicíos , não que não se possa beber, e sim tomar com inteligencia e quem é de igreja e cristão tem esta consciência, pois a cerveja só traz a destruição de lares....atenção Parocos façam estas experiencia e acostume os seus paroquianos sem bebidas..se quiserem podem vir aqui em nossos eventos e faça a comparação...
abraços fraternais Eder - Com. Mãe da Misericordia - Santa Felicidade..
 
eder rodrigo em 21/01/2013 09:32:05
E o fim do mundo mesmo,bebidas alcoolicas nas igrejas,nao tem nem o q falar...
 
monica souza em 21/01/2013 09:30:08
O que deve sustentar o funcionamento das Igrejas é o dízimo e a oferta dos fiéis. O único problema, é que para uma Igreja sobreviver de dízimo e ofertas, exige santidade, a começar pelo Sacerdote. Aí fica mais fácil usar outras válvulas de escape. Santidade custa caro e nem todos estão dispostos a pagar o preço.
 
Mauro Pereira em 21/01/2013 09:29:51
Não se embriaguem com vinho, que leva à libertinagem, mas deixem-se encher pelo Espírito,
Efésios 5:18
 
henrique lopes em 21/01/2013 09:27:55
o problema é essa falta de posicionamento...hoje em dia a igreja é direcionada pelo POVO e não por DEUS. Os padres tem mais temor de perder os fiéis do que perder a salvação.
 
FREDERICO FILHO em 21/01/2013 09:26:45
O vinho é uma bebida tradicionalmente cristã. Por outro lado, quando em excesso pode causar tantos males quanto qualquer outra bebida. Concordo com a Solange Oliveira, o problema está em algumas pessoas que não sabem ou não querem respeitar os limites e se comportar de acordo com o ambiente em que estão. Penso que até o ponto que a bebida é elemento de confraternização e alegria, está tudo bem, mas se alguma paróquia está tendo problemas com bebida, deve proibir. Não se pode generalizar por causa de meia duzia de pessoas que não sabem beber. Liberdade com responsabilidade, acho que é por aí.
 
Paulo Lemos em 21/01/2013 09:04:04
Não acho que se vender produtos que possam afetar o raciocinio das pessoas devam ser proibidos em festas, católicas ou não. Se assim fosse, deveriam proibir cigarro, porque causa câncer, refrigerante porque incita à gordura e outros produtos mais. O que faz um sujeito beber desmedido não é a venda do produto. Quem tem o vicio, ja vem calibrado de casa. Aí entra o livre arbítrio e, se beber e dirigir, deverá ser responsável por seus atos. A proibição não seria o elemento mais importante para fazer os beberrões de plantão se tornarem abstêmios.
 
Jéssica Santos em 21/01/2013 08:53:01
Sou Católica Apostólica Romana, fui criada na Igreja, procuro seguir os ensinamentos e pensar nas propostas enviadas pelos nossos dirigentes. Quero externar meu apoio ao Bispo Dom Dimas, não se faz alegria somente com o apoio de bebidas alcoolicas,devemos ser alegres por natureza, gostar de brincar, dançar, sorrir, ser agradável, passar momentos impares SEM ALCOOL.As pessoas, nem todas é claro, relacionam alegria e festa sempre regadas a comidas e bebidas, isso pode causar problemas, e se os católicos querem e devem contribuir para a diminuição de tragédias derivadas da ingestão de bebidas alcóolicas deve ser tomadas atitudes VERDADEIRAS como a de não vender bebidas em eventos. Outra coisa vamos, arrecadar dinheiro para a paróquia de outras formas. Usem a acriatividade amigos.
 
Maria Marques em 21/01/2013 08:50:18
Quando o assunto é bebedeira isso é muito raro nas igrejas, seja qual for a denominação, porque pessoas das igrejas são pessoas que(geralmente) moram próximas às suas comunidades, não passam a noite bebendo, o ambiente é familiar, a bebida é uma questão cultural e esses eventos começam por volta das 20h30min(após a missa) e as 23h muita gente já foi pra casa.
Não podemos tão ser radicais para não corremos o risco de termos que tirar até o vinho das missas. Eu apoio a Lei Seca e a "Lei de Deus"(administrada pelos homens) não pode estar cima da lei dos homens, bebendo muito ou pouco muitas dessas pessoas vão dirigir após a "quermesse". Então quem for beber pouco ou muito arrume um motorista da vez e pronto.
 
kelly lucio em 21/01/2013 08:50:15
Tem um velho ditado que diz assim: Vale mais um Bom Exemplo do que Dez belos sermões e mil conselhos. Os diregentes das igrejas deveriam dar o exemplo. Bebida, também, é droga, ela apenas é licíta.
 
Douglas Machado em 21/01/2013 08:49:12
Todos devem ter direito á uma posição em qualquer seguimento,inclusive nas "Igrejas",se estes eventos são abertos ao publico em geral,é cabivel que haja venda de todo tipo de produtos,pois o objetivo é arrecadar alguma coisa não é mesmo?Então faça e que então o convidado e ou participante apenas "retire"os pratos para levar pra casa,como muitos locais fazem por ai,acabaria com esta polemica,ou façam uma festa somente para os párocos,que dai pela lógica,"ninguém bebe".
 
ricardo terra lemos em 21/01/2013 08:38:54
Penso que valeria a pena encabeçar esta idéia. Creio que não por isso a Igreja será diminuída, quem sabe que com este gesto poderá ter um novo vigor. Quem sabe alguns beberões saiam e se multipliquem os que acham salutar a experiência. Concordo que deveria partir do Arcebispo, Bispos e Presbíteros com adesão dos leigos.
 
nadir giacomini em 21/01/2013 08:29:55
Lamentavelmente o comentário na manchefe sobre venda de bebida alcoolica na festas da igreja. Isso não constitui nenhum crime, tampouco, afeta a crença pela religião. O pior são inumeras igrejas mentindo descaradamente, que para alcançar a graça de Deus, deve dar tudo que possui, ou seja, vendendo as graças de Deus, inclusive, tem até maquinas de passar cartão nas igrejas, isso sim, estão mentindo e surrupiando o povo e se tornando os proprietários das igrejas MILIONÁRIOS, conforme foi mostrado na UOL na semana passada. É um verdadeiro descalabro. O povo é surrupiado de todas as formas, altos impostos e nada em troca. Agora vem as Igrejas tambem metendo a mão nos bolsos do povo, com promessas de alcançar a graças de Deus. Para mim isso é 171 do codigo de penal, ou estou errado!!!
 
pedro alves em 21/01/2013 08:25:17
"BEBIBA É COISA SAUDÁVEL SR° PADRE MARCELO TENÓRIO??
É UMA PENA QUE UM SACERDOTE DE DEUS TENHA PENSAMENTOS E ATITUDES FORA DO CONTEXTO BÍLICO.....
PREGANDO O EVANGELHO DISTORCIDO PARA OS SEUS FIÉS?
É TRISTE VER E OUVIR ISSO....NA VERDADE TUDO SE CARACTERIZA PELA ARRECADAÇÃO DE FUNDOS...QUANTO MAIS DINHEIRO ARRECADAR MELHOR!!
DAQUI A POUCO VAI LIBERAR COISAS PIORES TAMBÉM NÉ!
ESTUDE UM POUCO MAIS A PALAVRA DE DEUS...E VERÁS AONDE ESTARAS ERRANDO....FICA A DICA...
 
igor lima em 21/01/2013 08:25:02
Algumas observações importantes sobre o assunto: 1) A igreja deve se manter com os dízimos e ofertas dos cristãos; 2) A Bíblia recomenda o não consumo de bebidas a ponto de embriagar-se; "...não vos embriagueis com vinho, no qual há dissolução, mas enchei-vos do Espírito, Ef. 5:18;" "Agora, pois, guarda-te, não bebas vinho ou bebida forte, nem comas coisa imunda;Juízes 13:4" O vinho é escarnecedor, e a bebida forte, alvoroçadora; todo aquele que por eles é vencido não é sábio.Provérbios 20:1" "Mas também estes cambaleiam por causa do vinho e não podem ter-se em pé por causa da bebida forte; o sacerdote e o profeta cambaleiam por causa da bebida forte, são vencidos pelo vinho, não podem ter-se em pé por causa da bebida forte; erram na visão, tropeçam no juízo.Isaías 28:7" vale a PALAVRA
 
Ronaldo Pissurno em 21/01/2013 08:21:21
Isso é costume das igrejas católicas que além de venderem bebidas alcoolicas fazem de suas igrejas um verdadeiro cassino, através dos bingos. Esse tipo de arrecadação para obras do Senhor , ele não aceita, fiquem cientes disso. O correto é que os fiéis dêem o dízimo e as ofertas, que é bíblico.
 
Nice Soares em 21/01/2013 08:18:47
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.