A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

26/01/2014 08:18

Figura curiosa de branco e com "máscara" distribui mensagens em troca de moedas

Paula Maciulevicius
Wesley Souza da Silva passa três dias da semana a dar mensagens aos motoristas em troca de moedas. O valor pode ser qualquer um. (Fotos: Marcos Ermínio)Wesley Souza da Silva passa três dias da semana a dar mensagens aos motoristas em troca de moedas. O valor pode ser qualquer um. (Fotos: Marcos Ermínio)

Tem uma semana que a avenida Afonso Pena ganhou uma figura veste branco, pinta o rosto de prata e faz movimentos com os braços de uma boneca. Aos 20 anos, Wesley Souza da Silva passa três dias da semana a dar mensagens aos motoristas em troca de moedas. O valor? Pode ser qualquer um.

Veja Mais
A pé, Tulia faz percurso de 10 km até biblioteca onde aprendeu a ser feliz
Passada "nuvem negra" que trouxe o câncer, rosa tatuada no braço une 4 mulheres

Os textos são quase de autoajuda e trazem algumas verdades, pra quem vive acelerado, como o fato de dar atenção às coisas simples. Mensagens escolhidas pela mãe e impressas no cyber do bairro Noroeste, onde a família mora.

A ideia não é inovadora e foi copiada pela mãe do rapaz, que comprou o tecido das roupas para fazer com que das mensagens entregues, viessem um complemento para a renda de casa. Wesley escolheu o ponto por ser o mais movimentado e também pela região. Só precisa pegar um ônibus do bairro Noroeste, onde mora, até o Hércules Maymone. De lá desce a pé, com uma mochila infantil nas costas e se prepara na rua mesmo, para o batente do dia.

 

O jovem na conversa é ainda um menino. Apesar da idade, faz a sétima série devido às repetidas reprovações na infância.O jovem na conversa é ainda um menino. Apesar da idade, faz a sétima série devido às repetidas reprovações na infância.

A mochila fica embaixo da árvore e ele, cruza os carros quando o semáforo fica vermelho na via, na altura do shopping Campo Grande. São dois tipos de roupa que ele varia na semana com a missão de chamar atenção dos motoristas. “Quem deixar uma moeda pega uma mensagem da roupa da boneca”, explica.

O jovem na conversa é ainda um menino. Apesar da idade, faz a sétima série devido às repetidas reprovações na infância. Ele fala que eram pelas constantes mudanças de cidade, que faziam com que abandonasse a escola.

O sorriso é cativante mesmo debaixo de um sol que não dá trégua. “É pra ajudar na minha casa”, justifica Wesley. O sonho mesmo era o de arrumar um trabalho sério, coisa que ele garante que já foi atrás, mas não conseguiu. “Já bati em casa, em lugar, perguntando se alguém tinha trabalho pra me dar”. Por enquanto os dias de expediente são às terças, quintas e sextas.

Questionei se acredita que o que faz é arte e ele afirma que sim. “Muita gente gosta, pede pra tirar foto”, argumenta.

O campo-grandense parece ser generoso com o menino. Na altura do 1,70m, ele consegue dinheiro de seis carros em dois minutos. Cálculo que já fez enquanto o sinal está fechado. “Muita gente é bão”. E na bondade dos motoristas, ele leva em média R$ 100 para casa. 




Boa tarde!
Que eu saiba?! Campo Grande é uma Cidade bem evoluida?!
O que é que o Ministério da Cultura pensa sobre esta reportagem?
O que o rapaz està fazendo, ja esta presente no mundo, a décadas!!!
Tem pessoas o chamando de coitado? Ai a ignorancia péga de bom jeito!!!
Muitos reclamam da segurança, não seria mas obvio entender o trabalho do rapaz?
Tentem entender que é uma arte e que não é sò no Teatro e em Circos que encontramos Malabaristas e Atores, identicos a este rapaz!!!
O que ele esta fazendo é trabalho honesto e se não é? pq tanto espanto???
Dicionarios e um pouquinho mais de cultura geral, seria bem aconselhado!!!
Fica a dica...
 
Inês Addmi em 26/01/2014 17:22:04
Para o Governo tudo está indo bem de vento em popa. Nunca na Estória do Brasil ouve tanto poder de compra pela população, ou seja, segundo eles há trabalho para quem quer trabalhar. Outra, há os programas assistenciais, bolsa escola, bolsa família, auxílio gás, cesta básica, etc, etc. Se como colocar tudo na ponta do lápis eles ganham muito bem!
 
Luiz D Leal em 26/01/2014 16:05:50
Já vi ele na praça Antônio João em Dourados , achei lindo o trabalho e a coragem ;)
 
GABRIELA MAHL em 26/01/2014 13:24:24
TRABALHO LINDO E DIGNO JÁ AJUDEI VÁRIAS VEZES AS VEZES FICAMOS COM MEDO DE AJUDAR E SER PRA COMPRAR DROGA COMO EM VÁRIOS PONTOS DE CAMPO GRANDE FICAM UNS DROGADOS PEDINDO O MEDO APARECE SERÁ QUE VAMOS AJUDAR OS TRAFICANTES,POR CAUSA DE UNS OS QUE QUEREM TRABALHAR PARA AJUDAR A FAMILIA ACABAM PAGANDO O PATO, MAIS ESTE AI É CORAJOSO E MERECE SER AJUDADO.TEVE UMA GRANDE IDÉIA É MELHOR FAZER ESTE TRABALHO DO QUE ROUBAR .VAMOS AJUDAR GENTE ESTE RAPAZ AJUDAR A FAMILIA DELE.
 
IVONE MACIEL em 26/01/2014 13:03:30
Eu acordo cedo e dou o melhor de mim todos os dias, trabalho e trabalho muito. Meu "malabarismo" é no dia a dia e recebo no final de cada mês. Pago as minhas contas e impostos e ninguém se comove...
Não saio pedindo para donos de "carrões de marca" como disse a colega abaixo (ótima a expressão diga-se de passagem)
Na verdade acho que estão confundindo arte. Eu não me interesso em ver uma pessoa jogando bolinhas pra cima toda vez que eu paro do sinal na correria do meu dia a dia. Ainda mais que são muito ruins, destreinados, derrubam as bolinhas quase sempre. Não quero e não sou obrigado a dar meu dinheiro por isso.
 
Fabiano pontes em 26/01/2014 12:19:48
Como esses artistas , quando cada um dá o melhor de si naquilo que faz.....com certeza a recompensa surge.
 
Roseli Peralta em 26/01/2014 11:41:02
Tadinho, não custa ajudar......não está somente pedindo, dá algo em troca. Mas em CG tem umas pessoas que pensam que por estar num carrão de marca, são melhores do que as outras. Não ajudam os malabaristas, não ajudam ninguém. Trabalho está difícil.
 
Cristina Rocha em 26/01/2014 10:53:43
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.