A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

27/11/2014 06:41

Fofas, crianças fazem muita gente rir e roubam a cena em festas de casamento

Paula Maciulevicius
O que será que o menininho da foto procurava? (Foto: Allan Kaiser)O que será que o menininho da foto procurava? (Foto: Allan Kaiser)

Nos casamentos a atenção maior está voltada para as noivas. Quando toca a marcha nupcial ou qualquer que seja a trilha que abra caminho para ela adentrar, todos os olhos se voltam ao vestido, ao sorriso, a entrada com o pai. O "sim" do casal que diz diante dos convidados permanecer junto na saúde e na doença, a troca de alianças... Seja como for a cerimônia, mudam-se as cenas, mas os atos seguem um certo protocolo.

Veja Mais
Casal queria poetizar início, mas soube rimar como ninguém o "fim" do amor
Monogâmico ou não, gays e lésbicas querem o direito de viver a afetividade

Talvez seja para segurar a maquiagem dos convidados ou fazer um contraponto com as emoções que um casamento desperta, é que as crianças parecem respirar o ar da criatividade e protagonizar, entre o "sim" e o "marido e mulher", cenas improváveis perante uma igreja ou salão todo.

O Lado B hoje separa um espaço para eles: os protagonistas mirins dos casamentos. Porque quando as crianças roubam a cena, não tem convidado, padrinho, madrinha, noivos ou os pais que segurem o riso.

Xiii! Sinaliza daminha para a outra.  (Foto: Lusival Junior)"Xiii!" Sinaliza daminha para a outra. (Foto: Lusival Junior)

O casamento de Milene e João, realizado na Estância Havaí, em Campo Grande, corria de acordo com o planejado até a entrada da dama e do pajem que antecediam a noiva. A menina Carolzinha, filha de um casal de primos do noivo tinha 2 anos à época e veio do Rio de Janeiro para roubar a cena.

Ao lado de Pedrinho, sobrinho da noiva, ela deveria entrar e se dirigir até o altar. Talvez no desespero de ver tantos rostos desconhecidos e flashes, ela tenha se assustado. Os motivos caem por terra quando ela protagoniza o "berreiro".

De cara, logo nos primeiros passinhos, ela já entra correndo e chorando. Passa pelo companheirinho que segue no mesmo ritmo como de início e abre a boca. Chora, arrancando risos dos convidados.
"Ela é uma criança super precoce. Uma graça. Se você conversar, se apaixona. Como eles eram de fora, não deu tempo de ensair com as crianças. Acho que ela assustou com todo mundo", justifica a empresária e noiva do dia, Milene Rezek.

Por fotos e vídeos, Carolzinha e Pedrinho já se conheciam antes da fatídica entrada. "Ela entrou gritando e ele com uma cara de 'o que está acontecendo'?. Mas a gente fazia questão de que eles estivessem presentes, são filhos de casais que fizeram parte da nossa vida. Todas as crianças do casamento têm um significado muito especial", descreve a noiva.

Durante a festa, Carolzinha ficou numa boa e curtiu a fama. Sua entrada majestal fez com que ela virasse o centro das atenções. Na brincadeira, a noiva conta que foi uma pitada de humor no casamento".

O registro foi dos videomakers Thiago Moser e Mariana Mirault. Os dois seguem a linha do trabalho espontâneo, mesclado com o documental, mas com os olhos sempre atentos esperando cenas como essas acontecerem.

"Nos atentamos para os detalhes e principalmente para as emoções. Por que de que seria feito um casamento se não fossem as emoções? Treinamos nosso olhar para ver o que poucos estão vendo no momento em que as partes principais do casamento estão acontecendo", destacam os profissionais.

Do casamento de Beatriz e Robson, que saiu o registro da menina Maria Luiza, filha do casal, conversando no altar e recebendo a "chamada de atenção" da prima. A cena foi registrada tanto em vídeo como na fotografia. A noiva explicou que a pequena diferença entre as duas faz com que a mais velha se tornasse um pouco líder nas mais variadas situações. E no caso, parecia que a daminha Maria Luiza estava mesmo conversando.

Marcos Lucas, de 2 anos, parecia estar com muito calor. (Foto: Marcus Moriyama)Marcos Lucas, de 2 anos, parecia estar com muito calor. (Foto: Marcus Moriyama)

No casamento da enfermeira Glaucia Alves da Silva Coelho, de 25 anos, foi um dos sobrinhos dela que foi flagrado. Marcos Lucas, de 2 anos, parecia estar com muito calor. E enquanto a cerimônia acontecia, a graça de menino o faz tentar se refrescar com um leque. O fotógrafo que registrou a cena, Marcus Moriyama, comenta na brincadeira "ele devia estar procurando o botão de liga e desliga".

Ao Lado B, Moriyama explica que como profissional, está sempre atento em registrar a reação das crianças, animais e idosos. Baseado em livros, o fotógrafo descreve que como observador precisa clicar três grupos mágicos que estão em todo casamento. "Crianças, animais de estimação e avós, porque eles representam o amor incondicional. As interações que eles inspiram são recheadas de pura emoção", descreve.

O resultado é um álbum final encantador. Que tem de lágrimas a risos, cenas inusitadas de quem respira inocência e transmite pureza.

Heitor, de 2 anos, não queria muito saber da cerimônia. Enquanto a mãe era madrinha, ele tentou e conseguiu chamar atenção no corredor. (Foto: Marcus Moriyama)Heitor, de 2 anos, não queria muito saber da cerimônia. Enquanto a mãe era madrinha, ele tentou e conseguiu chamar atenção no corredor. (Foto: Marcus Moriyama)
Momento descontração de Gabriel já na festa. (Foto: Marcus Moriyama)Momento descontração de Gabriel já na festa. (Foto: Marcus Moriyama)
Tecnologia que salva das furadas que podem ser os casamentos. (Foto: Marcus Moriyama)Tecnologia que salva das "furadas" que podem ser os casamentos. (Foto: Marcus Moriyama)
Os pequenos também se jogam na pista de dança. (Foto: Allan Kaiser)Os pequenos também se jogam na pista de dança. (Foto: Allan Kaiser)
E roubam até a cena do beijo do mais novo casal. (Foto: Allan Kaiser)E roubam até a cena do beijo do mais novo casal. (Foto: Allan Kaiser)



imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.