A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 19 de Janeiro de 2017

23/09/2013 06:23

Gratidão faz proprietária trocar carro moderno por reforma de Chevette 79

Anny Malagolini
Há 31 anos Irene mantém chevette na família (Foto: João Garrigó)Há 31 anos Irene mantém chevette na família (Foto: João Garrigó)

São 31 anos na família, por isso tamanho apego e zelo a um Chevette branco, ano 79. A relíquia é conservada com motor, rodas e até a pintura original. O painel tem madeira, tudo bem cuidado pela aposentada Irene Vieira de Rezende, de 73 anos.

Veja Mais
Guardiã de João, por uma semana repórter cuidou do Fusca sem freios de Júlia
Na novena que atrai milhares, até padre vai em busca de graça

Dia desses, os filhos bem que tentaram fazer com que a mãe se livrasse do veículo. Uma vaquinha entre eles arrecadou dinheiro suficiente para um carro mais moderno. Teimosa, Irene conta que até aceitou o presente, porém, tinha outros planos. Decidiu gastar dando um “trato” no velho companheiro. “Fui lá e reformei o carro, não quero outro. Acho que agora já entenderam”.

O recado é de valores como gratidão e desapego às aparências. O Chevette nunca deu problemas, por isso não precisa ser substituído, na avaliação de Irene.

O veículo foi comprado com o dinheiro da venda de um Fiat 147 e uma linha telefônica. Sim, naquela época as pessoas vendiam linha de telefone fixo.

O anúncio do carro foi visto pelo marido, em um jornal, e logo o negócio foi fechado. Irene é a segunda dona do veículo, que até hoje só rodou 43 mil quilômetros. Como mora em um prédio na 13 de Maio, quando sai, prefere caminhar.

Além de achar o carro bonito, o motivo para tanto carinho é a história. O carro participou de boa parte da vida da família. São vários momentos na lembrança, como as idas e vindas das crianças à escolaFilhos e netos, por exemplo, aprenderam a dirigir no Chevette, mas sempre sob os olhares atentos da dona. “Não gosto muito de emprestar, vai que estragam”, comenta.

“O carro reconhece o dono”, acredita ela, um motivo para quase nunca ter a deixado no “aperto”, apesar do motor nunca ter passado por reforma e funcionar com peças originais de fábrica. Ela  garante que o Chevette só a deixou uma vez na “mão”. “Acabou a bateria”, comenta.

O modelo deixou de ser fabricado em 1989, por isso tem pouco valor de mercado, mas não falta gente pedindo para comprar e um sonoro não como resposta.

Irene diz sempre ser abordada por pessoas interessadas no veículo. A resposta é sempre a mesma, pronta há anos: “Não estou com a intenção de vender, não”. Uma forma de dizer sem muitas explicações que o carro não preço. Quando está inspirada, até sugere alguns valores bem acima do mercado, para espantar os insistentes.

 

Painel do Chevette permanece o intacto (Foto: João Garrigó)Painel do Chevette permanece o intacto (Foto: João Garrigó)



Parabéns dona Irene. Sei muito bem o que a dona Irene sente ao se referir ao seu carro. Meu pai tem um TL 1.6, de 1971, ele diz que o carro faz parte da família. Ele é o único dono, tirou da discautol em 06 de agosto de 1971, e só saiu da garagem quando a minha mãe terminou de fazer a capa para os bancos. Tambem tem todas as peças, acessórios, motor e pintura originais, até o cheiro é de carro novo. Uma verdadeira relíquia. Ele até já pensou em vender, mas quando surgiu o comprador, ele desistiu. Até hoje ele cuida com muito carinho desse carro. A minha casa é conhecida entre os amigos e conhecidos, como sendo A CASA DO TL AZUL. .
 
ZELMA GARCIA DA COSTA em 24/09/2013 08:21:26
Parabéns, dona Irene, adoro chevette, já tive vários, hoje tenho uma marajó 88 em ótimo estado, não troco por nada, é só não deixar faltar óleo e água que esses carrinhos duram pra sempre!!
 
Eduardo Hernandez em 24/09/2013 07:39:04
Uma Bela historia, é por essas e outras que me orgulho
de ter um(01) Chevette de 1974, é meu Xodo... :)
 
Rafael Santos em 23/09/2013 19:22:08
Era feito pra durar e durava...
Agora são feitos pra trocar e se acabam rapidão...
 
Wilson Velasco em 23/09/2013 14:13:09
Ola! Dna Irene, me lembro muito bem deste chevete, foi na época de minha infancia eu e sua filha Lucimara, eramos bastante amigas e já existia o chevette, seu José quem o dirigia, não é mesmo? Parabéns pela relíquia.
 
Lucimar Barbosa de Oliveira em 23/09/2013 13:19:19
Que matéria bacana. Criar sentimentos por um veículo e conservá-lo é algo muito gratificante mesmo ^^
As pessoas precisam parar de comprar as coisas apenas por status ou luxo, pois como ela mesmo disse: Ele nunca deu problemas, então não preciso trocá-lo.
 
Luiz PAulo em 23/09/2013 11:28:57
Que bacana. Uma lição nesses dias em que as coisas são tão descartáveis e o apelo do consumismo faz as pessoas sentirem vergonha de um carro que não seja de último modelo.
 
Marta Ferreira em 23/09/2013 11:10:21
O melhor chevette q fizeram, esse modelo é show, motor 1.4 com tração bem mais forte que o 1.6 mais moderno, tivemos um desse na família, um 78, e saudades, hoje tenho duas brasilias dos anos 70, mas um chevetinho desse ainda pretendo resgatar, parabéns pela relíquia!
 
Erich Pontes em 23/09/2013 11:07:55
PARABENS !!!!
 
DIEGO ANTUNES em 23/09/2013 10:10:05
Sendo bem cuidado o carro não tem idade!...Parabéns a proprietária.
 
Paulenir de Barros em 23/09/2013 09:27:05
Esse carro é da época em que os veículos eram feitos pra durar , tenho um GOL geração V , que mal saiu da concessionaria e já deu problemas, uma verdadeira bomba ambulante.
 
Celso Oliveira em 23/09/2013 09:23:07
se muitos outros adotasse essa ideia invés de andar com o carro caindo aos pedaços, seria ótimo eu estou terminando um gol ano 93 que comecei a um ano , desmontei todo, todo mesmo agora ja esta quase pronto sem gambiarras todo original , se vcs quiserem ver é só me mandar um e-mail que mostro minha relíquia uma pena que não da para colocar uma foto !!!!!!!!!!!
 
jonas nunes dos santos em 23/09/2013 09:12:52
Parabéns dona Irene, num mundo em que os valores sentimentais e espirituais estão deixando de existir, exemplos como o seu, ainda nos dão alento. Só lembrando um versinho das nossas avós: "nunca troque o amor velho, pelo novo que há de vir, pois o novo pode ir embora e o velho volta a servir!"
 
Jota Vieira em 23/09/2013 08:30:30
Parabéns pelo carro e por este amor que você tem por ele. tenho um passat que sou apaixonado .
 
Rogerio Fernando Couto em 23/09/2013 08:09:52
Considerando a idade e originalidade do carro, a proprietária poderia até ver a possibilidade da colocação da placa preta, que marcam este tipo de relíquia. Parabéns...
 
LUCIANO AZAMBUJA em 23/09/2013 08:05:21
Bom dia,
legal, também penso assim, tenho um uninho que não troco por nada, infelizmente ele ta baleado, mas de tanto viver, mas vou recuperá-lo, o amor por eles não tem preço...
Parabéns, aparência não e tudo!
A vida e os nossos carros companheiros tem histórias..
Abraços
Loadir
 
Loadir Ap. Silva em 23/09/2013 08:04:43
Só para acrescentar, o chevette parou de fabricar no ano de 1993 sendo seus últimos modelos Chevette L e Chevette Júnior, anteriormente em 1992 tinha o chevette DL (versão mais luxuosa).
 
Sandro Lima em 23/09/2013 07:49:40
imagem transparente
Busca

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2017 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.