A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 02 de Dezembro de 2016

23/04/2014 06:57

Grupo organiza desfile só com modelos gays, lésbicas, travestis e transexuais

Elverson Cardozo
Estúdio Vespa vai apresentar coleção retrô. (Foto: Allan Bastos)Estúdio Vespa vai apresentar coleção retrô. (Foto: Allan Bastos)

Fundada há 6 meses, em 31 de outubro de 2013, a Rede Apolo, de Homens Gays e Bissexuais de Mato Grosso do Sul, que surgiu com a proposta de lutar pelos direitos da minorias, não só dos homossexuais, realiza o primeiro evento aberto ao público, em Campo Grande, no Marco (Museu de Arte Contemporânea), MIS (Museu da Imagem e do Som) e na FCMS ( Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul). A primeira Semana Apolo da Diversidade Cultural LGBT, como a ação foi batizada, acontece entre os dias 5 e 8 de maio. A participação é livre e gratuita.

Veja Mais
Datilografado, pedido de casamento revelou primo apaixonado em 1980
Super-heroi, Pedro precisa de ajuda para continuar salvando a alegria da família

Na programação, homenagens a personalidades e autoridades que lutam pela causa no Estado, seminário, performance de dança contemporânea, apresentação de coral, recital de poesia, exibição de curtas-metragens, exposição de arte e um desfile de produções exclusivas de criadores e estilistas LGBT, apresentado por modelos gays, lésbicas, travestis e transexuais.

O desfile, que acontece no último dia do evento, será coordenado pelo estilista Luiz Gugliatto. As peças serão elaboradas por acadêmicos do curso de moda da Uniderp-Anhanguera, que devem trabalhar em peças com tema da Copa do Mundo, além dos vestidos de Edson Almeida, da Alameda Store, e uma coleção retrô elaborada por Fábio Maurício, do Estúdio Vespa. “Vou fazer um desfile inspirado nos ícones da música. Serão, mais ou menos, 15 modelos. É algo retrô, bem pensado para o evento”, adiantou.

Fábio, que se considera um profissional mais conceitual, gostou da iniciativa porque, nas palavras dele, o evento proporciona a liberdade de criar de uma forma não limitada, aberta e mais livre. “As minhas roupas são mais para noite e quando faço um trabalho assim me sinto bem melhor porque não é comercial”, disse, ao comentar que a iniciativa da Rede Apolo serve para unir os profissionais “do meio”.

Presidente da FCMS, Américo Calheiros, com membros da Rede Apolo. (Foto: Divulgação)Presidente da FCMS, Américo Calheiros, com membros da Rede Apolo. (Foto: Divulgação)

Diretor-presidente da associação, David Andrade, de 27 anos, reforça que o objetivo é exatamente esse, mas a intenção vai além. “Queremos dar visibilidade aos homens gays e mostrar à sociedade que também pagamos nossos impostos. Não queremos que nos aceitem, mas que nos respeitem”, afirmou.

No primeiro dia, durante abertura oficial, será feita a entrega do Troféu Apolo Amigos da Causa para personalidades de segmentos e setores sociais, como autoridades do Executivo, Legislativo e Judiciário, Ministério Público, jornalistas, comunicadores, educadores, juristas, ativistas, escritores, religiosos e mídias.

Segundo a Rede, “a homenagem, tem como objetivo, além de enaltecer os realizadores, apoiadores e suas ações, provocar reflexões e estímulos positivos na sociedade sul-mato-grossense quanto à temática diversidade sexual, que ainda é, infelizmente, motivo de discriminação, preconceitos e violações de direitos humanos e civis”.

No dia 10, das 14h às 18h, a associação realiza, ainda, uma capacitação em políticas sociais. Trata-se do Seminário “Identidade, Sociedade e Sexualidades: como articular políticas públicas”, que será ministrado pelo sociólogo e pós-graduando em políticas públicas em gênero e raça, André Luiz Martins, que também é membro da ONG. A capacitação é gratuita e será emitido certificado de 4 horas/aula.

Confira a programação completa:

Dia 5, às 19h: Solenidade de abertura e entrega do Troféu Apolo Amigos da Causa
Local: Marco (Museu de Arte Contemporânea)

Dia 06, às 19h: Abertura da exposição de artes “Coloridos Diversos”
Local: Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul / Território Ocupado

Dia 07, às 19h: Exibição de filmes e mesa de sujeitos LGBT
Local: MIS (Museu da Imagem e do Som)

Dia 8, às 19h: Desfile de moda e trajes e sarau da diversidade
Local: Marco (Museu de Arte Contemporânea)

Outras informações podem ser obtidas pelo telefone (67) 9308-9308, no e-mail redeapolo@outlook.com ou na Fan Page da Rede Apolo.




Samuel Gomes, por que não se justifica a frase do rapaz sobre pagar impostos e ter seus direitos? Você não sabe que muitos direitos são negados às minorias, unicamente porque muitos brasileiros têm pouco caráter e acham que podem dificultar a vida de um ser humano que eles não conseguem entender? Outra coisa, desvio comportamental se alguém tem é você, pois homossexualidade não é doença, e nem todo gay é promíscuo, assim como heteros têm seus defeitos. Portanto, podem se casar SIM, pois o Estado se pauta pela ciência, que evolui através da neutralidade, diferentemente das religiões, não importando aqui o que a SUA religião diz. Antiético é você divulgar essa desinformação que aprende com fanáticos ignorantes e promover o ódio social, pois isso prejudica pessoas e, portanto, piora o Brasil.
 
Paulo Abreu em 26/04/2014 19:22:59
Roberto Mota, vc nem deve imaginar a origem da bíblia pra ficar usando esse livro pra condenar pessoas. Primeiro que nunca em lugar nenhum do mundo houve uma cidade de homossexuais como Sodoma. A parábola ensinava que Deus condenava a idolatria a coisas e pessoas. Os termos em hebraico usados na passagem significavam conhecer os visitantes, não "transar com os visitantes", como foi traduzido pra que a massa passasse a perseguir os diferentes. Além disso, é só UM LIVRO e não deveria ser motivo pra alguém sair divulgando o ódio aos homossexuais e piorando a vida dessas pessoas. Se não existem variações, por que nascem pessoas com 2 genitálias, mulheres sem útero, homens com útero, pessoas sem sexo? Bom, se vc quer continuar sendo um ignorante fanático, é problema seu. A vida taí pra se ver.
 
Paulo Abreu em 26/04/2014 19:13:38
Roberto Mota, vc nem deve imaginar a origem da bíblia pra ficar usando esse livro pra condenar pessoas. Primeiro que nunca em lugar nenhum do mundo houve uma cidade de homossexuais como Sodoma. A parábola ensinava que Deus condenava a idolatria a coisas e pessoas. Os termos em hebraico usados na passagem significavam conhecer os visitantes, não "transar com os visitantes", como foi traduzido pra que a massa passasse a perseguir os diferentes. Além disso, é só UM LIVRO e não deveria ser motivo pra alguém sair divulgando o ódio aos homossexuais e piorando a vida dessas pessoas. Se não existem variações, por que nascem pessoas com 2 genitálias, mulheres sem útero, homens com útero, pessoas sem sexo? Bom, se vc quer continuar sendo um ignorante fanático, é problema seu. A vida taí pra se ver.
 
Paulo Abreu em 26/04/2014 19:13:07
Na Bíblia Sagrada, podemos observar que Deus criou Adão e Eva, HOMEM e MULHER, MACHO e FEMEA e os mandou crescer e multiplicar-se e povoarem a terra. Não há como obedecer esta ORDEM de Deus entre homem e homem ou mulher e mulher. Deus não criou um terceiro genero ou nos deu a opção de escolher por qual dos dois generos por ele criados optar. Ainda na Bíblia temos um exemplo do que Deus pensa a respeito da escolha do ser humano quanto a mudança do seu genero sexual, basta olharmos para o que aconteceu com Sodoma e Gomorra e olharmos para o que motivou a destruição daquelas cidades, A HOMOSSEXUALIDADE que reinava ali. não existe o terceiro sexo, Deus criou Adao e Eva e não ADÃO e IVO.
 
Roberto Mota Vieira em 24/04/2014 16:54:49
Não se justifica a frase "nós pagamos impostos" e queremos nossos direitos.A constituição ja garante a todo cidadão brasileiro esses direitos, inclusive os foras da lei e até animais. Porem a classe através de seu presidente Davi Andrade, está correto quando diz que "não queremos que nos aceitem, mas que nos respeitem" e isso que os que não concordem com esse desvio comportamental querem transmitir; o respeito a pessoa humana! O que não concordamos é os direitos específicos que querem; banheiros próprios, poderem se esfregar entre si em publico, cotas, casarem-se ou serem registrados com novos nomes...absurdo! Por outro lado é bom a classe dessa gente respeitarem as opiniões da sociedade correta e que de forma alguma, concordam com comportamentos promiscuo, anti ético e anti Cristo.
 
Samuel Gomes em 23/04/2014 07:54:25
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.