A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

04/04/2016 06:34

Mãe supera o medo e Lucas, com apenas 7 anos, prova que consegue voar sozinho

Thailla Torres
Mãe comemora cada conquista do filho. (Foto: Marcos Ermínio) Mãe comemora cada conquista do filho. (Foto: Marcos Ermínio)

Foi emocionante! É assim que mãe Rubenita descreve a conquista mais recente no caminho da alfabetização do filho Lucas, de 7 anos. Ele é cego desde que nasceu e em um momento onde as dúvidas e o medo do preconceito atingiam a mãe protetora, a vitória veio na hora certa. Com ajuda de amigos, ela decidiu deixar a porta aberta para que Lucas voasse alto e o menino está indo longe.

Veja Mais
No Tiradentes, brasão do Chapecoense surge na rua como uma homenagem do bairro
Com quadros de amigos e fotos do passado, casa de Isac é pura recordação

No fim do ano passado, Rubenita Santiago Siqueira, de 31 anos, travou uma batalha com relação aos direitos do filho e a dúvida quanto à capacidade que ele tinha para enfrentar o próximo ano do ensino regular. Com medo que ele sofresse com as dificuldades, Rubenita conta que chegou a pensar em deixar que Lucas repetisse o primeiro ano do Ensino Fundamental. “Cheguei a duvidar que ele estivesse pronto por ainda não ter absorvido todo o conteúdo e isso me deu um arrepio”, justifica a mãe.

Lucas tem 7 anos e está na segunda série do ensino fundamental. (Foto: Marcos Ermínio) Lucas tem 7 anos e está na segunda série do ensino fundamental. (Foto: Marcos Ermínio)

Mas foi um amigo da família que abriu os olhos e o coração de Rubenita para um mundo que Lucas merecia viver. “Ele foi o ‘advogado’ de Lucas, por defendê-lo e mostrar que nós estávamos subestimando a capacidade dele e que ele não poderia passar mais um ano brincando”.

Alheio a tudo isso, Lucas seguiu em frente, surpreendeu e encheu de lágrimas os olhos da mãe que tanto torcia pelos avanços. No dia em que o menino dominou o braille, veio a certeza de que tudo valeu a pena. “Ele chegou em casa dominando todo o alfabeto em braille e começando a montar algumas sílabas. Isso pra nós foi um grande avanço”, diz a mãe radiante.

Lucas Santiago nasceu prematuro e devido as complicações de saúde passou cerca de 90 dias internado na UTI (Unidade de Terapia Intensiva), passou por cirurgias e tratamentos. Mas aos três meses de vida já estava completamente sem visão.

Já sabe todo alfabeto em braile e está montando sílabas. (Foto: Marcos Ermínio) Já sabe todo alfabeto em braile e está montando sílabas. (Foto: Marcos Ermínio)

Para caminhar ao lado dele, a mãe também aprendeu o braille para auxiliar o filho nas tarefas, além de customizar objetos para que ele se familiarize com os materiais a sua volta. E assim, Rubenita  cresce ao lado de Lucas.

Também decidiu voltar a trabalhar para garantir a independência do filho. “O fato de eu não estar o tempo todo ao lado dele o fez amadurecer e é como se eu estivesse abrindo a porta do mundo”.

E isso ajuda Lucas a levar uma vida normal. Estudando no segundo ano do ensino fundamental de uma escola pública, a família hoje não tem dúvidas do progresso do menino.

Além da professora, ele conta com um acompanhamento especial. Se relaciona bem com colegas de classe e surpreende a cada momento, desde que chega ao portão até sentar na sala. "Eu deixo ele sozinho, para conhecer e saber se virar sozinho," comemora a mãe atenta e orgulhosa cada passo dado pelo filho. 

“Meu medo como mãe é que ele não fosse uma criança feliz e nada é mais vitorioso do que saber da felicidade dele”, sorri a mãe, ao ensinar que tudo se torna possível quando há vontade, empenho e amor.




imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.