A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

02/08/2015 07:34

Marido e namorado são parceiros, mesmo diante das loucuras delas pelos ídolos

Aline Araújo
Sheila com os ídolso Jorge e Mateus. (Foto: Arquivo Pessoal)Sheila com os ídolso Jorge e Mateus. (Foto: Arquivo Pessoal)

Amor é amor e não se explica. Amor de fã é algo ainda mais difícil de compreender. E quando a esposa ou a namorada tem devoção por algum artista? O Lado B ficou curioso e resolveu ver de perto algumas histórias do tipo e descobriu muita parceira até na hora de acompanhar a loucura do outro. Deu para perceber que tem coisas que a a gente realmente só faz por amor.

Veja Mais
Astrologia védica mostra o futuro, mas também ensina a aceitar o destino
Como mágica, o amor encontrou o palhaço e romance vive liberdade em belas fotos

A vendedora Carla Mariana dos Santos, de 22 anos, é apaixonada por música internacional, sempre adorou boy bands e quando conheceu o grupo Jonas Brothers se apaixonou. Há quatro anos ela e o analista de sistemas Kelvin Cáceres Romeiro, de 23, namoram. Ele é metaleiro.

Mesmo assim, em 2012, Kelvin ficou três dias acampados na fila para acompanhar de perto o show dos Jonas Brothers no Brasil. Ele poderia ficar mau humorado com a situação depois de passar frio, tomar chuva e ferver no sol até a pele descascar, além de estar no meio de outras fãs loucas cantando todas a músicas de uma banda que ele não conhecia. Mas no lugar disso, se divertiu também, feliz em poder realizar o sonho da namorada.

Carla e Kelvin tem gostos diferentes, mas sempre estão juntos para dividir os perrengues. (Foto: Vanessa Tamires)Carla e Kelvin tem gostos diferentes, mas sempre estão juntos para dividir os perrengues. (Foto: Vanessa Tamires)

“Eu amo muito ela, não sou de ficar em fila, essas coisas, mas eu faria tudo de novo, no final foi tudo muito gratificante”, comenta Kelvin, que chorou junto ao ver a emoção da namorada ao cantar as músicas que tanto gostava.

“Nossa, todo mundo ficou admirado com ele, ele foi um fofo, comprou boton, caneca, camiseta para mim, quando eu não tava na fila e ele tava lá esperando, ficou me perguntando sobre as músicas e apesar de não gostar, curtiu o show junto comigo”, conta Carla.

Na aventura, a chuva molhou todas as roupas do casal, mas um anjo, a mãe de uma das meninas que estava na fila, levou, lavou e devolveu sequinhas para salvar a espera pelo evento. Já o retorno da viagem foi dolorido, com as queimaduras do sol.

Outro fato interessante é que um dia antes do show em São Paulo, teve apresentação da banda Sorriso Maroto no mesmo local. “Todas aquelas meninas vestidas e arrumadas e a gente lá acabado, depois de pegar chuva, escutamos todo o show, foi muito engraçado”, lembra Carla.

Ela é fã de pop e ele de metal. (Foto: Vanessa Tamires)Ela é fã de pop e ele de metal. (Foto: Vanessa Tamires)

A banda acabou em 2013, apesar de continuar gostando, Carla diz que passou da fase e hoje é fã da cantora Taylor Swift. “Minha irmã fica brava, diz que me comporto como adolescente, quando vejo alguma coisa dela. Eu compro tudo que dá, assisto todos os clipes e fico pulando pela casa quando passa na TV”, admite Carla.

“Eu já sei que quando ela vir para cá, lá se vão mais um cinco dias na fila, mas no final é uma experência bacana e bem gratificante”, comenta Kelvin. Os dois sempre trocam presentes, ela sempre escolhe algo do Metálica, que é a única banda que ela conhece.

Para a namoradas...“Na hora de dar presente não tem erro, é só comprar algo da Taylor que é sucesso!”, brinca Kelvin.

Mas ela também já foi parceira, foi com ele ao show da banda de metal progressivo Dream Theater. Mas a história foi bem mais tranquila, Kelvin resolveu chegar apenas umas horas antes do show. Como haviam comprado camarote e o pessoal é mais “tranquilo”, chegar até o show foi fácil que enfrentar a turma do pop.

Ela brinca dizendo que teve que aguentar muito cabelo, as vezes nem tão cheirosos, batendo na sua cara entre os metaleiros, mas que não fez nada demais.

O amor faz os dois compreender o gosto do outro. (Foto: Vanessa Tamires)O amor faz os dois compreender o gosto do outro. (Foto: Vanessa Tamires)

Amor em família - Com um casamento de 13 anos, o fotógrafo Paulo Cesar de Souza, de 50 anos, foi o principal incentivador das loucuras de fãs feitas pela a esposa Sheila Forato. A paixão dela pela dupla sertaneja Jorge e Mateus começou em 2008, quando por meio de uma amigo foi apresentada a uma música da dupla.

“Timidamente comecei acompanhá-los. Até ia em alguns shows, como Campo Grande e Rondonópolis. Durante cinco anos fui uma anônima na multidão. Até que resolvi assumir minha 'fãzisse' (risos). Em 2013, incentivada por meu marido, resolvi mostrar para todos o amor que eu sinto por eles. Tinha que ser em grande estilo. Adoro viajar e escolhi Porto Velho, Rondônia, para declarar todo esse amor”, conta a jornalista que mora em Coxim, a 260km de Campo Grande.

No show, ela lutou para conseguir chegar na grade e mostrar o cartaz que dizia : “Jorge viajei 2.419 quilômetros pra te ver. Ande alguns passos e me dê um abraço. Sheila – Coxim/MS”. O cantor viu e retribuiu conversando com a fã durante o show. “Jorge falou comigo o show inteiro, Paulo gravou muitos vídeos do celular e eu chorei muito”, lembra.

Sheila, o marido com a fitinha que deu de presente para Jorge. (Foto: Arquivo Pessoal)Sheila, o marido com a fitinha que deu de presente para Jorge. (Foto: Arquivo Pessoal)

Para a alegria de Sheila, ela foi escolhida para ir até o camarim e conhecer Jorge. O momento foi único e ela guarda com carinho as memórias do encontro, o primeiro antes de muitos outros. Depois, ela foi em shows por onde eles passassem aqui no Estado, além de apresentações na Bahia e Paraná, e quase sempre conseguia entrar no camarim. De cada show, ela conta uma história, mas alguns foram os mais marcantes.

“Em Salvador, por sugestão do meu marido, levei uma fitinha de Nosso Senhor do Bonfim. No camarim, entreguei a fitinha a Jorge e ele pediu que amarrasse em seu braço, fez os três pedidos e permanece até hoje com ela, esperando que arrebente. Tenho uma igual, ambas são verdes, brincamos em outros camarins que a fitinha representa nosso compromisso”, comenta.

Ela já dançou com ele no palco e também conheceu Mateus, o mais reservado da dupla. Ganhou um abraço dele. O marido sempre acompanhava os shows, mas na hora do camarim, ia para o carro. Até um dia que ele estava com o filho dos dois, Enzo, na época com sete anos, e eles foram chamados para ir até o camarim, Jorge queria conhecer a família da fã que tanto o acompanhava.

“Eu sempre admirei o fato dela ser fã, eu não sabia como era gostar tanto assim ao ponto que ela chega, de viajar, levar presente, fazer faixa. Até então eu só acompanhava, eu gosto de sertanejo, mas gosto mais de rock, então eu curtia os solos de guitarra, eu fui acompanhando para ouvir o Mateus... Mas quando conheci eles pessoalmente, acabei entrando nessa de fã, ele me chamou no camarim e disse que era muito bacana acompanhar ela nos shows, eles são bem humildes assim fica fácil gostar deles também”, conta Paulo.

Mateus, o casal e o filho Enzo. (Foto: Arquivo Pessoal)Mateus, o casal e o filho Enzo. (Foto: Arquivo Pessoal)
Sheila dançando com Jorge no palco. (Foto: Arquivo Pessoal)Sheila dançando com Jorge no palco. (Foto: Arquivo Pessoal)

“Foi lindo ver Jorge agradecendo ao meu marido pela confiança. Falando da consideração que tem por mim. A partir daquele momento a dupla ganhou mais um fã. E eu ganhei um fotógrafo oficial, com imagens lindas, em todos os camarins."

Na onda dos pais, Enzo não se contentou só com o camarim. "Queria ir a um show e levar um cartaz só dele, fomos à Expogrande com frase escolhida por ele: Jorge e Mateus, um ciclo de amor por vocês, de mãe para filho. Enzo Coxim/MS”, depois do show, ele ganhou uma toalhinha e uma bola do Corinthians, autografada pelo Jorge”, conta a mãe.

Essa proximidade permitiu que Paulo preparasse um presente muito especial para ela no dia do aniversário. Ele pediu para que Jorge gravasse um vídeo desejando felicidades para a esposa e no dia D postou o presente no Facebook dela.

“Se eu gostei? Foi o melhor presente de aniversário da minha vida. Já ganhei muitos presentes, de anel de diamante a carro, mas tem coisas que o dinheiro não compra, simplesmente porque não estão à venda e essas são as melhores”, comenta a fã.

A história dos casais mostra que as loucuras são parte das pessoas e a parceria, na hora de pegar chuva na fila, ou viajar quase 2 mil quilômetros é o que deixa o relacionamento ainda mais forte. Fica uma cumplicidade imensa e muitas, mas muitas histórias para contar.




imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.