A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

29/09/2014 16:56

Morador de rua encontra utilidade para os cavaletes de campanha política

Ângela Kempfer e Kleber Clajus
José Natalino enfeita casa feita de cavaletes. (Foto: Marcos Ermínio)José Natalino enfeita casa feita de cavaletes. (Foto: Marcos Ermínio)

Com cinco cavaletes de propaganda política, José Natalino da Fonseca, de 38 anos, construiu uma barraca. Na base da simplicidade, sem nada muito complexo, ele foi montando o abrigo como quem cria com cartas de baralho. Por fim, com o “projeto” pronto, resolveu protestar. “Quanto eles gastam com essas placas? Dava para construir casa para todo o povo que vive na rua”, defende.

Veja Mais
Astrologia védica mostra o futuro, mas também ensina a aceitar o destino
Como mágica, o amor encontrou o palhaço e romance vive liberdade em belas fotos

A manifestação solitária tem como ponto um cruzamento movimentado, no canteiro da Avenida Afonso Pena, na esquina com a Rua Paraíba. Na última semana de campanha eleitoral, José decidiu dar uma utilidade para os cavaletes que há semanas são motivo de reclamação por conta da poluição visual.

Conhecido pelas ruas como Natal, ele nasceu em Minas Gerais e diz que ainda hoje a esposa e as duas filhas continuam lá, na cidade de Bocaiuva (MG).

Há um ano está em Campo Grande, mas sem muita sorte. Natal diz que veio tentar uma vida nova, não conseguiu emprego, mas garante ainda ter esperança de um dia abrir uma empresa e trazer a família para morar aqui.

Sem ter um teto, hoje ele informa como endereço a rua, “perto do Hotel Presidente, na rodoviária velha”. “Muitas vezes a gente não tem lugar na cidade para ficar. Quando vem a chuva, ficamos que nem loucos molhando”, reclama.

Sobre tirar os cavaletes do lugar onde foram colocados pelos candidatos, Natal se defende. ”Não pode confundir manifestação com vandalismo”, justifica.

Natal se confunde nas palavras, fala algo uma hora e logo depois muda o rumo da conversa, mas por fim tenta deixar claro que a reclamação ocorre diante do déficit habitacional. “Campo Grande tem tanta casa e lote abandonado que poderia abrigar o Brasil”, avalia.

Detalhes para arrumar a morada na Afonso Pena.Detalhes para arrumar a morada na Afonso Pena.



imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.