A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

21/10/2014 06:12

Mulher cria grupo para achar amor eterno e se surpreende com povo doido por sexo

Elverson Cardozo
Grupo criado em fevereiro tem quase 80 mil participantes. (Foto: Reprodução/Facebook)Grupo criado em fevereiro tem quase 80 mil participantes. (Foto: Reprodução/Facebook)

Divorciada há 10 anos, a comerciante Gilvandete Albuquerque Miranda, 52, conhecida como Gil, criou um grupo no Facebook para fazer novas amizades e, também, encontrar um amor eterno, para vida toda, até que a morte seja o motivo da separação. “A gente tá afim de uma amizade, mas de repente pinta um amor. Tem gente que se conhece pela internet, namora e casa. Eu acho que existe, sim, amor verdadeiro”, diz.

Veja Mais
Casal queria poetizar início, mas soube rimar como ninguém o "fim" do amor
Monogâmico ou não, gays e lésbicas querem o direito de viver a afetividade

Moradora de Ponta Porã, na fronteira com o Paraguai, ela não esperava reunir mais que 3 mil pessoas, mas já conseguiu quase 75 mil seguidores em apenas 9 meses. O problema é que a página, batizada de “Buscando amor e amizades”, começou a atrair mais gente interessada em sacanagem do que em “amarrar o burro”.

Surpresa e cansada de se deparar com propostas sexuais e fotos de genitálias desconhecidas, Gil decidiu que era hora de ter uma postura mais firme como moderadora e, então, estampou o aviso:

“Este não é um grupo para você que tem a mente poluída pela pornografia. […] É um grupo aberto para que pessoas de mente pura e sadia possam ter esperança de encontrar um verdadeiro amor ou uma verdadeira amizade”.

O recado, pelo jeito, não adiantou. O povo continua mandando fotos sem roupa e prometendo, inclusive, vídeos eróticos, mas agora ela olha post por post antes de aceitar. A comerciante passa o dia com o Facebook aberto, moderando o conteúdo que vem de várias cidades do Brasil, do país vizinho, o Paraguai, e de outros como Argentina, Índia, Angola e Líbano.

Garota pede seguidores. (Foto: Reprodução/Facebook)Garota pede seguidores. (Foto: Reprodução/Facebook)

Os participantes aliviaram na ponografia, é verdade, mas ainda assim é possível encontrar posts sugestivos. Em um deles a garota promete enviar uma “fotinha sexy” para quem curtir. “Meu amor, vamos fazer o lepo, lepo bem gostoso...”, respondeu um homem.

Outra, com a bunda virada para o espelho e com o “cofrinho” aparecendo, pede: “me adiciona ou segue, gatos. Aceito rápido. “Nossa, que delícia”, deixou um rapaz. “Linda bundinha”, comentou um segundo.

Na contramação de posturas assim, que faz a gente rir para não chorar, tem os românticos declarados, que parecem viver em um mundo paralelo. Leandro Solteirrísmo Almeida (isso mesmo), é um exemplo.

O rapaz desejou uma boa noite aos outros usuários compartilhando a foto de uma cama coberta por pétalas de rosas e com a seguinte mensagem:

“Apague a luz do teu quarto, abra a janela, sinta o silêncio da noite, escute o riso das estrelas e sinta no teu rosto o beijo que a lua te dá em meu nome – Alguém aceitaria um novo amigo?”. Ninguém respondeu.

Página também tem espaço para românticos. (Foto: Reprodução/Facebook)Página também tem espaço para românticos. (Foto: Reprodução/Facebook)

O grupo tem disso mesmo. O povo está mais interessado em sexo que em amor, reclama a mulher, mais uma vez. Isso gera “dor de cabeça”, mas, pelo menos, rende alguns encontros.

Gil que o diga. Ela já teve a oportunidade de conhecer pelo menos 6 homens depois que criou a página, mas com nenhum “deu samba”.

“Tem que ser honesto, trabalhador e não pode ser viciado em bebida. Também tem de ser mais caseiro porque não gosto mais de sair”, afirma, ao comentar que idade não importa porque tem gente de 20 que pensa com a cabeça de quem tem 50 anos e gente de 50 que se comporta como um jovem de 20. “Meu último namorado, um árabe, tinha 74 anos”, comenta.

Gilvandete, a moderadora da página. (Foto: Arquivo Pessoal)Gilvandete, a moderadora da página. (Foto: Arquivo Pessoal)
Gil se refrescando em Ponta Porã. (Foto: Arquivo Pessoal)Gil se refrescando em Ponta Porã. (Foto: Arquivo Pessoal)

Como ninguém atendeu os requisitos até agora, a comerciante continua procurando. “Procurando entre aspas. Não é que estou precisando, necessitada. Sou muito independente. […] Não sou feia, faço academia e me cuido. Sou bem seletiva. Não vou me envolver com qualquer um”, corrige. E tem mais, prossegue. “É muito perigoso. Assisto muito o Cidade Alerta. No começo é mil maravilhas, depois mata”, argumenta.

Gilvandete está feliz com o alcance que o “Buscando amor e amizades” teve. Tão feliz que fala em novos planos. A mulher quer transformar o grupo em uma página evangélica, que vai reunir testemunhos e passagens bíblicas, por exemplo.

“Não sou batizada, mas frequento a Igreja da Paz. Quando Deus tocar no meu coração vou anunciar e convidar as pessoas. Quem quiser ficar, fica. Quem não quiser, sai. Pretendo ganhar muitas almas para Deus”, avisa.




imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.