A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

29/08/2013 06:30

Na fachada, placa indica residência dos Nakasato, o inicio de uma longa história

Ângela Kempfer
Placa na fachada da casa, na rua Calógeras.Placa na fachada da casa, na rua Calógeras.

Há tradições que continuam na fachada como uma marcação do passado. Na rua Calógeras, a lembrança está na placa que indica a residência da família Nakasato, precisamente, de Maçao e Odilon Nakasato.

Veja Mais
No Tiradentes, brasão do Chapecoense surge na rua como uma homenagem do bairro
Com quadros de amigos e fotos do passado, casa de Isac é pura recordação

A cor desbotada só tem vida graça à inscrição mais recente, que serviu para atualizar o telefone da casa. Mas a placa ainda guarda vestígios do antigo número para ligações.

No sobrado, o tempo parou. Maçao morreu há 5 anos, mas o filho assumiu a vida do pai levando adiante a mesma profissão. “Eu tive a honra de ser discípulo dele e aprendi a fazer massagem tradicional do Japão”, conta Odilon.

Em casa, ele atende clientes que aparecem em busca de Shiatsu, Do-in ou Reike para aliviar dores do corpo e da alma. A placa está lá por ideia do pai, mas só com o tempo ganhou a propaganda dos serviços oferecidos.

Odilon mostra a foto do pai, ao lado da mãe.Odilon mostra a foto do pai, ao lado da mãe.

O avô veio para Campo Grande na 3ª leva de imigrantes japoneses. O pai nasceu aqui e na década de 40 aprendeu a profissão que exerceria pelo resto da vida.

“Um professor de judô veio do Japão em intercâmbio com a Associação Nipo-Brasileira e aqui ensinou meu pai a fazer massagem da forma tradicional. Era um homem que tinha enfrentado até a segunda grande guerra”, conta.
Maçao criou os filhos com o ofício e quando sentiu que as mãos fraquejavam, pergunto a Odilon se ele queria continuar.

“Aceitei e fiquei um ano apreendendo. Durante anos trabalhei ao lado dele que morreu aos 83 anos ali, até o último dia fazendo as massagens”, lembra.

Hoje a família Nakasato é enorme, tem mais de 600 pessoas, estima Odilon. “Tem vez que eu encontro primo que eu nunca tinha ouvido falar”, comenta sempre muito sorridente.

Aos 57 anos, com 4 filhos, ele já foi professor de inglês, mas quando aceitou levar adiante a profissão do pai, só fez isso. “Comecei com o Shiatsu, o Do-in e depois aprendi o Reike”, diz.

Odilon ainda se lembra da Maria Fumaça em frente de casa, da brincadeira na rua, em frente ao Hotel Gaspar, mas a saudade parece maior do pai e da mãe, falecida há 2 anos.

O nome do pai, por exemplo, nunca foi apagado da placa. Continua lá depois de 25 anos da morte do velho massagista.

É como sinal de respeito. Foi Maçao quem ensinou, por exemplo, a diferença com os métodos mais modernos que, na opinião de Odilon, transformaram as massagens tradicionais em algo comercial. “Ele sempre disse que é preciso uma pegada mais forte e hoje vejo que tem muita gente que faz de forma superficial, o que não dá efeito”, conclui.

No fim das contas, a placa que provocou curiosidade acabou virando um bom pretexto para escrever parte da história de mais uma família.




Família Nakasato, Maçao, Zizinha, Odilon, Odila e Odon. Proprietário do Expresso Mato Grosso na antiga rodoviária que ficava entre Hotel Gaspar e residência da família. Tinha como sócio o Sr. Joel e esposa Joaninha. Dali parti várias vezes com destino ao RJ com passagem por SP onde trocávamos de ônibus Viação Cometa e férias. E quando chega anos das férias era uma festa, pegávamos um táxi charrete e cheio de novidades era uma noite de diversa. Família muito querida e acolhedora, amigos q fizeram e fazem uma história de conquistas e de respeito. Parabéns.
 
Júlio Cezar Garabini em 29/08/2013 23:03:02
Parabéns amigo,vc merece esse reconhecimento,obrigada pelos ensinamentos,pois foi vc que ensinou uma parte muito importante da minha profissão,o shiatsu,devo isso a vc,obrigada,e que Deus te abençoe para vc continuar a ser este profissional sério e competente.Um grande abraço


 
Rosane Machado em 29/08/2013 22:28:26
Parabéns Odilon,vc merece esse reconhecimento,fui sua aluna no Senac e aprendi Shiatsu com vc e hoje além de colegas de profissão somos amigos e conheço sua dedicação e sua capacidade de doação ao próximo e a seriedade com que vc encara sua profissão.Um grande abraço amigo e obrigada pelos seus ensinamentos.
 
Rosane Machado em 29/08/2013 22:23:25
Muito bom ler uma mensagem que preserva as tradições principalmente vindo de pessoas como Odilon Nakasato irmão de minha grande e querida amiga Odila Nakasato Cappi. Saudades Odilon das aulas de Tai-chi, do curso de Shyatsu, do amigo querido. Obrigada por sua grande participação e trabalho responsável, assim sendo torna Campo Grande uma cidade mais bela e que cultiva tradições e conhecimentos milenares. Parabéns! por nobre trabalho.
 
Arilda Vargas Goulart em 29/08/2013 18:14:19
Odilon Nakazato quando eleito Deputado Estadual, foi o mais jovem deputado da história do Mato Grosso do Sul, se não me falha a memória com 26 anos de idade. Pena que deixou a política muito cedo. Já seu Maçao, fui seu paciente por longo tempo e com certeza não faz 25 anos de sua morte, no máximo 07 a 08 anos.
 
Emilio Gamarra em 29/08/2013 17:13:24
Grande lembrança essa matéria, conheci o trabalho do Odilon através de um amigo que estava com uma cirurgia marcada e que hoje, após mais de 25 anos, nunca foi feita, graças à técnica do Sr. Maçao e do Odilon. Quem não conhece seu trabalho não sabe o que está perdendo.
Parabéns a reporter Ângela Kempfer.
Abraços Odilon.
 
Sérgio Rabello de Almeida em 29/08/2013 16:34:04
Parabens Odilon, continue sempre com a tradição. Fui seu aluno de Ingles no Osvaldo Cruz, o tempo bom.
 
Alfredo Yokei Okumoto em 29/08/2013 12:52:31
Querido Odilon, companheiro de algumas buscas em épocas remotas. Seu Maçao, Dona Georgina, a chácara no domingo, seus avós, a rodoviária bem em frente ao Hotel da sua família, que ficava entre o Hotel Gaspar e a sua atual casa, construída anos depois. O companheirismo do seu pai com meu irmão, Jamil, Anos depois, nossas bons encontros sempre regados a boas risadas quando eu, você, Odon, Emory e a outra Thereza nos dispusemos a fazer um curso juntos. Um grande abraço, meu amigo.
 
tereza cristina razuk em 29/08/2013 12:34:44
Maravilha Odilon. Não podemos jamais esquecer nossos antepassados. Lembro que ali, ao lado, era a antiga Rodoviária.
 
Pedro Vinholi em 29/08/2013 11:58:28
Parabéns pela reportagem! Sou o primogênito dos 4 filhos do Odilon. É com muito orgulho que leio essa reportagem que mostra um pouco da história de uma das primeiras famílias de Campo Grande, que juntamente com outras famílias tradicionais ajudaram a construir a cidade, marcando para sempre seu registro e história. Meu pai é um exemplo de amor à arte do Taichi, Shiatsu e Do-in, fazendo de seu ofício um ato de amor ao próximo.
 
Thiago Nakazato em 29/08/2013 11:47:04
Bom dia!
Odilon, grande massagista.
Já me tirou de várias crises de coluna, com delicadeza e suas técnicas.
Abraços
 
Renata Cortada Dupas em 29/08/2013 11:08:38
Odilon, parabéns, lhe conheci antes de ser Deputado, através de um falecido assessor seu, o senhor Ulisses Osvaldo da Paixão, ou somente PAIXÃO, abraços.
 
Juracy Ribeiro em 29/08/2013 09:09:39
Ai que saudades das aulas de Taichi Shuan, que eu fazia com o professor Odilon Nakasato, alem de serem divertidas, um pessoal bem amigos, ainda faziam bem para o corpo e mente. Volta professor com as aulas, que eu voltarei como aluna.
 
Ana Maria de freitas lopes em 29/08/2013 08:51:47
Parabéns pela reportagem, o Odilon Nakzato, na sua humildade, não mencionou que além dos seus conhecimentos na área de inglês, que diga-se de passagem, foi meu professor no Colégio Osvaldo Cruz, em 1970 e alguma coisa, rsrs, foi também vereador e Deputado Estadual.
 
ANTONIO ARI REZENDE em 29/08/2013 08:02:37
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.