A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

12/01/2015 06:23

No alto de morro, família mora em casa de pedra e com cachoeira no quintal

Aline Araújo
A casa feita de pedra chama atenção na paisagem. (Fotos: Alcides Neto)A casa feita de pedra chama atenção na paisagem. (Fotos: Alcides Neto)

A cena parece de filme. A casa feita de pedra no alto de um relevo, com flores amarelas em volta e um pé de goiaba na frente é de encantar os olhos. Reduto de uma família que vive na tranquilidade, abençoada por uma vista da janela de tirar o fôlego e uma cachoeira no quintal de casa, para os momentos de lazer.

Veja Mais
A pé, Tulia faz percurso de 10 km até biblioteca onde aprendeu a ser feliz
Passada "nuvem negra" que trouxe o câncer, rosa tatuada no braço une 4 mulheres

A equipe do Lado B descobriu o “mini paraíso”, que fica a 10 quilômetros de Campo Grande, um pouco depois do Inferninho, meio por acaso. A caminho para outra pauta, pedimos uma informação, mas a imagem era linda demais e merecia um registro.

Caseiro dali, Daniel é quem cuida dos animais e faz tudo para manter a propriedade linda. (Foto: Alcides Neto)Caseiro dali, Daniel é quem cuida dos animais e faz tudo para manter a propriedade linda. (Foto: Alcides Neto)

Assim começou a conversa com Daniel Infran de Oliveira, de 44 anos, acompanhado da esposa, Ana Claudia Barboza, de 27, dos dois filhos, Danilo de 4 e Stefani de 6, e dos quatro cachorros (Pequeno, Menina, Bicudo e Menino) companheiros na lida do campo.

Daniel explica que não é o proprietário da casa. Ele é caseiro dali e é quem cuida dos gados, cavalos, das cercas e faz tudo que for preciso para manter a propriedade do patrão sempre linda. “O povo diz que aqui é perigoso, mas não é não, é maravilhoso. Uma tranquilidade só!” comenta contente.

A casa feita de pedra, segundo informação dos donos, deve existir há mais de 80 anos. Quando os atuais proprietários compraram a área, a residência já estava erguida. Daniel conta que conheceu o atual patrão trabalhando como empreiteiro, depois pegou o trabalho para uma “roçada”, para terminar de construir o “mangueiro” e, por fim, veio o convite para ser caseiro. “Acho que ele gostou do meu trabalho, porque estou aqui até hoje”, brinca.

Fomos recebidos com tereré e muita hospitalidade pelo casal e pelas crianças. (Foto: Alcides Neto)Fomos recebidos com tereré e muita hospitalidade pelo casal e pelas crianças. (Foto: Alcides Neto)

Linda e simples, a casa tem quatro cômodos e o chão é de pedra. Sem muitos móveis, mas tudo com muito cuidado com muito carinho. Luxo mesmo é ter como vista, de um lado um campo e um horizonte que convida a uma foto e, do outro uma mata e para completar, a cachoeira no quintal. “O pôr do sol ali atrás é lindo” comenta Claudia, que não é de falar muito.

Ela que sempre viveu na cidade, viu a vida no campo começar há seis anos, quando mudou com Daniel para a chácara. Juntos há oito, o casal se trata como “amor” e transparece no sorriso o bem que viver em paz traz.

Daniel foi criado na roça, acabou que nunca estudou, mas sempre foi trabalhador. Morava em Nova Alvorada, juntou um dinheiro e resolveu abrir um boteco em Campo Grande. Mas a saudade do campo foi maior e o negócio só durou seis meses. Não vingou, mas foi ali que ele e Claudia se conheceram.

O lugar protegido pela mata fechada encanta. (Foto: Alcides Neto)O lugar protegido pela mata fechada encanta. (Foto: Alcides Neto)
São duas as cachoeiras que são como presente aos moradores no fundo de casa. (Foto: Alcides Neto)São duas as cachoeiras que são como presente aos moradores no fundo de casa. (Foto: Alcides Neto)

Depois de tudo arrumado por ali, ele mudou de mala, cuia e família. Fruto do amor de Daniel e Cláudia, os filhos são apaixonados pelo lugar onde vivem. A diversão está em ir ao rio que fica nos fundos da propriedade ou até mesmo dar uma volta de trator quando o pai vai trabalhar. “Eu sou uma 'peixinha', não posso ver água que já vou nadando”, conta Stefani, aos risos.

Na verdade são duas cachoeiras, uma menor embaixo de um figueira bem próxima da casa e uma com queda maior, um pouco mais distante. O lugar protegido pela mata fechada encanta e arrancou sorrisos de toda a equipe. "Que coisa maravilhosa você tem no quintal de casa seu Daniel", comentei, ele apenas sorriu.

A vida da família Oliveira ali parece coisa de sonho e inspiração. (Foto: Alcides Neto)A vida da família Oliveira ali parece coisa de sonho e inspiração. (Foto: Alcides Neto)

Agora as crianças estão de férias, mas em época de aulas o ônibus pega na porta de casa. Fomos recebidos com tereré e muita hospitalidade pelo casal, pelas crianças e até pelos cachorros que nos acompanharam durante toda a conversa.

Para mim, que sou “bicho grilo”, como brincam os colegas, a vida da família Oliveira é coisa de sonho e inspiração. O pé de goiaba, a hortinha no fundo de casa, a vista maravilhosa e um banho de cachoeira a poucos metros são motivos suficientes para agradecer. Porque luxo, é viver bem, em um lugar bonito, com quem se ama.

Porque luxo, é viver bem, em um lugar bonito, com quem se ama. (Foto: Alcides Neto)Porque luxo, é viver bem, em um lugar bonito, com quem se ama. (Foto: Alcides Neto)



A felicidade está sim nas coisas simples, mas simples e belas.
 
wild em 12/01/2015 23:53:17
Tomara que o patrão não fique bravo pelas imagens publicadas, afinal o empregado pode receber visita, mas publicar fotos em jornal, creio que deve passar pelo proprietário.
 
Roma em 12/01/2015 21:25:19
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.