A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

15/02/2016 06:45

No estoque ou na cozinha, doador de tempo é precioso na luta contra câncer

Laryssa Caetano
Iracy na Brinquedoteca. (Foto: Laryssa Caetano)Iracy na Brinquedoteca. (Foto: Laryssa Caetano)

Nos últimos 15 anos, assistente administrativa aposentada Iracy Silveira (71) encontrou sua vocação que mantém a agenda cheia: já foi atendente do Disk Aborto, é voluntária na brinquedoteca da AACC/MS (Associação dos Amigos das Crianças com Câncer do Mato Grosso do Sul) e realiza visitas periódicas a pessoas conhecidas que, por um motivo ou outro, não estejam bem. “Quando a gente conversa, compartilha os problemas e isso já faz a gente se sentir melhor”, diz.

Veja Mais
A pé, Tulia faz percurso de 10 km até biblioteca onde aprendeu a ser feliz
Passada "nuvem negra" que trouxe o câncer, rosa tatuada no braço une 4 mulheres

Há dois anos trabalhando na brinquedoteca, ela explica sua função sorrindo: “Aqui a gente faz de tudo, pula, rola no chão”. Para a voluntária, o tempo passa devagar nos dias em que não há crianças com quem brincar. Orgulhosa, ela torna-se criança novamente enquanto distrai um menino hospedado na casa de apoio.

Hoje, no Dia Internacional do Combate ao Câncer Infantil, histórias como a de Iracy surgem para inspirar outros doadores de tempo.

A equipe de voluntários ativos da AACC/MS é composta por cerca de 500 pessoas, na maioria aposentados, empresários, profissionais liberais e donas de casa.

A instituição atendeu 128 crianças em 2015, com hospedagem durante o tratamento, alimentação, atendimento nutricional e fisioterápico, acompanhamento psicológico dos pais que as acompanham e família, doação de cesta básica e espaço de recreação. Disposição e flexibilidade na agenda permitiram que todos encontrassem uma função para desempenhar, muitas vezes fora da área de atuação, tornando-os não apenas doadores de talentos, mas doadores de tempo.

Diogo trabalho no estoque, como voluntário da AACC/MS. (Foto: Laryssa Caetano)Diogo trabalho no estoque, como voluntário da AACC/MS. (Foto: Laryssa Caetano)
Sueli ajuda fazendo tortas.(Foto: Laryssa Caetano)Sueli ajuda fazendo tortas.(Foto: Laryssa Caetano)

Diogo Watanabe, de 23 anos, é outro a mostrar que disposição é algo valioso na luta contra a doença. Ele é jogador profissional de pôquer, mas na AACC/MS é responsável pelo controle de estoque. Os alimentos são recebidos diariamente por meio de doações são destinados às cestas básicas, à alimentação dos hóspedes e colaboradores da casa de apoio e à cozinha, que produz e vende salgados para arrecadar recursos para a instituição.

Já faz mais de um ano que ele dedica uma manhã da semana para a manutenção do estoque. “Tenho horário flexível, disposição, vontade de ajudar o próximo e moro perto. Faz sentido eu ajudar aqui”, explica.

Quando morou na Califórnia, estado do Oeste dos Estados Unidos, Diogo percebeu que os próprios surfistas puxavam para si a responsabilidade de manter a praia limpa, com a consciência moral de devolver à sociedade um pouco daquilo que se recebe. “Cada um ajuda como pode, uns doam recursos outros doam a si mesmos”, enfatiza.

Cada alimento que chega ao estoque é inserido no sistema e a data de validade é verificada. Diogo higieniza as embalagens, seleciona e monta os kits das cestas. Quando há muitas doações, a cesta fica cheia. Quando não, vai o básico: arroz, feijão, carne, açúcar e macarrão.

As famílias que se hospedam na casa de apoio são as principais beneficiadas pelas cestas, pois muitas são carentes e vivem no interior do Estado. Outro time de voluntários é responsável pela coleta e entrega de cestas que são entregues a famílias de Campo Grande.

Tatiana trabalha na loja da AACC. (Foto: Laryssa Caetano)Tatiana trabalha na loja da AACC. (Foto: Laryssa Caetano)

Agenda flexível - A designer de interiores Tatiana Molento (35) também conseguiu inserir na agenda o voluntariado: faz dois anos que ela trabalha nos eventos da instituição e atualmente é voluntária do bazar da AACC/MS, que funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 11 horas e das 12h às 17h30.

Muitos voluntários trabalham há anos nos bastidores e contribuem anonimamente para a manutenção da instituição. Sueli Márcia Pires de Oliveira (51) trabalha há seis anos na cozinha de produção da AACC/MS uma vez por semana. Ela faz parte da equipe que produz e vende tortas doces e salgadas, pães, bolos e salgados. A cozinha possui um ponto de venda no varejo: uma lanchonete que fica aberta das 9h às12 horas e das 13h às 17 horas. Para encomendas, a cozinha atende pelo telefone (67) 3322-8053.

Combate ao Câncer Infantil - No Brasil, o câncer é a segunda maior causa de morte de crianças e adolescentes. Em 18 anos de existência, a AACC/MS contribuiu, em parceria com o Hospital Regional do MS, para que a taxa de cura do câncer infantojuvenil saltasse de 2% para 67%.

Única casa de apoio no Estado, a AACC/MS presta serviços à família da criança com câncer durante todo o tratamento, que dura em média de dois a cinco anos. A instituição só se mantém em funcionamento graças a parcerias, convênios, campanhas, eventos e doações realizadas pela comunidade sul-mato-grossense.

 




imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.