A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 02 de Dezembro de 2016

23/12/2015 06:23

Nos fundos de casa, noivas dizem sim uma à outra em festa iluminada e romântica

Paula Maciulevicius
Kathya e Thaisa se conheceram através de uma amiga que enxergou entre elas uma paixão, antes mesmo de existir. (Foto: Raquel Ovelar)Kathya e Thaisa se conheceram através de uma amiga que enxergou entre elas uma paixão, antes mesmo de existir. (Foto: Raquel Ovelar)

Elas abriram os fundos de casa para compartilhar sua história e fazer um novo capítulo junto de 50 convidados. Depois de oito anos juntas e a união estável no papel, Thaisa e Kathya, decidiram celebrar em uma confissão pública, o quanto se amam. Decidiram se casar. O lugar escolhido foi a própria casa onde, corredor, área gourmet e jardim dos fundos serviram de cenário para a troca de alianças. Tudo feito por elas mesmas, com a delicadeza de quem convidou os presentes a cultivarem o amor.

Veja Mais
Datilografado, pedido de casamento revelou primo apaixonado em 1980
Super-heroi, Pedro precisa de ajuda para continuar salvando a alegria da família

As duas se conheceram graças a uma amiga - hoje madrinha do casamento - que enxergou entre elas uma paixão, antes mesmo de existir. À época, a ferramenta usada era o MSN. As duas se adicionaram e meses depois, marcaram de se encontrar. "Conversamos algumas vezes por telefone, marcamos de nos encontrar e foi uma sintonia total. A gente não se separou mais", conta a funcionária pública, Thaisa Frias Lopes, de 34 anos. Um mês depois, elas já estavam morando juntas. 

O casamento foi no último dia 18, quando elas comemoram a data em que passaram a dividir o mesmo teto. Dentro destes anos, a moradia foi Campo Grande e até Rondônia, devido à uma transferência de Kathya. Na volta, dois anos atrás, elas começaram a construção da casa, terminada em julho deste ano. Aí começaram os planos de fazer um casamento.

Varal de lâmpadas deixou decoração romântica. (Foto: Raquel Ovelar)Varal de lâmpadas deixou decoração romântica. (Foto: Raquel Ovelar)
De lembrança, convidados levavam flores. (Foto: Raquel Ovelar)De lembrança, convidados levavam flores. (Foto: Raquel Ovelar)
Como elas, noivas estavam iguaizinhas as do bolo. (Foto: Raquel Ovelar)Como elas, noivas estavam iguaizinhas as do bolo. (Foto: Raquel Ovelar)
Cultive o amor, era a mensagem que elas queriam passar. (Foto: Raquel Ovelar)Cultive o amor, era a mensagem que elas queriam passar. (Foto: Raquel Ovelar)
Decoração saiu das mãos das próprias noivas, na área gourmet de casa. (Foto: Raquel Ovelar)Decoração saiu das mãos das próprias noivas, na área gourmet de casa. (Foto: Raquel Ovelar)
Quando decidiram abrir as portas da casa, as ideias começaram a surgir. (Foto: Raquel Ovelar)Quando decidiram abrir as portas da casa, as ideias começaram a surgir. (Foto: Raquel Ovelar)

Thaisa explica que as duas já vinham querendo oficializar a união por vários motivos, entre eles a segurança jurídica e também pela questão simbólica. "É um rito de passagem", completa a bancária Kathya Lima de Frias Lopes, de 43 anos. De início, seria apenas a assinatura em cartório, mas para que não passassem em branco, elas decidiram juntar o casamento e a inauguração da casa.

"Não queria uma festa de casamento, ia ser um jantar intimista, mais aconchegante e como a gente tinha acabado de construir, seria uma forma de as pessoas conhecerem e saberem onde a gente estava morando", explica Thaisa. A casa toda foi pensada para receber amigos e familiares, desde o tamanho da área gourmet ao projeto de iluminação.

Quando decidiram abrir as portas da casa, as ideias começaram a surgir, em parte pela internet e também por amigos que passaram a se envolver com a festa. A fotógrafa sugeriu o varal de lâmpadas no jardim, enquanto a mãe de Thaisa se encarregou das bonequinhas do bolo, por exemplo. O toque de cada um deixou a festa muito aconchegante.

"Tudo foi feito com muito carinho, a gente queria que as pessoas ficassem à vontade", descrevem as noivas. O cardápio foi rodízio de pizza, de modo que os convidados pudessem comer e ainda confraternizar. "Se tratavam de pessoas íntimas nossas, a gente queria um ambiente aconchegante e num lugar onde estávamos inaugurando. Então juntamos vários pontos", enumera Kathya.

O beijo, o primeiro dado em público. (Foto: Raquel Ovelar)O beijo, o primeiro dado "em público". (Foto: Raquel Ovelar)
Thaisa com as três mães, biológica e as duas tias. (Foto: Raquel Ovelar)Thaisa com as três mães, biológica e as duas tias. (Foto: Raquel Ovelar)
No corredor, música ao vivo com Karina Marques. (Foto: Raquel Ovelar)No corredor, música ao vivo com Karina Marques. (Foto: Raquel Ovelar)

O pergolado de madeira foi quem puxou a decoração para o rústico. As mesas e cadeiras seguiam a cor marrom e os aparadores, ganharam flores "mosquitinho". "A gente gostaria de dizer e mostrar como fica aconchegante quando você faz alguma coisa no ambiente que é seu. Você traz a sua história e reparte com o outro", resume Kathya.

A ideia era exatamente essa, de dividir as histórias. "Nossa história de vida é muito bacana, desde o nosso primeiro encontro, nos encontramos e nunca mais nos separamos", enfatiza. A união delas tinha a "aprovação" e o apoio de todos os familiares. Só Thaisa tem três mães, a biológica e duas tias que a criaram.

Não havia uma cerimônia pensada. Elas pediram para que os convidados chegassem às 20h30, horário em que ainda terminavam de decorar o espaço. Subiram para os quartos, se arrumaram e desceram. Thaisa tinha acompanhado a noiva na costureira e sabia dos detalhes da blusa e da calça. Já o vestido dela, verde água, era uma surpresa total para Kathya. De mãos dadas, quando voltaram aos fundos, foram recebidas com o carinho em forma de aplausos. De mesa em mesa, elas foram passando para cumprimentar cada um dos presentes. Houve discurso das duas e de um amigo.

"O que ele falou ficou marcado: que era a nossa confissão pública de amor", recorda Thaisa. Como lembrança, cada um levava para casa um pequeno vaso de rosa com a tag "Cultive o amor", uma mensagem que as noivas escolheram passar para todos.

"A ideia é essa, de que o amor você precisa cultivar, podar, regar, cuidar. Você espera ele crescer, cuida. Não são palavras, mas as atitudes que você têm todos os dias. Aquela rosinha, para que ela permaneça viva, você tem que ter atitude e o amor é isso: atitude e é o que eu venho mostrando para a Thaisa ao longo dos nossos anos de vida", descreve Kathya.

O casamento, além de um rito, era também o momento do primeiro beijo delas "em público". "Nunca tínhamos feito na frente das pessoas, mas eu falei para a Kathya: a gente vai dar beijo na festa? Eu pensei, quem está ali está sabendo que é um casamento, então é normal que tenha o beijo, você espera que isso aconteça. E foi natural, tranquilo e extraordinário. Para a gente, foi um presente", finaliza Thaisa. 

Curta o Lado B no Facebook.

O que ele falou ficou marcado: que era a nossa confissão pública de amor, recordam as noivas. (Foto: Raquel Ovelar)"O que ele falou ficou marcado: que era a nossa confissão pública de amor", recordam as noivas. (Foto: Raquel Ovelar)



imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.