A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

22/07/2015 06:54

O desabafo de um professor que não desiste de sonhar com a educação

Mariana Monge
Alguém muito especial, com certeza, irá salvar a educação em nossa cidade, em nosso estado e no nosso Brasil. (Foto: Arquivo Pessoal)"Alguém muito especial, com certeza, irá salvar a educação em nossa cidade, em nosso estado e no nosso Brasil". (Foto: Arquivo Pessoal)

Estava eu à procura de inspiração para escrever sobre um assunto que há um tempo vem me incomodando: a forma como os professores estão sendo tratados no Brasil. E não digo apenas por governantes, mas também por próprios cidadãos e até por pais de alunos, que, na minha opinião, deveriam ser os primeiros a tratá-los com todo o respeito que merecem.

Veja Mais
Astrologia védica mostra o futuro, mas também ensina a aceitar o destino
Como mágica, o amor encontrou o palhaço e romance vive liberdade em belas fotos

E a minha busca cessou quando me deparei com um desabafo do meu próprio pai, que é professor. Pensei em usar algumas partes do texto dele para me expressar, mas entre um rabisco e outro, não me convenci de que superaria as palavras dele, escritas com tanta verdade e sentimento. Por isso, aqui vai na íntegra o desabafo de um educador:

"Sou professor e, como um profissional da educação, acredito que os sonhos de proteger, defender e ensinar nossas crianças ainda não acabou.

É ultrajante ver um professor, que mesmo sendo desvalorizado, exerce um trabalho de qualidade, que é seu dever, enfrentando enormes desafios para levar ensino de qualidade e formação ética e moral para nossos adolescentes.

Enfrentamos salas de aula com mais de 30 alunos, em um desafio de fazê-los cidadãos do bem, com futuro promissor. Muitos alunos vindos de lares despreparados, com famílias desestruturadas, convivendo com situações que ocorrem nas escolas e em seus lares que nos causam cada vez mais perplexidade e angústia, encontram professores que muitas vezes precisam se articular, fazer verdadeiros milagres, trabalhando valores e condutas além do conteúdo para serem intitulados de incompetentes.

Será que essa situação é realmente necessária? A educação não está entre as prioridades de nossos governantes? Como transformar pequenos cidadãos em pessoas ilustres, solidárias, educadas, competentes, guerreiros, lutadores por seus ideais, se a classe está à mercê de total depredação?

Meu sonho não acabou, não acredito que nos que estão tentando destruí-los.

A educação brasileira enfrenta o dilema de lidar com alunos provindos de lares conflituosos, onde os parâmetros morais e éticos são insuficientes e acarretam dificuldades de aprendizagem, fazendo com que a escola tenha mais uma função: a de servir como rota natural para o desenvolvimento individual e social da criança e do adolescente.

Amo minha profissão. Tenho orgulho de ser professor, mas tudo tem um limite e o preço que temos que pagar, para mim não vale a pena. Não desejo ser herói, que morre por seus ideais. Quero ser um professor que vive e contribui para ajudar o próximo a alcançar o sucesso.

Tenho fé! Deus está com os seus. Alguém muito especial, com certeza, irá salvar a educação em nossa cidade, em nosso estado e no nosso Brasil".

Por Álvaro Roberto Benedito Ferreira
(professor de Educação Física e meu melhor professor da vida)

*Mariana Monge é jornalista e colaboradora do Lado B. Mais texto na página Mariana Monge.




imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.