A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

19/03/2015 06:25

Página do Facebook revive festas e história das Moreninhas da década de 80

Aline Araújo
Recordações dos amigos Ederval e Marcelo.  (Foto: Reprodução Facebook)Recordações dos amigos Ederval e Marcelo. (Foto: Reprodução Facebook)

Revendo os arquivos guardados há anos em casa, os amigos Ederval França, de 40 anos e Marcelo Lima Marques, 40, tiveram a ideia de montar uma página no Facebook para preservar lembranças do bairro das Moreninhas. Lá eles postam fotos e vídeos dos eventos que existiram na região desde 1987.

Veja Mais
Caligrafia da escola rendeu à Marystella a profissão de designer de lousas a giz
Luis ganhou o título de presidente e hoje é dono da própria cadeira no bar

A iniciativa de abrir o baú de memórias das Moreninhas surgiu sem nenhuma pretensão, exceto de provocar risos e despertar a nostalgia do passado, e hoje a página já tem mais de 2 mil seguidores. Ederval tem duas profissões, é torneiro mecânico e DJ, hobby que virou trabalho nas brincadeiras durante as festas da vizinhança. Foi assim que ele e Marcelo se conheceram.

“A gente começou com 17 anos. Eu tinha um pouco de equipamento e ele tinha mais um pouco, então quando tinha festa na vila, a gente ia tocar. De graça mesmo no começo. Depois a gente começou a promover os eventos no centro comunitário”, conta Ederval, ou DJ França, como é conhecido no bairro.

De reuniões de amigos a grandes eventos do bairro. O que os Djs guardaram, agora eles podem compartilhar. (Foto: Reprodução Facebook)De reuniões de amigos a grandes eventos do bairro. O que os Djs guardaram, agora eles podem compartilhar. (Foto: Reprodução Facebook)

Ele deixa claro que o único objetivo da página é valorizar as pessoas, que elas se reconheçam um pouco na história da qual fazem parte. O “Museu das Moreninhas” reúne um apanhado guardado com carinho, que já recebe contribuições das pessoas.

Sem muito texto, lá as imagens falam por si. Quem se reconhece deixa um comentário, marca um amigo. “O pessoal da Moreninhas em peso” , “Bons tempos, todos se divertiam pacas e agora ficam só na lembrança”, são alguns dos depoimentos deixados na página, de quem se identifica e sente saudades.

Uma das relíquias postadas é um vídeo 1987. Nele muitas pessoas dançam, e foi uma das primeiras contribuições que a página recebeu dos moradores. “Eu me assustei, em duas semanas mais de mil pessoas tinham curtido. Esse vídeo de 1987 eu estava nele, mas não era meu. Foi a festa de aniversário de uma vizinha e ela que me deu para postar”, comenta França.

Algumas fotos mostram brincadeiras no bairro. (Foto: Reprodução Facebook)Algumas fotos mostram brincadeiras no bairro. (Foto: Reprodução Facebook)

A página tem feito sucesso, e em geral todo mundo tem gostado de de se ver na rede. Até hoje só três pessoas pediram para que uma foto ou outra seja retirada, na maioria por vaidade ou ciúmes. “A gente cuida as mensagens todos os dias, porque se alguém pede para retirar uma foto nós tiramos”, explica.

O último caso, segundo o administrador da página, foi de uma mulher que viu uma foto antiga do marido, quando ele tinha outra namorada. “Ela pediu para tirar, porque agora eles eram casados. Eu disse que não tinha nada a ver, mas para evitar problemas retirei a foto”, conta.

Segundo o DJ, o bairro era muito movimentado até 2005, por isso muitas recordações vem dessa época. Depois, ele relata, que ficou mais difícil fazer festa, porque o centro comunitário não pode mais ser utilizado e eles ficaram sem lugar para os eventos. "Até hoje falta, aqui não tem lugar para fazer as festas. Então elas foram diminuindo”.

Além das comemorações, a página reúne fotos do time de futebol do bairro, o Barcelona, e recordações de momentos de interação da comunidade. 

O pessoal do bairro, em sua maioria continua morando lá e a página vem cumprindo o seu papel, de maneira singela, que é recordar os momentos vividos por nas Moreninhas.

Talvez para muita gente de fora a página não faça nenhum sentido. Mas para quem viveu a infância e a adolescência no ali ela é muito relevante. É um pedaço da memória para mostrar como as coisas eram. Se ficou curioso acesse o Museu das Moreninhas. 

Além da festa, o time de futebol ganhou espaço na memória. (Foto: Reprodução Facebook)Além da festa, o time de futebol ganhou espaço na memória. (Foto: Reprodução Facebook)



imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.