A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

27/08/2014 06:50

Pai cria reunião só para homens discutirem como lidar com os filhos

Paula Maciulevicius
Roberto garante que os pais também tem relatos para dividir como por exemplo as noites de sono. (Foto: Marcelo Victor)Roberto garante que os pais também tem relatos para dividir como por exemplo as noites de sono. (Foto: Marcelo Victor)

"Na lista do que levar para a maternidade, para a criança tinham 18 itens, para a mãe também uns 20, para o pai eram três: pijama, escova de dentes e chinelos. Isso resume a importância do pai e não é bem assim". Relembra o arquiteto Roberto Ungerer, de 46 anos, ao se preparar para a chegada de Marina, hoje com 2.

Veja Mais
Caligrafia da escola rendeu à Marystella a profissão de designer de lousas a giz
Luis ganhou o título de presidente e hoje é dono da própria cadeira no bar

"Culturalmente", são mais as mães que participam mesmo de toda preparação do antes e o compartilhamento de histórias do 'depois', mas Roberto garante que os pais também tem relatos para dividir. "Dormir? Até hoje eu não sei o que é dormir bem, dormir direto, tranquilo. Só quando viajei à trabalho, mas esse momento não conta", comenta. Dentro dessas conversas que podem ser desde o humor da esposa até episódios do dia a dia que médicos não explicam e os livros também não, é que o arquiteto quer trocar experiências entre pais.

Marina, hoje com 2 anos, foi a responsável pela mudança na vida de Roberto.  (Foto: Marcelo Victor)Marina, hoje com 2 anos, foi a responsável pela mudança na vida de Roberto. (Foto: Marcelo Victor)

Como um clube do bolinha, ele convidou um grupo para conversar neste próximo sábado. "É uma troca de informação, um bate papo descontraído e só de pais até para eles ficarem mais à vontade em falar de repente que a minha mulher estava assim, assado, teve isso, aquilo", divide.

O papo não será de especialista e público e sim uma breve introdução e apresentação de cada um. "Vou puxar o assunto, falar da minha experiência. Vamos falar de dúvidas, medos, se eu passei por uma situação, alguém ainda vai passar. Um pai pode dizer que a filha dele teve aquilo e que é normal, essa troca de informação vai ajudar a entender melhor a criança e o pai", exemplifica.

Além das noites mal dormidas no currículo, Roberto fala abertamente dos primeiros seis meses da filha, que foram como de qualquer bebê. "Quando nasce, a criança é sem graça. Ela só mama, dorme, chora, você tem que trocar fralda, ela não interage, só dá trabalho. É lindo, mas e aí meu filho, vamos brincar? Só a partir dos seis meses que começa a ficar mais interessante e daí cada fase se torna mais divertida. É cansativo e gostoso também ver que ela está crescendo, se desenvolvendo", descreve.

Desde a gestação da esposa, Roberto assumiu que também estava grávido. Nos preparativos para receber a primeira filha, o casal mudou de vida e fundou uma empresa especializada em assessoria à gestante e à família. Dentro da nova rotina, de ser pai, Roberto procurou ler o que havia no mercado, fez todos os cursos para gestantes, mas na prática, viu que não sabia quase nada. "Faltou muita informação que eu gostaria de ter tido e não tivemos e aí começamos a ver a necessidade de mudar", explica. E ele segue essa linha até hoje.

O primeiro encontro já tem o tema "Como meu filho vai nascer", para abordar a paternidade desde a raiz, mas para os próximos, Roberto acredita que os assuntos devem surgir naturalmente. "O encontro que vai dizer, estamos aprendendo, para onde vamos, não sabemos ainda, o tempo que vai nos dizer", resume.

Já são esperados 10 pais, mas a reunião é de graça e está aberta. O primeiro encontro é neste sábado, dia 30, às 18h, na cafeteria Fran’s Café, na esquina das ruas Cândido Mariano e 13 de Junho. As inscrições podem ser feitas pelo site www.papodegaia.com.br ou pelo telefone 3046-6240 das 14h às 20h.

O primeiro encontro já tem o tema Como meu filho vai nascer para abordar a paternidade da raiz. (Foto: Marcelo Victor)O primeiro encontro já tem o tema "Como meu filho vai nascer" para abordar a paternidade da raiz. (Foto: Marcelo Victor)



imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.