A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

10/04/2016 09:05

Precisamos de muito pouco, a felicidade pode caber dentro de uma mochila

Thailla Torres
Precisamos de muito pouco, a felicidade pode caber dentro de uma mochila

A vida de Maristela Vargas Peixoto, de 50 anos, nunca mais foi a mesma depois que decidiu realizar um sonho. Há 3 meses, a ginecologista voltou da África, onde durante 10 dias foi voluntária. A viagem rendeu uma transformação, que hoje ela relata aqui no Voz da Experiência.

Veja Mais
Astrologia védica mostra o futuro, mas também ensina a aceitar o destino
Como mágica, o amor encontrou o palhaço e romance vive liberdade em belas fotos

Há seis anos eu comecei a participar como voluntária dando assistência a crianças carentes no bairro Jardim Noroeste. Dentro do movimento voluntário, a gente acaba conhecendo pessoas importantes, que nos levam a outros caminhos.

Um dia um amigo me disse sobre o grupo Fraternidade Sem Fronteiras e eu sabia que ele também já tinha ido à África. Era um sonho antigo, como médica e pessoa. Eu havia entrado no voluntariado em busca de paz interior e com a vontade de ajudar, pois sempre fiz e gostei.

Foi aí que em janeiro surgiu a oportunidade de viajar com o grupo. Ficamos em Moçambique e a experiência na foi única. Quando chegamos à noite em uma aldeia piloto, em que ficavam cerca 200 crianças, todos estavam nos esperando cantando e abraçando, eu simplesmente cai aos prantos.

As crianças são muito carentes e quando chegamos no País, começamos a ter contato com uma realidade de crianças que estavam fora do centros de acolhimento. Lidamos com pessoas que estão em completa escassez de comida, saúde e carinho. Muitas, os pais faleceram com AIDS, malária e até desnutrição.

Ver sorrisos de gratidão e carinho é o que nos fortalecia para continuar ajudando. Sem dúvida nenhuma, não dá para passar por essa experiência sem mudar.

Maristela passou 11 dias em um alojamento para ajudar as comunidades. (Fotos: Arquivo Pessoal) Maristela passou 11 dias em um alojamento para ajudar as comunidades. (Fotos: Arquivo Pessoal)
Para ela, o sorriso e alegria das crianças, foi recompensador. Para ela, o sorriso e alegria das crianças, foi recompensador.

Em 2010, fiz o Caminho de Santiago e eu já sabia que a gente precisava de muito pouco para sobreviver. Foi durante toda a viagem e o meu trajeto, que percebi que a felicidade pode caber ali, dentro de uma mochila. Por isso, acho importante lembrar que a gente não precisa de muito e tudo que a gente tem a oferecer, devemos compartilhar.

Quando eu voltei ao Brasil, não podia ver comida que eu chorava lembrando das crianças que tinham fome, enquanto eu aqui tenho tudo. Aqui se tem o hábito de gastar água. Desde a minha experiência, peço ajuda e consciência, diante de tantas pessoas que passam sede.

E hoje eu acredito muito mais nas pessoas, principalmente quando eu vejo jovens ajudando. O trabalho é algo que a gente não deve fazer só quando tem tempo de sobra, mas é um compromisso que você assume dali por diante. A diferença é que a remuneração não vem em dinheiro, ela chega em amor, carinho, no prazer de ajudar e na gratidão das pessoas

Pretendo voltar para África e pretendo voltar muitas vezes. A viagem me motivou para continuar aqui com meu trabalho e também como voluntaria, em que estou cada vez mais engajada.

Hoje estou em duas ONGs. Uma é Instituto Amigos do Coração e a outra é Associação Amigos de Maria, que dá assistência a 140 famílias carentes do bairro Jardim Noroeste. Lá atendo e acompanho 30 grávidas.

Com isso, vejo que supérfluo ficou menor ainda e comecei a valorizar muito mais a minha família e meus amigos.

 

Hoje, a médica ressalta que acredita muito mais na humanidade. (Fotos: Arquivo Pessoal)Hoje, a médica ressalta que acredita muito mais na humanidade. (Fotos: Arquivo Pessoal)
Em um dos abrigos, há mais de 200 crianças que recebem os cuidados. Em um dos abrigos, há mais de 200 crianças que recebem os cuidados.



imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.