A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

20/05/2015 06:23

Preparado em 6 meses, casamento foi despedida da vida de solteiros e do Brasil

Naiane Mesquita
Para acompanhar Leandro durante doutorado em Lyon, Heloísa preparou o casamento em seis meses (foto: Lusival Júnior)Para acompanhar Leandro durante doutorado em Lyon, Heloísa preparou o casamento em seis meses (foto: Lusival Júnior)

Assim como a personagem do filme francês "O Fabuloso Destino de Amélie Poulain", a psicóloga campo-grandense Heloísa Helena Menk Rota, 27 anos, percebeu nos últimos meses a importância dos pequenos detalhes para construir um cenário perfeito e do companheirismo para viver um grande amor.

Veja Mais
A pé, Tulia faz percurso de 10 km até biblioteca onde aprendeu a ser feliz
Passada "nuvem negra" que trouxe o câncer, rosa tatuada no braço une 4 mulheres

Casada há pouco mais de um mês com Leandro Ishi Soares de Lima, Heloísa precisou lidar bem com as emoções ao subir no altar em Campo Grande, e poucos dias depois em um avião com destino a Lyon, na França.

A cerimônia, que ocorreu há pouco mais de um mês na capela da escola Nossa Senhora Auxiliadora, teve como trilha sonora justamente as músicas francesas do filme. "Sempre foi um dos meus preferidos e a música combinava perfeitamente com a atmosfera, com a nossa mudança para a França. Além do filme, colocamos uma música do Star Wars, que quase ninguém notou e de Game of Thrones, nosso seriado favorito", relembra.

Heloísa largou a carreira de psicóloga para viver a experiência de morar fora do paísHeloísa largou a carreira de psicóloga para viver a experiência de morar fora do país

Apesar do bom humor dos noivos, por culpa do tom de despedida presente em toda a festa, Heloísa conta que foi difícil controlar as lágrimas, principalmente de Leandro. "Lógico que tem todo o sentimento de noiva, eu chorei muito, o Leandro chorou muito, e isso foi uma surpresa. Estou casando com a pessoa que eu amo, mas com o sentimento de que daqui uma semana eu vou embora, daqui uma semana eu não vou ver essas pessoas tão cedo, não foi fácil", lembra.

O sentimento ainda foi potencializado pelo carinho da família, que participou da confecção de alguns detalhes da cerimônia ao lado da noiva.

"Muitos detalhes foram nós que fizemos. Eu fiquei muito feliz, a minha família participou, a família do Leandro, foi muito gostoso. Posso dizer que muitas coisas nós fizemos com as mãos, até por uma questão dos custos, queríamos que sobrasse dinheiro para a mudança", explica.

Como se não bastasse toda essa emoção, o roteiro do pré-casamento também foi digno de cinema. A decisão de subir ao altar ocorreu em questão de meses.

"Quando nós percebemos que mudar de país estaria quase certo, começamos a falar em casamento. No dia 20 de setembro ficamos noivos e no dia 23 o Leandro foi embora para ficar três meses em Paris para escrever um projeto de doutorado. Tive seis meses para organizar toda a cerimônia", explica.

Em meio as decisões de casamento, Heloísa teve mais uma surpresa. Com o doutorado quase certo por meio de uma bolsa concedida pelo Programa Ciência Sem Fronteiras, do Governo Federal, ela precisaria ser casada antes do réveillon de 2015 para entrar como cônjuge no programa e ter o direito de viajar com o noivo.

"Foi uma correria para conseguir o casamento antes do final do ano, para encontrar um juiz de paz que aceitasse, foi uma burocracia, mas conseguimos casar no dia 27 de dezembro", ri a noiva.

O casal na Catedral Notre Dame de Fourvière, na França O casal na Catedral Notre Dame de Fourvière, na França

Agora, há pouco menos de um mês na cidade histórica de Lyon, que tem a fama de ser tão encantadora quanto Paris, e ainda melhor em gastronomia, Heloísa coleciona fotos do casal em lua de mel no novo lar.

"Lyon é a segunda maior cidade da França, tem 2,6 milhões de habitantes. É muito estranho sair de Campo Grande e vir para cá, eu sempre morei na mesma casa, na mesma rua. Quando você fala para as pessoas que se mudou para a França todo mundo acha que é legal, que é um máximo. E realmente é legal, é um máximo. É tudo muito fascinante", acredita.

Em meio a todo esse turbilhão em menos de seis meses, Heloísa diz não se arrepender de nada. "Eu deixei toda a minha zona de conforto para trás e posso afirmar que está melhor do que eu esperava. Eu largaria tudo de novo".




imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.