A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 02 de Dezembro de 2016

27/10/2016 06:05

Quando teve a "chance" de pular fora, marido esperou mulher com câncer no altar

Paula Maciulevicius
Levada pelo filho, Silvia caminha no altar da Perpétuo Socorro. Levada pelo filho, Silvia caminha no altar da Perpétuo Socorro.

"- Olha eu estou doente, vou ficar careca, vou ficar chata e se você quiser pular do barco agora, você pula. Porque você sabe que quando uma pessoa está doente, ela fica insuportável.
- E eu pulei do barco?
- Não. Se casou comigo".

Veja Mais
Datilografado, pedido de casamento revelou primo apaixonado em 1980
Super-heroi, Pedro precisa de ajuda para continuar salvando a alegria da família

O diálogo acima foi entre Silvia, Gilnei diante do câncer de mama que bateu à porta deles. À época, em 2011, ela teve a seguinte conversa com o marido, pontuando as consequências da doença e que se ele quisesse deixá-la, aquela era a hora. "Eu tô sem seio. Você vai pegar uma mulher despeitada?" repete a pergunta. Gilnei levou na brincadeira e disse: "O que que eu fiz para você ficar despeitada comigo?!".

Os dois têm mais de 30 anos juntos. Começaram a namorar aos 14, juntaram as escovas de dentes entre 17 e 18 e só foram se casar na igreja em agosto deste ano, depois de três cânceres e três cirurgias.

Ele tem 48 anos, é marceneiro e um apaixonado declarado. "Se você ama uma pessoa não vai ficar por causa do seio? Quando você ama, não vê. Eu só fiquei com medo na hora foi de perder ela, mas depois você vê que tem tratamento e cura, só que no início você assusta: já pensou? Estar com uma pessoa 28 anos?" refletiu Gilnei de Oliveira Leite.

Silvia descobriu um nódulo cinco anos atrás, fez cirurgia, quimioterapia, outra operação e enquanto espera resultados de exames para ver como será o próximo passo depois dos nódulos que estão no fígado e entre o pulmão e a coluna, fala sobre o dia mais feliz de sua vida, de ter se vestido de noiva. 

Os dois se conheceram na escola, namoraram escondido e as famílias só souberam quando Silvia engravidou. Pais de um casal, a filha com 28 e o filho de 23, foi no altar que ela realizou seu maior sonho.

Chegando ao altar, onde o noivo a esperava. Chegando ao altar, onde o noivo a esperava.
Na troca de alianças. Na troca de alianças.
E a benção final. E a benção final.

"Ele não queria muito não. Nunca gostou disso. Em 2011 teve um encontro de casais na igreja, mas não dava para fazer nada, porque eu já estava na quimio", recorda a dona de casa Silvia Gonçalves de Souza. 

Entre cirurgias, quimioterapias, radio e a perda do cabelo, o sonho ficou adormecido, mas este ano, enquanto eles estavam na novena, o casamento comunitário da Igreja Perpétuo Socorro apareceu como um "sinal". 

"Um dia eu estava parada lá e falei: oh minha santinha, você podia me ajudar a casar nessa igreja. Desde pequena eu venho aqui...", lembra Silvia. Na novena seguinte, surgiu a abertura de inscrições para o casamento. E ela mais que depressa perguntou ao marido: "amor, vamos casar?"

Os dois correram com a papelada e os 400 convidados que aguardaram o casal na igreja e também na recepção. "Eu mesmo não era afim de casar, ela quem queria, mas não que eu não quisesse, mas para mim, tanto faz...", se justifica Gilnei.

A esposa tinha e realizou o sonho de se vestir de noiva. "Muita gente falava que ridículo, você casar de noiva. Mas eu queria". "E muita gente achava que quando ela teve o câncer, eu ia largar ela", recorda o marido.

Ele não esconde que a relação muda, a vida e tudo ao redor da doença. "Mas agora, rapaz... Eu amo ainda mais ela. Porque quando acontece uma coisa, se eu machuco o joelho jogando bola, ela cuida de mim", compara. 

Já na festa, o beijo dos noivos. Já na festa, o beijo dos noivos.

O câncer não foi o fator preponderante para o casamento, mas contribuiu. "Se eu pudesse, casava de novo", comemora Silvia.

E na semana que passou, Silvia foi noiva de novo, desta vez para um editorial do Z Garden, fotografado por Pedro Wendel, dentro do Outubro Rosa. Foi a direção da casa de eventos quem procurou o Hospital do Câncer, pedindo indicação de uma paciente para ser modelo. E assim que chegaram à história de amor de Silvia e Gilnei.

"Foi um sonho realizado. Desde criança eu queria casar na igreja, mas nunca imaginei que fosse um dia..."

Curta o Lado B no Facebook. 

 

Silvia foi uma das modelos que posou em editorial. (Foto: Pedro Wendel)Silvia foi uma das modelos que posou em editorial. (Foto: Pedro Wendel)
(Foto: Pedro Wendel)(Foto: Pedro Wendel)
(Foto: Pedro Wendel)(Foto: Pedro Wendel)
(Foto: Pedro Wendel)(Foto: Pedro Wendel)



Tive o prazer de conhecer a Silvia e participar do editorial, história linda de amor e superação!
 
Carol Simonato em 27/10/2016 10:11:14
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.