A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 03 de Dezembro de 2016

06/12/2012 07:37

Roubada, neta oferece recompensa por foto dos avós

Ângela Kempfer
Paula mostra a foto que sobrou do avô. (Fotos: Luciano Muta)Paula mostra a foto que sobrou do avô. (Fotos: Luciano Muta)


Paula Godoy faz planos para o casamento em 2013, mas um dos principais desejos está ameaçado. Na igreja, ela pretendia exibir um pôster enorme, com a reprodução de uma foto de 1957, do noivado dos avós maternos.

Veja Mais
Despedida dominou a web na semana em que todo mundo coloriu de verde o coração
Datilografado, pedido de casamento revelou primo apaixonado em 1980

Ocorre que na terça-feira ela perdeu a carteira onde guardava a imagem e agora implora ao ladrão, ou a quem quer que tenha levado, que devolva, pelo menos, a fotografia.

“Estive na sorveteria da Antônio Maria Coelho e esqueci a carteira sobre a mesa. Quando dei falta, voltei para recuperar, mas ela já tinha sumido. Fui roubada”, avalia.

Na carteira marrom, de cerca de 20 centímetros e zíper dourado, havia 80 reais, os documentos e alguns cartões, mas Paula só quer a foto. É uma imagem em preto e branco, 5x7, já “surrada” pelo tempo, mas de significado forte.

A fotografia imortalizou um dos primeiros encontros dos avós: o noivado. Ele de bigode e camisa social, ela de cabelos pretos e vestido branco, de mangas fofas.

Isidoro tinha 25 anos e Cacilda apenas 16. Os dois acabaram juntos porque tiveram o casamento arranjado pelos pais e quase não namoraram antes de subir ao altar.

Eram filhos de trabalhadores rurais, vizinhos em fazendas de Anaurilândia e já na idade para casar foram surpreendidos pela decisão alheia. “Mesmo assim eles se apaixonaram e viveram juntos a vida toda”, diz a neta.

As recordações do casal deixadas para a neta.As recordações do casal deixadas para a neta.

O noivado ocorreu em novembro de 57, o casamento foi consumado em fevereiro de 58 e a primeira filha nasceu 9 meses depois.

Paula conviveu com os avós e também padrinhos até os 13 anos. Primeiro Isidoro descobriu um câncer e 17 dias depois morreu vítima da doença. Dois anos mais tarde, Cacilda também foi embora.

“Eles eram muito unidos, muito importante um para o outro. Por isso, logo que um morreu, o outro também partiu”, lembra Paula. Hoje ela mostra fotos do casamento dos dois, o que ficou para a família. "Mas para mim a mais significativa é a do noivado", explica.

A recordação mais valiosa do casal ficou na carteira por anos, guardadinha em um bolso interno. “Tem muito valor. Dou até recompensa para quem devolver”, apela a neta.

A mãe de Paula, Gilda, é otimista sobre o reaparecimento. “Tudo é possível”. A tristeza da filha faz aumentar a torcida. “Ela sempre foi o xodó dos meus pais, a primeira filha, a primeira neta...”, justifica.

A quem por ventura encontrar uma carteira marrom de couro e zíper dourado, Paula pede que dê uma olhadinha no bolso de dentro para verificar se está lá a foto de Isiodoro e Cacilda.

O telefone para informações é o 91023009.




Sr. Carlos Renato, seria mais digno se vc se calasse.......vc com certeza naum sabe oq é ter avós maravilhosos e digitalizar uma foto ou scanear naum é a mesma coisa, ou vc naum entende disso tbm.
 
gilda lima de godoy em 06/12/2012 19:07:01
OLA POR FAVOR QUEM ENCONTROU ESSA CARTEIRA DEVOLVA AO MENOS A FOTO PARA A MOÇA.
É MUITO IMPORTANTE A ELA.
 
waldecy batista rocha em 06/12/2012 14:44:57
Parabéns pelo seu gesto e sua preocupação, Paula. Poucas pessoas sabem o valor e dão importância à história da própria família como você fez. Essas pessoas nunca vão entender o que significa perder uma recordação como aquela, recordação que nada, nem cópia alguma no mundo substitui. Com a ajuda dos amigos e a bênção de Deus vamos encontrar!
 
Bianca Bianchi em 06/12/2012 14:34:55
Impressionante como sempre tem alguém pra deixar um comentário boçal até nas histórias mais doloridas.
Estou torcendo pra que a foto seja encontrada.
 
Paula Hill em 06/12/2012 14:05:10
Carlos Renato!onde é que ela iria imaginar que seria extraviada essa carteira,pelo amor de Deus :voce costuma fazer essas cópias de algo importante para voce? mas...Paula se não encontrar,mande fazer uma copia da foto do casamento deles,em tamanho grande ,essa que voce tem, com certeza vai ficar lindo,e o que importa muito é que voces sejam muito felizes,''desejo meu '',e seus avós estarão abençoando essa felicidade de onde for que estiverem,um grande beijo.Felicidades.
 
Teresa Moura em 06/12/2012 11:09:03
Vou ficar torcendo para que recupere a foto e possa fazer o casamento de seus sonhos. Mas ainda que não seja possivel reave-la, pode ter certeza de que seus avós estarão "assistindo" seu casamento e a alegria deles reverterá em felicidades ao casal. Boa sorte!
 
Lara Cardoso em 06/12/2012 10:13:33
Eu carregava sempre o terço que minha avó me deu antes de morrer dentro da carteira. Quando roubaram minha bolsa, jogaram meus documentos mas levaram o terço.

Dá uma tristeza tremenda na gente.

E fazer cópias digitais não tem muito sentido quando o valor está na foto que sua avó escreveu uma dedicatória no verso.
 
Jaqueline Naujorks em 06/12/2012 10:04:21
É lindo ver uma história assim, de carinho, respeito. Vamos lá gente. Ajudem a recuperar a foto da menina.
 
antonia pedreiros em 06/12/2012 09:40:40
Se ela usasse um pouco de sua inteligência, teria feito cópias da foto original, ou digitalizado...
 
CARLOS RENATO LOPES em 06/12/2012 09:31:33
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.