A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

03/10/2016 06:25

Sem ligar para o peso, Regina só usa biquíni e mostra o quanto é maravilhosa

Thailla Torres
Sorridente, Regina Maravilhosa tem uma energia contagiante. (Foto: Thailla Torres)Sorridente, Regina Maravilhosa tem uma energia contagiante. (Foto: Thailla Torres)

De sorriso aberto e uma alegria invejável, Lúcia Regina Alves Pereira é o exemplo de mulher que parece sempre de bem com a vida. Ela tenta mostrar isso no Youtube e no Facebook, em publicações bem simples, mas com um recado já no nome: "Regina Maravilhosa".

Veja Mais
A pé, Tulia faz percurso de 10 km até biblioteca onde aprendeu a ser feliz
Passada "nuvem negra" que trouxe o câncer, rosa tatuada no braço une 4 mulheres

Vivendo em Ribas do Rio Pardo, ela deixou de ser Lúcia para se tornar diva e também cineasta aos 50 anos. "Quando eu falo maravilhosa, as pessoas pensam que é algo de glamouroso, mas a ideia não é isso. Quero abrir a mente para um novo despertar da vida, falando das maravilhas que temos dentro da gente", explica.

Ela pode até dizer que não tem o glamour, mas o que Regina não perde é a pose. Maquiada e com um leque chamativo na mão, prova que tem uma a autoestima lá no alto e faz questão de deixar isso claro. "Sou gordinha e as pessoas tem aqueles protótipos de beleza. Mas eu não tô nem aí, uso biquíni sempre e não me venha com essa história de maiô. Gosto de mim como sou e isso não me atrapalha em nada. As pessoas até falam, mas eu uso decote, vestido e acho que ninguém tem que deixar de usar", observa.

Regina é mulher ativa que não para um minuto. Atua como esteticista, terapeuta holística, artista plástica e é fundadora da Associação das Mulheres "Essência da Mulher" que oferece cursos para valorização própria, além de ser escritora e cineasta. Tudo isso sem perder o tempo para os amigos e família.

Pesando 100kg ela revela que não tem problema com o corpo e não deixa de usar um biquíni. (Foto: Thailla Torres)Pesando 100kg ela revela que não tem problema com o corpo e não deixa de usar um biquíni. (Foto: Thailla Torres)

A história dela é muito parecida com de muita mulher que se descobriu depois de um casamento que deu errado. Ela casou cedo e passou uma parte da vida dentro de casa, cuidando dos filhos. Após o divórcio, veio a libertação para conquistar os próprios sonhos.

"Casei nova e virei dona do lar. Sabe aquela coisa da gente nunca ter tempo pra nada e deixa o bom de lado? Pois é, quando me divorciei, comecei a ver a vida também de outra forma. Se eu era feliz? Sempre fui feliz em cuidar da família e dos meu filhos, mas era uma felicidade contida. Só libertei quando deixei de me preocupar com o que as pessoas falavam", desabafa.

E foi nas palavras que Regina encontrou força para ser o que quisesse. Acostumada a escrever histórias, uma delas acabou virando filme que mudou de vez a vida dela. "Acho que foi o momento mais importante, eu nunca tive contato com o cinema e nem sabia se dava conta. Quando fiz um curso de cinema, eu me encontrei e acho que essa foi a maior mudança", acredita.

Regina escreveu sobre a história de trabalhadores carvoeiros na região de Ribas do Rio Pardo que acabou virando um curta-metragem. O texto dela concorreu com outros 920 participantes de todo Brasil no projeto "Revelando os Brasis", em parceria com o Ministério da Cultura, destinado  aos moradores de pequenas cidades.  O selecionado participa de oficinas de cinema e tem garantidos os recursos para realização de filme de 15 minutos. 

"Quando o meu texto foi selecionado, eu nem sei descrever a alegria. Eu não acreditava tanto assim que minha história estaria entre elas. E fazer um curso de cinema foi outra coisa maravilhosa, porque eu não tinha nenhuma habilidade com tecnologia e lá a gente aprendeu tudo", descreve sobre o período que ficou no Rio de Janeiro participando do curso

Ao lado da filha socióloga, Regina segue com os projetos da Maravilhosa. (Foto: Thailla Torres)Ao lado da filha socióloga, Regina segue com os projetos da "Maravilhosa". (Foto: Thailla Torres)

"Me senti mesmo uma atriz de Hollywood. A gente era filmado e acompanhando o tempo todo. Conheci pessoas de todas as idades, eram simples como eu e que estavam ali por um mesmo sonho. E isso tirou de mim a crise com a idade, despertou em mim uma alegria de viver e isso me deu vontade de levar essa alegria através dos vídeos para as pessoas", conta.

O filme "A Saga de Um Carvoeiro" fala das dificuldades e da oportunidade do ser humano em ter uma segunda chance. "O carvoeiro é muito fracassado e vai parar nas ruas. Quando ele se depara com uma ONG, começa a trabalhar com argilas, esculpindo o cotidiano dos carvoeiros e fazendo sucesso com suas arte em Paris", conta.

Depois de ter o filme produzido e publicado no Youtube, Regina Maravilhosa passou a usar mais vídeos para falar do amor, autoestima e, principalmente, da confiança das mulheres. "Problema todo mundo tem, também acredito nisso. Mas comecei a fazer cinema com 50 anos, Então, porque as outras pessoas não podem acreditar nelas? A vida é maravilhosa, cheia de coisas bonitas para aproveitar e por isso eu agora sou outra pessoa. Lúcia é só para a família. Agora é Regina Maravilhosa", diz sorrindo.

Os vídeos e o filme de Regina Maravilhosa está disponível no link.

Curta o Lado B no Facebook.




imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.