A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 11 de Dezembro de 2016

03/11/2015 06:35

Vaquinha para van e hotel leva amigos para "Rock'n Rio" católico a 8h daqui

Paula Maciulevicius
Hallel, festival de música que ganha a comparação Rock'n Rio da Igreja Católica. (Foto: Divulgação/Hallel)Hallel, festival de música que ganha a comparação "Rock'n Rio da Igreja Católica". (Foto: Divulgação/Hallel)

As malas estão quase prontas para uma viagem ao mundo da música católica. Na próxima sexta-feira, 15 amigos fieis, tanto entre si, quanto na religião, encaram 8h de estrada numa van de Campo Grande até Maringá, cidade que realiza o Hallel, festival de música que ganha a comparação "Rock'n Rio da Igreja Católica". 

Veja Mais
Uber multado, reajuste de ônibus e cidade sob chuva bateram recordes nas redes
Do Corinthians ao canteiro de obra, zagueiro que virou servente tem nova chance

O evento já tem mais de 25 anos e nasceu em Franca, no interior de São Paulo, mas depois ganhou ramificações por cidades afora. Este é o sexto ano seguido que Patrick, Fran, Giovany, João, Diego pegam a estrada. A escolha por Maringá é pela proximidade, são só 8h de viagem. 

"Na nossa turma todo mundo é predominantemente católico, temos uma grupo fieis de amigos", diz o organizador Patrick da Silva do Nascimento, de 31 anos. À frente da ida dos amigos pela sexta vez, ele fala que de público são sempre músicos e quem se identifica com os ritmos. Mas claro deixando as portas abertas para quem nunca teve contato com o festival. 

Parte do grupo dos 15, em edições anteriores. (Foto: Arquivo Pessoal)Parte do grupo dos 15, em edições anteriores. (Foto: Arquivo Pessoal)

Os planos começam três meses antes e a organização não tem fins lucrativos. Numa vaquinha, eles dividem em 15 os gastos com a van e o hotel e dá cerca de R$ 300,00 para cada um incluindo estadia de sábado para domingo e o translado.

Na programação deste ano, entre as bandas conhecidas estão Rosa de Sarom, Anjos de Resgate, Adriana Arydes e Padre Reginaldo Manzotti. De público, se calcula que ao menos 40 mil fieis passem por lá. "É um evento que tem como objetivo unir pessoas em torno do bem comum, que é a igreja. O principal para a gente é poder ver todas as pessoas reunidas pela fé", avalia Patrick.

Além de curtir a música, os amigos têm também uma "promessa" a ser feita. Encarada como dever, ou vista sob a ótica da gratidão, no primeiro ano deles um dos 15 sofreu um acidente que poderia tê-lo deixado tetraplégico. Foram 30 dias internado, parte deles em coma, até receber alta e a surpresa de que as sequelas quase não o acompanhariam.

Por Erasmo, o amigo, que o grupo segue com os planos de ir todos os anos. "Mudou a nossa forma de ver o festival, é uma oportunidade de voltar lá onde tudo aconteceu", descreve Patrick.

Festival chega a juntar mais de 40 mil pessoas. (Foto: Marcos Ermínio)Festival chega a juntar mais de 40 mil pessoas. (Foto: Marcos Ermínio)

Erasmo não se lembra ao certo o que aconteceu. Se foi pelo pulo na piscina, ou outra coisa. Ele desmaiou e acordou já no hospital. Com a queda, a sexta vértebra se quebrou. "O médico falou que era muito grave, que se eu sobrevivesse, ia ficar sem andar", recorda Erasmo Almeida Teodoro, de 21 anos. Tudo aconteceu em novembro e em fevereiro, Erasmo já estava andando.

No ano seguinte, os amigos organizaram toda viagem e ainda garantiram a participação de Erasmo no palco, dando o testemunho do que acredita ter sido um milagre. Este será a primeira vez que, sentido, ele não vai. Por questões financeiras e também problemas de saúde na família. "Mas ano que vem vou sim, é uma promessa, um dever e a gente também fez muitas amizades com o pessoal de lá", afirma.

Giovany Dutra, técnico em Enfermagem e músico, promete aproveitar também pelo amigo. "Nós temos uma ligação muito forte, um laço de amizade que cresceu e de uma hora para a outra ele podia ter morrido. Então ir tem um significado maior, tem o momento de descontração dentro da rotina que a gente vive, porque raramente você pode reunir um grupo de amigos e se desligar do mundo", resume.

O grupo sai daqui às 11h da noite na sexta, chega em Maringá pelo sábado de manhã e retorna no domingo, às 11h da noite, com muita história para contar.

Curta o Lado B no Facebook

Essa sugestão de pauta veio do fotógrafo Marcos Ermínio.

Grupo fiel entre si e também na religião. (Foto: Arquivo Pessoal)Grupo fiel entre si e também na religião. (Foto: Arquivo Pessoal)



imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.