A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 11 de Dezembro de 2016

04/11/2011 08:37

Da vergonha e medo ao paraíso de ser Moreninhas, contam moradores

Paula Vitorino

Bairro completa 30 anos no próximo mês e quem acompanhou o desenvolvimento da região comemora o fim da “vergonha” causada pelo estigma da violência e agora sente orgulho em ser Moreninhas

Com tranquilidade nas ruas, moradores tem orgulho em ser Moreninhas. (Fotos: João Garrigó)Com tranquilidade nas ruas, moradores tem orgulho em ser Moreninhas. (Fotos: João Garrigó)

Completando 30 anos neste ano, as Moreninhas já passou por momentos difíceis e outros de conquistas. Os moradores hoje chamam o bairro de paraíso, e garantem não trocar por qualquer outra região, mas contam que o começo foi difícil, marcado pela violência e o isolamento.

Dizer que era morador das Moreninhas há cerca de uma década era “motivo de vergonha”, contam os mais antigos. A região era conhecida pelo “resto” da cidade por sua violência e distância.

“Logo que mudei para cá as pessoas tinham vergonha de falar que moravam nas Moreninhas, tanto na hora de procurar um emprego ou fazer o cadastro em uma loja”, lembra o presidente do Conselho de Segurança da região, Milton Emidio de Souza.

O comerciante Edson Remido de Assis, de 69 anos, tem orgulho de ter sido um dos primeiros moradores do bairro, mas lembra que o estigma de violência da região envergonhava toda a população.

“Teve uma época que dava problema, vergonha, falar que morava aqui no emprego porque já era tratado como bandido. O bairro sempre saía na imprensa com essa imagem, mas os moradores lutaram para mudar isso e mostrar que aqui tem muita gente de bem. Hoje morar aqui não é motivo de vergonha”, diz.

O morador há 25 anos, Zoracildo Aquigno Severino, de 47 anos, conhecido como “Nego”, conta que a criminalidade era tanta que as roupas não amanheciam no varal.

“Você não podia deixar a roupa no varal porque não amanhecia mais lá. Quase todo dia morria um assassinado”, diz.

O balconista José Jacinto de Lima Neto, de 41 anos, mais conhecido no bairro por “Zé da Farmácia”, ainda diz que o bairro era precário não só na segurança, mas também na saúde.

“As pessoas dependiam das farmácias para comprar os remédios quando passavam mal porque não tinha posto de saúde aqui”, diz.

Morador afirma que Moreninhas é o paraíso. Morador afirma que Moreninhas é o paraíso.

Paraíso - Mas quem acompanhou o desenvolvimento da região, que se multiplicou até chegar a mais recente Moreninhas 4, garante que as três décadas foram bem vividas e são motivo de triunfo.

“Do que era antes e hoje se tornou, é um triunfo para as Moreninhas. Quem mudou na época difícil hoje se arrepende, até os imóveis valorizaram muito”, diz Nego.

O Seo Zé também comemora e se orgulha em ser Moreninhas desde 1988. Ele garante que hoje o bairro é o “paraíso” e “nada me tira daqui”. “Foi onde criei meus filhos, é onde ganho meu sustento”, diz.

O caminho - O caminho até a redução da violência passou pelo combate as gangues, conta o presidente do Conselho de Segurança.

Ele diz que principalmente na década de 90 os grupos de criminosos causavam medo na população com assaltos e assassinatos. “Não tinha muito policiamento e eram vários os grupos rivais. Acontecia morte frequentemente e aí a região ficava conhecida pelos marginais”, frisa.

Milton afirma que o problema foi reduzido nos últimos anos com o trabalho da polícia e que hoje o maior transtorno do bairro são os adolescentes infratores, que também são usuários de drogas.

“Hoje o que mais acontece são pequenos furtos, que é feito pelo jovem usuário de drogas para manter o seu vício”, diz.

Conselho de Segurança diz que maior problema hoje são os adolescentes infratores e usuários de drogas. Conselho de Segurança diz que maior problema hoje são os adolescentes infratores e usuários de drogas.

Mas o presidente do Conselho ressalta que apesar da violência ter diminuído na região, ainda falta policiamento no bairro. A comunidade conta com uma Delegacia da Polícia Civil e pelotão da Polícia Militar, mas o efetivo é responsável por todos os bairros da região das Bandeiras e Anhanduí.

Milton diz que os moradores querem a instalação de uma base comunitária da PM para aumentar a ronda e o efetivo policial, que segundo ele só conta com 1 viatura, além de aproximar a Polícia da comunidade.

“A ronda policial em todo bairro já iria coibir a pratica de crimes e uso de drogas”, justifica.

Ação - De acordo com o sub-comandante do 10º Batalhão da PM, major Adilson Macedo, a região das Moreninhas “é uma das mais tranqüilas a nível de Campo Grande, em relação ao índice de ocorrências”.

Ele esclarece que o pelotão das Moreninhas conta com 2 viaturas e 4 motocicletas, que se dividem entre o policiamento na região e no Jardim Itamaracá. Segundo ele, o número de policiais consegue atender todas as ocorrências tranquilamente, mas pontua que é “sempre válido o reforço no efetivo”.

O major também explica que o pelotão no bairro já funciona como uma base comunitária, pois os policiais são preparados para esse tipo de abordagem e o prédio está sempre aberto as solicitações da comunidade. Segundo ele, o que falta é a maior interação da comunidade, apresentando os problemas e convocando para reuniões.

Pelotão nas Moreninhas é responsável por região e Jardim Itamaracá. Pelotão nas Moreninhas é responsável por região e Jardim Itamaracá.

“Criar uma base comunitária seria abrir mais um prédio só, porque o trabalho da Pm comunitária já é feito no bairro. O que ainda falta é a maior procura da população, fazendo com que a PM participe constantemente das ações no bairro”, diz.

Ele também afirma que a PM tem a intenção de montar um projeto social com os jovens da região. Segundo o comandante, uma sala do pelotão já está disponível, mas falta parcerias para iniciar as atividades.

Jovens - Já a Polícia Civil desenvolve desde 2009 dois projetos no bairro: mediação de conflitos com baixo potencial ofensivo e diminuição da evasão escolar. Nos três anos, foram realizados mais de 550 atendimentos.

O investigador Francisco de Melo afirma que só neste ano foram 221 atendimentos e 90% desses tiveram êxito sem precisar do registro de ocorrência.

“Diminui o trabalho da Polícia e do Judiciário, fora que aquele trabalhador não suja o nome por causa de um incidente isolado. A reincidência também é praticamente nula. Isso funciona com o cidadão de bem, agora o bandido tem que ir para a cadeia”, frisa.

O trabalho contra a evasão escolar conta com a parceria das escolas, que por meio da diretoria informam a Polícia quando algum aluno está com muitas faltas. Os investigadores vão até as residências para saber o que está acontecendo e os pais se comprometem em ficar atentos ao desempenho dos filhos na escolas, com um termo de responsabilidade.

Em alguns casos, de ameaças, vias de fato e bullying, a Polícia Civil também vai até a escola para realizar mediações e palestras.




Parabens Moreninhas,pelas conquistas que ja teve, e as que ainda viram,,,
E a todos os moradores,,,
 
Frederico Lopes Marques em 06/11/2011 06:37:21
Morenihas meus parabéns, e temos que agradecer a inciciativa privada e o governo Municipal e Estadual pelo o desenvolvimento do bairro que o hoje é bem visto na nossa cidade Parabéns!!!
 
Claudinei Pereira em 05/11/2011 12:41:41
Parabéns pela reportagem do Campograndenews, realmente as Moreninhas é hoje o melhor Bairro para se morar em Campo Grande. O ano que vem tem eleição para Prefeito e Vereador, sou moradorda Moreninhas e espero que a população possa eleger um Vereador da Própria comunidade, que realmente conheça a necessidade da população da Moreninhas, parabéns mais uma vez a matéria do Campograndenews.
 
Gilberto Almeida em 05/11/2011 05:00:56
FICO FELIZ EM LER ESSA MATÉRIA, TRABALHEI NO AÇOUGUE FRIGOLOP NO ANO DE 1989, ERA MUITO VIOLENTO ESSE BAIRRO, VI MUITAS BARBARIDADES, PRINCIPALMENTE A NOITE. HOJE MORO NO INTERIOR DO ESTADO. PARABENS MORENINHAS!
 
Julio Cesar Nantes em 04/11/2011 12:17:57
A Moreninha evoluiu muito, conheci muita gente que já morreu assassinado, muitos vandalos que hoje são pastores, estudei com umas das gatas selvagem que amedrontavam toda população, nem olhava pra ela na sala de medo, e hoje eu saido do trabalho às 00h vou pra casa de moto, e não tenho medo algum, pois a moreninha é um bairro tranquilo, no meu ponto de vista.PARABÉNS TODA POPULAÇÃO DAS MORENINHAS
 
Adriana Araujo em 04/11/2011 11:39:56
Valeu Moreninhas, PARABÉNS!! Realmente tivemos momentos difíceis de terror, mas hoje a moreninhas é o bairro de melhor infra-instrutura da cidade, os moradores não precisar sair pra nada, tem tudo do melhor.
 
Adriana Araujo em 04/11/2011 11:31:38
Parabéns Moreninhas, nossa Congregacão: Joseleitos de Cristo também encontrou alguns desafios logo que aí chegamos, mais encontramos pessoas maravilhosas e acolhedoras que aos poucos ajudaram a transformar o bairro num lugar abencoado, com a participacão de associacão de moradores. Morei aí por 6 anos e se o destino permitir, um dia, voltarei com todo gosto. Que DEUS ilumine cada vez mais.Abracão!
 
Padre Cícero Furtado em 04/11/2011 11:22:59
Uma pequena obs:o terminal em que o onibus das moreninhas deveria não passar é o guaicurus não Guanandy.porque passageiros que irão para as moreninhas não conseguem entrar no onibus que ja esta lotado com os que descem no Guaicurus dai para a frente o onibus segue quase vasio,e os passageiros das moreninhas ficam no centro.
 
Teresa Moura em 04/11/2011 11:13:58
tambem sou um dos pioneiros , principalmente a moreninha 3, trabalhei em uma das Empresas que construiram a moreninha 3, morei neste bairro por 9 anos na epoca realmente a moreninha era considerado velho oeste sulmatogrossense, pois presenciei bang-bang em frente de casa, ninguem queria uma casa na moreninha nem de graça, e hoje e uma das potencias de Campo Grande, ta hora de se emancipar.
 
Antonio Garcia em 04/11/2011 11:11:09
Agradeço ao Campo Grande news.a lembrança que fez ao meu bairro,sou moreninhas desde o primeiro dia após a entrega das chaves, passei o natal de 81 aqui,só havia asfalto em uma rua"Palmacea"onde passava o onibus,havia em volta fazenda e plantação de café,hoje é uma cidade muito bonita,com tudo que preciso comprar sem ter que ir p o centro,foi dificil mas hoje sinto orgulho de morar nas Moreninha.
 
Teresa moura em 04/11/2011 11:03:33
Foi o tempo, quando a delegacia era lá na Moreninha 3, em frente a um campo de futebol, sem grama, um só sanitário para o publico interno e externo, publico humilde, ruas de terra, ninguem queria trabalhar lá. Lembro-me muito das "gatas selvagens" que fizeram inumeras vitimas de agressão na decada de oitenta.Salve a administração e os moradores. que tanto lutaram, para as melhorias, lá trabalhei.
 
VALTER DE OLIVEIRA em 04/11/2011 10:25:18
Parabéns pela esta reortagem e testemunhos dos moradores das moreninhas, tudo é graças a Deus e a união de esforços, principalmente dos populares, que se organizam com seus conselhos de segurança. A Polícia Milita tem estado presente em todos os eventos e no cotidiano daquela região. Novamente meus parabéns.
 
Adilson Alves em 04/11/2011 09:41:46
Fico muito feliz por esta reportagem de reconhecimento dos avanços e conquistas desta comunidade mobilizada e organizada. Moro na Moreninha IV a um ano e compartilho as alegrias de morar em um lugar de paz, prosperidade, com boas escolas e grande expectativas na melhora da saúde com a inauguração da UPA. Vamos todos participar dos movimentos sociais e que cada vez alcançaremos vitórias.
 
Dinalva Domingos de Morais em 04/11/2011 07:11:29
parabens sr edson, e ao zezinho, e a nos antigos da moreninha, vcs principalmente, o Ze o medico do povo, sr Edson, foi nosso segurança da escola arlindo, hoje tds nos avos, eles merece td carinho e respeito junto as moreninhas abçs
 
ester reis em 04/11/2011 05:56:39
Parabéns Moreninhassss
 
Edivania Souza em 04/11/2011 05:35:51
moro aqui desde que nasci lugar onde tinha muito preconceito hoje lugar de orgulho para os moradores que aqui vivem .
 
eduardo silveira pereira em 04/11/2011 03:23:13
Moro nas moreninhas e digo com todas as letras que é um orgulho morar aqui, como em todos os outros bairros têm alguns problemas, mas a polícia está sendo agil e eficaz na ação, parabéns pela matéria.
 
Johnny Daniel Matias Nogueira em 04/11/2011 03:08:40
Uma das grandes mudanças em decorrência do tempo sem dúvida foi o fim das gangues. sou morador do bairro desde 1984, era praticamente impossível transitar tranquilamente nas ruas, sempre cismado em ser abordado pelas tais. Atualmente, sofremos com o transporte público que considero muito precário. No mais, os pequenos problemas corriqueiros de sempre, como qualquer outro bairro.
 
cleberson madureira carvalho em 04/11/2011 01:09:40
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.