A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

02/07/2012 08:00

Em bar “Copo Sujo”, até as mesas foram doadas pelos clientes

Ângela Kempfer
Nelson e o bar feito com doações dos clientes. (Fotos: Minamar Júnior)Nelson e o bar feito com doações dos clientes. (Fotos: Minamar Júnior)

As mesas de madeira larga, feitas na base do encaixe, vieram da fazenda de um cliente há mais de 20 anos, assim como as cadeiras e até os dois fogões do bar de Nelson Hokama, no bairro Sol Nascente, região do Monte Líbano. “Só comprei os copos”, conta o dono, antes de uma gargalhada.

Veja Mais
Uber multado, reajuste de ônibus e cidade sob chuva bateram recordes nas redes
Do Corinthians ao canteiro de obra, zagueiro que virou servente tem nova chance

O nome “Copo Sujo” também é batismo dos fregueses advogados, médicos, empresários e políticos, que de segunda a segunda batem ponto, apesar do local não ter nada além de bebida.

Quem quer comer, leva os ingredientes de casa. No domingo, Nelsinho abriu as portas para um macarrão com frango, receita de um dos clientes e feito pelos camaradas, suficiente para servir 30 pessoas.

Antes de sentar para beber e conversar com os amigos, alguns passam no supermercado ao lado e compram os petiscos que vão beliscar no “Copo Sujo”. Sobre as mesas, encontro um prato com molho de soja, acelga e a explicação: “Isso aqui é uma confraria. Brinco que é um bar gay. Só tem homem”, comenta o advogado Adão Ramão Souza, de 58 anos.

Até o telhado recém instalado na varanda foi viabilizado pela “vaquinha” da clientela. “Quando chovia não dava para ficar aqui, então resolvemos o problema”, diz o odontologista Edilberto Reverdito.

Público quase 100% masculino senta também em mesa improvisada na calçada, para uma boa conversa.Público quase 100% masculino senta também em mesa improvisada na calçada, para uma boa conversa.
O telhado da varanda, assim como a pintura, foram doações dos clientes.O telhado da varanda, assim como a pintura, foram doações dos clientes.

Essa história começou há 100 anos, em 1908, quando o pai de Nelson Okama chegou de Okinawa para trabalhar na ferrovia, a bordo do navio Kasato Maru.

Em Campo Grande, passou a viver com a família no mesmo local onde está o bar hoje. “Aqui era uma chácara. Até o bairro chama-se Sol Nascente por causa dos japoneses”, lembra o filho.

Nelson trabalhou por muito tempo em vendas do Café Rincão, mas em 86 resolveu abrir uma mercearia. Com a construção de um supermercado ao lado, o antigo K-Fruta, o comércio minguou e o jeito foi transformar o lugar.

“Daí virei bar e os amigos gostaram, passaram a vir todos os dias. Com cada um doando um pouco, continuamos até hoje. A turma coopera”, comemora o proprietário que serve ao público masculino (quase exclusividade) cerveja, cachaça e uísque.

Na frente, uma estrutura revestida de azulejos brancos serve de mesa para quem quer ficar à mostra. Na varanda há uma churrasqueira e um passo depois o prédio é um galpão com os dois fogões na entrada, para quem quiser usar. “É só chegar e fazer a comida”, garante Nelson.

Um grande banner na parede não deixa ninguém esquecer o bicampeonato brasileiro em 2004 do Santos, time do dono do boteco e de 90% dos fregueses. “Mas não tem isso de time não, eu sou corintiano e vivo aqui”, contesta Adão Ramão.

Nelson, um senhor baixinho, de 1,60 metro, só escuta e conversa rindo e explica porque um lugar sem maiores atrativos tem uma clientela tão fiel: “É que aqui é a curva do rio”, brinca o proprietário.




jah tomei muita cerveja gelada,,nesse boteco,,eu,,ricardo,ziinho,andre,bolivar e beto turco,,,,,,saudades 1988!!!
 
humberto fuxreiter em 06/07/2012 01:47:30
Tive a grata satisfação de saborear uma boa cerveja e conversa amiga no "Copo sujo". Um sábado destes fui eu e meu cunhado Ricardo para jogar uma sinuca em uma casa na frente e como ainda estava fechado ficamos no "copo sujo" tomando uma cerveja e conversando com os freqüentadores, mais acabou a sinuca abrindo e não saímos para jogar.
 
Rodrigo Diniz em 02/07/2012 12:51:53
JA FUI NESSE BAR...E DA HORA,........E ME INSPIROU EM MONTAR O MEU , ''CERVEJA'S E MENTIRA'S, NO BAIRRO AMANBAI RUA PORE 79;;;;;;;E MUITO LEGAR TER BARES ASSIM EM CAMPO GRANDE.........PARABENS AMIGOS BUTEQUIEROS.........
 
MARCELO BRAZ em 02/07/2012 12:44:06
Esse boteco é uma blz! Adoro tomar uma gelada comendo aquela costela feita na panela. Um abraço para o Nelson, e todos os meus amigos santista que frequenta o copo sujo. Parabéns campo grande news pele matéria.
 
Wilson Nascimento em 02/07/2012 12:43:52
NÃO SE PODE ESQUECER DE UM BAR FAMOSO NA UNIVERSITÁRIA, O BAR DOS CORNOS. ESSE A FREQUENCIA É MUITO GRANDE TAMBEM, E NINGUEM FICA BRAVO DE SER CHAMADO DE CORNO, SE FICAR BRAVO É BOM NEN APARECER LÁ. ABRAÇO.
 
LUIS CARLOS, CONHECIDO COMO FUMAÇA. em 02/07/2012 12:19:38
Este bar é algo raro, muito bom mesmo Seu Nelson é uma figura, ja frequento a muitos anos e numca vi algo de errado neste local.
Parabéns por esta reportagem de lembrar de uns dos lugares antigos e de muitos amigos em CG. O Copo Sujo é uma referencia para quem gosta de uma boa cerveja gelada.
 
Ricardo Santullo em 02/07/2012 09:39:24
Muito legal a divulgação deste tipo de estabelecimento, claro que ele não é o único, em C.Gde deve ter dezenas deles, em outros centros também, em Londrina tenho visto alguns, o grande barato é que nesses locais não ha espaço para a malandragem, a seleção dos "sócios" ocorre naturalmente, pela afinidade. nem tudo mestá perdido! Parabéns aos frequentadores!
 
karl zieger em 02/07/2012 09:16:20
Eu tambem frequento um desses bares, o "LA BARCA" dos amigos Tomaz e Val, fica na Vila Jacy, onde todos os dias os amigos se reunem para jogar bilhar, e tem o cantinho do churrasco sempre a disposição de todos, ambiente muito legal pra tomar uma cervejinha e bater papo!!
 
Silas Nunes em 02/07/2012 08:12:06
Esse bar é mora no coração da gente ! Simples , acolhedor e muito divertido, passei alguns bons momentos lá com meu falecido pai! Que continue por muitos anos!
 
Carlos Alberto Coimbra em 02/07/2012 03:04:24
Essa do camarada passar no mercado e comprar o que for beliscar e levar pra fazer no fogão do buteco,, essa é de matar...
Eu já ouvi dizer que não existe controle da bebidas consumidas, e quando se pede a conta pro seu Nelson, ele fala "deixa ai qualquer coisa...."
 
NILSON FEITOSA em 02/07/2012 01:20:07
em frente ao novo terminal rodoviario estadual na av guri marques , quase todos os dias seu camargo encosta sua belina 01 modelada e vende uma das melhores garapa de campo grande .um local sempre cheio de fregueses fiel.
 
dario da silva em 02/07/2012 01:12:23
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.