A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

10/08/2012 14:50

Em um calor de rachar, uma tradição que não acaba: Tubaína no saquinho

Ângela Kempfer
Proprietária da lanchonete da Calógeras, Lenir Nakasato serve a Tubaína.Proprietária da lanchonete da Calógeras, Lenir Nakasato serve a Tubaína.
Na Calógeras, o mecânico Weiber Perez, de 24 anos, diz que prefere Tubaína ao guaraná de grife.Na Calógeras, o mecânico Weiber Perez, de 24 anos, diz que prefere Tubaína ao guaraná de "grife".

É só bater o sino da escola para uma multidão de adolescentes lotar o barzinho ao lado e sair carregando um saquinho com refrigerante. Não tem cena que lembre mais os tempos de escola que a Tubaína no saquinho, uma marca que já virou substantivo.

Veja Mais
Astrologia védica mostra o futuro, mas também ensina a aceitar o destino
Como mágica, o amor encontrou o palhaço e romance vive liberdade em belas fotos

Em um calor de agosto, com a umidade lá no pé, é a tradição explícita nas ruas de Campo Grande. “Sempre tomei, desde criança. Na escola, a dona entregava pelo buraco da grade”, conta o auxiliar de escritório Jomar Nogueira, de 21 anos.

No Parque das Nações Indígenas, na entrada principal, o cachorro-quente só sai com Tubaína. “Quase ninguém pede outra coisa”, diz Jorge Oliveira. Para ele, a combinação é perfeita e barata, a fórmula do sucesso.

Na Calógeras, o mecânico Weiber Perez, de 24 anos, diz que prefere Tubaína ao guaraná de "grife" e ensina uma combinação bem estranha, mas também com gosto de escola. “Gosto muito mais de Tubaína. Minha combinação preferida é com paçoquinha”.

Ao longo das ruas centrais, ou na periferia da cidade, a Tubaína no saquinho é a maior pedida em dias de calor, principalmente, perto de um ponto de ônibus. “As pessoas pedem para pode levar, caso o ônibus chegue. É uma tradição de décadas”, lembra a proprietária da lanchonete da Calógeras, Lenir Nakasato.

Sobre a defesa a higiene das latinhas em relação ao saquinho, ela é direta. “Nunca ninguém passou mal depois de beber desse jeito”.

Lenir mostra que o costume mudou um pouco, hoje tem saquinhos personalizados , com a marca do refresco. De resto, tudo continua igual. “Vendo tanto quanto há 9 anos, quando comecei aqui. É bem mais barata”, explica.

Na antiga rodoviária, a funcionária diz o mesmo. “Não dá para competir. Enquanto uma lata de refri custa R$ 2,50, a garrafa de Tubaína sai por R$ 2,00 e tem quase o triplo de refrigerante”.

A garrafa de “605 mls” sai como água no Ponto do Pastel e a dona acha que até a Coca-Cola já se sentiu ameaçada por esse produto super brasileiro. “Acho que lançaram a latinha mini porque estavam perdendo mercado para a Tubaína”, comenta Lenir.




Que delicia.... me lembra e muito as tardes de calor da minha infância....
 
Bárbara Cardoso de Almeida em 15/01/2014 09:29:29
Minha santa mãezinha... Tubaína no saquinho deve ser "the best"... Infelizmente isso nunca chegou aqui na minha cidade. Deu vontade.
 
Adriana Cristina em 06/01/2014 14:40:19
Não tem nada que se compare uma tubaína bem gelada, hum.... é uma delícia.....
 
Silvia Carvalho em 16/08/2012 03:57:43
Quando eu estava grávida, da minha filha, uma das minha vontades era tubaina e paçoquinha, tinha que ser da quadrada. Hum me dá agua na boca, que saudades!!!!!
 
Katiuscia Ribeiro em 13/08/2012 12:11:14
Sem igual! Podem inventar todos os sabores de refrigerante, mas nada supera a Tubaína! Com pastelzinho, com pão com mortadela e até com paçoquinha! Demais!
 
André Serra em 11/08/2012 09:32:31
Tubaina com estala zóio (pão c/ mortadela) é bom de mais, se for Funada e Seratti viiiiixiii nem se fala.... agora PAÇOQUINHA c/ tubaina ?? é doido é...???o que vira isso ???, mas tudo bem, tem gente que gosta até no tererê, tá valendo.
 
Rodolfo deToledo em 11/08/2012 07:15:30
Nossa! Esses dias eu vi alguém na rua com um saquinho desses e me lembrei dos meus tempos de escola. Deu até uma nostalgia...
 
Christian da Costa em 10/08/2012 05:55:58
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.