A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 11 de Dezembro de 2016

20/09/2012 10:23

Você sabe escolher as músicas que vão tocar durante a caminhada?

Redação
Na Orla Morena, quanto mais agitada for a música, melhor para a estudante Gabriela Sanches, 17 anos.Na Orla Morena, quanto mais agitada for a música, melhor para a estudante Gabriela Sanches, 17 anos.

Música de academia é sempre igual, agitada, com muitos batimentos por minuto, para turbinar o exercício físico, animar. Mas na rua, isso parece não dizer muito.

Veja Mais
Após 26 anos usando drogas, João despertou em fevereiro e diz que não é exceção
Na experiência de ser Noelete por 1 dia, descobrimos como nasce trauma de Natal

Pode ser na Afonso Pena ou no outro extremo da cidade, a Orla Morena. Nos dois principais pontos de caminhada e corrida no final do dia em Campo Grande, o que vale é o gosto musical.

O português Hugo Viera, 39 anos, mora em Campo Grande há 7 anos e na Playlist tem música asiática, chinesa, que ele considera “alternativa”. Mas isso não significa a ausência de hits bem mais comerciais. “Ouço de tudo dentro do pop rock, de Britney Spears a Pitty”.

Para a funcionária pública Gerusa Ferreira da Cruz, 33 anos, uma hora diária de caminhada faz bem ao corpo e à alma. Entre estilos musicais variados, o gospel é o que mais toca durante o tempo que passa na Orla Morena. “mas também tenho pagode”, comenta.

Andrea Cristina Costa, de 31 anos, vai e volta do trabalho todos os dias a pé, são pelo menos 12 quilômetros percorridos, a principal atividade física do dia. Para acompanhar a caminhada ela leva música, mas quem escolhe é a filha. “Eu não sei mexer no celular então peço a ela”, o que significa muita música americana na relação de Andrea.

Quanto mais agitada for a música, melhor para a estudante Gabriela Sanches, 17 anos. Nessa vibração, o que toca no celular é música eletrônica, “para dar animada”.

É quase a mesma a intenção do bancário Vladimir Carmone, 30 anos. Mas ele gosta de ouvir o rock clássico durante os treinos, para dar o ânimo indeispensável. Super disposto à atividade, ele troca a playlist, pelo menos, a cada 15 dias. “Quando canso, escolho a rádio. Mas 103,7 é a única da cidade que toca rock”, explica.

Como colocar o corpo para suar é só uma das necessidades diárias, há quem agregue a caminhada mais uma função. O representante comercial Luis Henrique Marques, 38 anos, prefere ouvir rádio e isso inclui até um dos programas mais odiados do Brasil. “É uma forma de ouvir noticias, saber o que está acontecendo, ouço até voz do Brasil”.

Andrea Cristina Costa, de 31 anos, vai e volta do trabalho todos os dias a pé, mas quem escolhe as músicas é a filha.Andrea Cristina Costa, de 31 anos, vai e volta do trabalho todos os dias a pé, mas quem escolhe as músicas é a filha.

Escolha certo - Vamos combinar que não é fácil engrenar em uma atividade diária. Por isso, quem estuda o assunto, ensina. Dependendo da modalidade, da intensidade e do nível de aptidão de quem pratica o exercício, a música pode ajudar ou atrapalhar.

A orientação da maioria é levar em conta o grau de atividade. Para iniciantes, a recomendação é sempre ouvir música, porque diminui a percepção de esforço e melhora a disposição. A escolha deve ser por canções que representem algo para a pessoa, que levem a boas lembranças, porque servem como incentivo.

Depois de um certo tempo, quando a passada ganhar mais ritmo, a dica é que o playlist passe a ser mais animado, com as batidas no mesmo ritmo da caminhada forte ou corrida.

Na internet, há várias listas montadas por profissionais de grandes academias do Brasil, que inclui na fase mais animada do exercício bandas como Foo Fighters, Black Eyed Peas, e canções de Christina Aguilera, Tiesto e o que mais aumentar os batimentos cardíacos.




imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.