A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

26/12/2013 09:19

A saga de quem passou fome ao viajar só com o cartão de débito por MS

Anny Malagolini
Falta de serviços básicos geram reclamações entre passageiros  (Foto: Cleber Gellio)Falta de serviços básicos geram reclamações entre passageiros (Foto: Cleber Gellio)

Época de fim de ano, as viagens aumentam e quem vai passar pelas rodoviária de Mato Grosso do Sul tem de ir preparado para péssimos serviços e nenhuma vantagem. Não há o básico de tempos modernos, do tipo pagamento com cartão de débito ou recarga para celular.

Veja Mais
Loja reinaugura com liquidação de jeans por 39,90
Unigran Capital terá Design de Interiores e Arquitetura e Urbanismo

Comprar passagem é possível, mas quem não tiver dinheiro no bolso vai rodar o Estado sem comer nada, caso as paradas ocorram só nas rodoviárias. De Corumbá a Campo Grande, de Três Lagoas a Ponta Porã, não há uma lanchonete que aceite cartão.

Dia desses, em viagem a partir de Ponta Porã, a equipe do Lado B iniciou a saga por um lanche, já que esquecemos de sacar dinheiro no banco. Na rodoviária do município, não foi possivel comprar nada, mesmo tendo dólares no bolso, notas que ficaram de uma viagem passada a Assunção.

Pretensão de quem pensou que, por ser uma cidade turistica, na fronteira, a moeda norte-americana fosse facilmente aceita. O jeito foi seguir com fome.

Na primeira parada, em Dourados, novamente nenhuma lanchonete da rodoviária com máquina de cartão de débito. Também não há caixas eletrônicos, o que dificulda muito a vida de um turista desavisado. Os dólares no bolso não serviriam nem para pegar um táxi, caso fosse necessário. Segundo um dos taxistas, ninguém aceita a moeda estrangeira porque a casa de câmbio que existia em Dourados fechou este ano.

Em lanchonete, placa avisa que não aceita pagamento com cartão (Foto: Cleber Gellio)Em lanchonete, placa avisa que não aceita pagamento com cartão (Foto: Cleber Gellio)

Ainda hoje é difícil acreditar que existe um comércio que não aceite cartão de débito ou crédito, ainda mais em um Estado que quer lucrar com o turismo. Pior, nem na rodoviária da Capital esse "luxo" chegou. Há caixa eletrônico, mas quem passa pelo local depois da 22h fica sem poder sacar por questões de segurança impostas pelos bancos.

Para consumir nas lojas e lanchonete, também é indispensável dinheiro em espécie. Não dá nem para comprar uma lembrancinha regional.

A qualidade dos produtos à venda é outra coisa a lamentar. A bomboniere tem salgadinhos de milho e Maria Mole na casquinha de sorvete com balão, daquele de bulicho, por R$ 0,70.

Nas duas lanchonetes, são vendidos salgados, desde coxinha a pão italiano, a partir de R$ 3,00, com mais massa do que recheio. Tem também sanduíche natural, e lanches mais completos, que levam hambúrguer, sem aparência muito boa, de R$ 6 e R$ 12,00.

Nem no setor de alimentos, ou na loja de roupas e acessórios e na única com teor turístico, com artesanatos produzidos no Estado, há possibilidade de pagar com o cartão.

A cada 15 dias, Jéssica Ramirez, vai a Ponta Porã. Ela conta que sem saber que no local não passava cartão, teve que recorrer a lanchonetes vizinhas e quase perdeu o ônibus.

O prédio ainda está longe do conforto. Para o administrador Rodrigo Cazelli, 33 anos, o que torna o lugar ruim são as pessoas. "O espaço é sujo", comenta. O banheiro tem aspecto de limpo, mas o cheiro é ruim.

Sem crédito - Em uma das últimas passagens pela rodoviária de Campo Grande, a empresária Aparecida Antônia Matos, de 50 anos, conta que teve que pedir ao filho, que mora em Dourados, para que inserisse crédito em seu celular, pela falta de locais que vendam recarga por aqui. Outra reclamação dela é a falta de farmácia “Em uma emergência é complicado, eu mesmo já passei apuros por isso”, comenta.

Produtos produzidos no Estado também são vendidos. (Foto: Cleber Gellio)Produtos produzidos no Estado também são vendidos. (Foto: Cleber Gellio)



Mas isso não é apenas em MS, estava em bombinhas SC e passei pela mesma situação, dinheiro na conta mais vários estabelecimentos não aceitavam cartão, e pior do que isso foi andar km de distancia ate uma agencia bancaria mais próxima e não ter dinheiro no caixa... em plena temporada sem 1 real no caixa...
 
ANGELA SANTANA JACOME em 26/12/2013 22:46:13
Essa lanchonete da Rodoviária de Campo Grande é uma vergonha,além de não aceitar Cartão os salgados são de péssima qualidade,quase morro de fome todas as vezes que viajo para Cascavel/PR. Quem sabe agora a AGEPAN tome providencia.
 
Ivete de Oliveira dos Santos em 26/12/2013 21:54:45
Não é apenas em MS, em muitas cidades e estados não existe a menor condição de receber turistas e viajantes, uma verdadeira vergonha, o que demonstra que o país ainda é de 10º mundo. Não há condições de viajar por esse país, por isso sempre indico a parentes irem para o exterior, especialmente países desenvolvidos, além de ser mais barato existem estruturas e aceitam diversas formas de pagamento, inclusive com cartão.
 
Jorge Souza em 26/12/2013 20:58:55
A rodoviária de Campo Grande é uma vergonha, em todos os sentidos, no que diz respeito ao atendimento, Acessibilidade, recepção, informação, reclamação, alimentos, pousada (hotel), etc., se você deseja viajar e tiver de ir até a rodoviária e preciso estar preparado para o improviso, pois, nunca terá uma demanda sendo suprida no mais simples dos serviço que seria o comprimento da legislação de transporte, onde os ônibus deveriam chegar no horário, mas, chegam sempre atrasado (normal, 2 ou mais horas de atraso), tente reclamar e jamais darão um feedback sobre sua reclamação, os alimentos são um horror, principalmente no primeiro horário (depois das 06:30) quando abrem, são requentado, e o atendimento, parece que esta nos prestando um favor, e não um serviço que adquiro.
Ou seja, Rodoviária de Campo Grande é uma vergonha para uma capital com a importância que se tem para o Estado no turismo Nacional.
 
Digelson Pazeto de Morais em 26/12/2013 20:28:57
Esses dia resolvi compra frutas aqui perto de casa, aí fui até um daqueles carros que ficam estacionado em ruas movimentas com uma grande variedade de frutas fresquinha... aceitavam todos os cartões de crédito e débito... Outro dia esta eu andando pelas ruas centrais de Campo Grande e o que me chamou a atenção foram os ambulantes espalhados pela 14, pela 13, afonso pena...eles aceitavam cartões... Minha prima se casou no mês passado e lá também tinha uma máquina de cartão, para receber o dinheiro da da venda do véu da noiva e da gravata do noivo... Agora um estabelecimento comercial, num ponto de entrada e saída da capital e de outras cidades sem esta bendita máquina é no mínimo uma vergonha...
 
Claudio Benites da Silva em 26/12/2013 18:42:17
Sou de Campo Grande, nascido e criado aqui. Fico muito triste do descaso dos governantes em construir uma rodoviária ta ruim como a nossa. Campo Grande é uma Capital, e contar com um terminal rodoviário como temos é um absurdo. A sujeira impera dentro da rodoviária, pra comprar um salgado você enfrenta uma fila quilométrica, além dos preços dos produtos que é exorbitante. Concordo com amigos de fora em criticar o nosso serviço de terminal rodoviário, pois realmente deixa muito a desejar. Cade a Vigilância Sanitária que faz tantas exigências no que se refere a alimentação. Sou contador e pra você tirar uma Licença Sanitária de uma pequena casa de lanches fazem exigências sem fim. E o nosso Terminal Rodoviário como fica?????
 
Flodoaldo Modesto de Medeiros em 26/12/2013 18:35:52
Muito bem lembrado Geraldo, mas isto os boyzinhos com cartão no bolso não se lembram, só querem comodidade e ponto, sem se importarem com quem "paga a conta" por suas facilidades.
 
Maria Silva em 26/12/2013 17:59:37
O duro é o cara sair de viagem e não ter nem R$ 10,00 ou R$ 20,00 no bolso para comer alguma coisa. As pessoas saem de casa e querem comer uma coxinha por R$ 2,00, caso contrário é caro, pagar com cartão de crédito e se acham na razão de reclamar. Fiquem em casa ou levem o pão com mortadela na bolsa.
 
Edivaldo Neuer em 26/12/2013 17:31:27
Gente, não reclama pior é viajar para a Região Norte do país, não tem banheiro e muito menos restaurante que possa comer. O jeito é trazer a comida de casa.
 
Adriana Gonçalves Costa em 26/12/2013 17:29:56
ABSURDO, passou da hora de haver lei de obrigatoriedade, aliada à benefícios ao comerciante, bancos tem que abrir mão um pouquinho, que com giro maior redundará em lucro de alguma forma.
 
Suzi Costa em 26/12/2013 16:08:07
Só nas Lanchonetes que não aceitam cartão!!!
As Lojas Aceitam Cartão sim!
 
Leticia Costa em 26/12/2013 16:08:00
e porque todos vc nao muda pra outra cidade pra reclamar aqui ja tem bastante muda pra cuiaba la vai ter copa ai vcs serao mais feliz
 
antonio ameida em 26/12/2013 15:52:05
Até nos Estados menos favorecidos aceitam cartão de crédito e débito, em Tocantins última cidade na divisa com Goiás, quando você pensa que chegou na cidade, já esta saindo, paramos na rodoviária e pagamos com cartão.
 
Maria Madalena Alves em 26/12/2013 15:23:53
Até onde averiguei, as duas lanchonetes da Rodoviária de Campo Grande, apesar de nomes diferentes, pertencem ao mesmo dono. Ou seja, praticam preços e manobras que bem entenderem! E a livre concorrência como fica?! Está ae algo pro MP gastar seu precioso tempo.
 
Márcio de Andrade em 26/12/2013 15:05:50
Esta 'Nova" Rodoviária é mais uma obra do tipo troca de gato por lebre da administração passada que perdeu as eleições em Campo Grande, a antiga rodoviária pelo menos tinha lojas,de roupas e sapatos,Cabeleireiro, restaurantes, cinemas só faltava uma plataforma de embarque e desembarque melhor,esta atual tem ampla plataforma para os ônibus mas estrutura para os passageiros deixa muito a desejar .esta é a realidade.
 
antonio costa em 26/12/2013 14:00:15
Por isso só ando de avião!!!!! kkkkkkk
 
Julio Lopes em 26/12/2013 13:18:18
Comerciante q nao aceita cartão hoje em dia tem q fechar as portas, onde já se viu isso?
Não consegue manter uma maquineta de cartão feche as portas ou será q isso é só para sonegar imposto?
cade a Receita Estadual pra ver isso?
Certeza que há muita sonegação por aí.
 
Pedro Alcantara Machado em 26/12/2013 13:18:00
Por isso só ando de avião!!!!! kkkkkkkkkkkk
 
Julio Lopes em 26/12/2013 13:16:53
Tudo relatado não passa da mais pura verdade. Não existe respeito nestes lugares. Alguns atendentes não agilizam o processo de vendas e os ônibus saem com lugares sobrando mesmo com pessoas para comprar essas passagens. As paradas são em lugares horríveis sem o mínimo para atender o cliente que não é da região. O preço aplicado de acordo com a vontade de cada local. Ou você paga ou fica com fome. Para tanto já ando prevenida, congelo água, levo pequenos lanches pois não pretendo ficar a merce da vontade de cada estabelecimento. Mas falta incentivo também aos pequenos comerciantes pois manter essas máquinas não sai nada barato!
 
Maria Vieira em 26/12/2013 12:34:34
É a modernidade que ainda não chegou. O atraso está estampado a olhos vistos. Pra que modernidade?
 
Adriano Magalhães em 26/12/2013 12:17:01
Vamos entender os dois lados!
Em Rodoviária os produtos são de baixo custo, diríamos em média de uns R$ 20,00.
Se um Comerciante tem um lucro líquido de 30% (já é considerado um lucro líquido alto), ele teria na média R$ 6,00 por venda.
A maquineta de passar cartão custa (geralmente) R$ 120,00 por mês, se você tiver que abrir a conta em um banco para ter a maquineta gastará uns R$ 40,00 (cesta mínima de cobrança mensal de manutenção de conta em um banco) e ainda pagará em torno de 5% para banco em cada venda.
Então, já indo ao resultado, o Comerciante terá que vender 32 produtos (com preço de venda de R$ 20,00) só para pagar só para pagar uma maquineta.
Ou seja, R$ 640,00 em venda bruta só pagar a maquineta.
Os bancos precisam ser menos sanguinários e oferecerem maquinetas mais baratas.
 
Geraldo Silva em 26/12/2013 11:05:41
Em janeiro desse ano fui ao Habib's da Afonso Pena, pedi uma pizza e na hora de pagar... mico! Eles não aceitavam cartão. Hoje, não sei se mudou nunca mais fui lá.
 
Francisca Mesquita em 26/12/2013 10:52:11
Nossa, que vergonha . Se os comerciantes não conseguem pensar em oferecer um serviço tão simples e padronizado, imagina a mentalidade deles para outras coisas.
 
Rogério da Paixão em 26/12/2013 10:38:50
eu tambem passei por tudo isso que falaram e uma vergonha mesmo se vc não tive dinheiro vc não come aqui em tres lagoas que ta cheia de industria não existe caixas 24 horas e um absurdo
 
gleidilene de oliveira amorim em 26/12/2013 10:17:07
Isso é a mais pura verdade, trabalho fora da capital e sempre estou viajando, os serviços das rodoviárias de MS é uma vergonha.
 
jose roberto da silva ribeiro em 26/12/2013 10:12:20
Concordo com a reportagem, e esqueceram de citar que de madrugada faz um frio terrível na rodoviária de Campo Grande, mas terminal rodoviário é para pessoas com baixo poder aquisitivo, e como sempre, o poder público não dá a mínima para pobre.
 
Cléo Adriano em 26/12/2013 10:08:02
Eu só faço viagens com a botija de água gelada e a farofa de frango a tira colo, não dá para comer comida de estrada.
 
Dina Divina em 26/12/2013 10:04:52
Já fiquei sem consumir em Bonito por ter locais que também não aceitam cartão... pra mim o MS não está absolutamente nada preparado para o turismo!
 
Ana Paula Miranda em 26/12/2013 10:02:30
Outra coisa ridícula na rodoviária de Campo Grande é a falta de um restaurante descente, aliás, de um restaurante. Para uma rodoviária de uma capital e ainda, do porte de Campo Grande, é vergonhoso e anti-higiênico ver pessoas/passageiros comendo em mesas improvisadas no meio de pombos e do vai e vem dos "transeuntes"... Cadê a Vigilância Sanitária? Outra coisa são os preços exorbitantes dos salgados, lanches... e, principalmente, dos sorvetes que têm os preços remarcados com recortes de papel improvisado e afixados sobre os preços constantes da tabela elaboradas pelos fabricantes. Pode isso??
 
Valdemir Contiero em 26/12/2013 10:02:14
Bem se vê porque a copa não veio para cá, seria um fiasco. Uma rodoviária minúscula, que quando chove entra água, um aeroporto péssimo, típico de cidades do interior, rede hoteleira fraca, ruas mal conservadas, bares e lanchonetes com preços abusivos, transporte público de péssima qualidade, ruas mal sinalizadas....e por aí vai.......
 
Paulo Bonsini em 26/12/2013 09:57:57
Pois é...cadê a AGEPAN com o "PROJETO PARADA LEGAL", jogaram dinheiro no lixo pois as paradas em MS são precárias.
 
Renato chaves em 26/12/2013 09:39:58
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.