A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

09/10/2013 06:18

Boteco inaugurado na década de 60 tem cachaça encalhada há 50 anos

Ângela Kempfer
O proprietário que há 50 anos abriu bar no Manoel Taveira. (Fotos: Marcos Ermínio)O proprietário que há 50 anos abriu bar no Manoel Taveira. (Fotos: Marcos Ermínio)

Quem passar pela rua Terlita Garcia, no bairro Manoel Taveira, em horário comercial, com certeza verá o proprietário sentado na porta do “Bar do Jorge”. Na cadeira de cordas, com cachecol no pescoço (mesmo com um calor danado), o senhor de 86 anos não tira os olhos do movimento.

Veja Mais
De super-herói a câmera analógica, presentes para nerds estão em alta
Oficina oferece de graça curso básico sobre veículos para mulheres

Não há ser humano com um pouquinho de curiosidade que siga o caminho sem entrar. Lá dentro, no teto, os baldes e vassouras à venda têm a poeira de, pelo menos, uns 20 anos. Mas é a cachaça o item mais antigo, conta o dono, Jorge da Silva.

Um carregamento da legitima bebida brasileira foi comprado para a inauguração do bar, há 50 anos. Algumas garrafas estão lá desde então. O rotulo da Caninha Oncinha chega a estar duro de tão sujo. O valor é reajustado como qualquer outra bebida e hoje custa R$ 12,00.

Tão velhos, só os baleiros de tampas surradas, amassados como se já tivessem caído ao chão milhares de vezes, desde 1962.

Jorge nasceu em Pernambuco e desde os 7 anos vive longe dos pais. Foi parar na Amazônia, virou militar do Exército e depois decidiu apostar o que tinha em Campo Grande.

Chegou quando não havia nada na região, na saída de Rochedo. “Era só terra e eu”, lembra o senhor de fala lenta. “Os muros da escola, ajudei a construir como muita casa aqui”, conta.

Fachada já em queda.Fachada já em queda.

Depois de casar duas vezes e ficar viúvo também na mesma conta, hoje ele vive sozinho no bar que já não tem clientela. “Tem dia que entra alguém para comprar bala ou uma pinga”, diz.

Os filhos ganharam o mundo e agora ele quer fazer o mesmo caminho. O trabalho ali já rendeu 8 assaltos, o último no dia 12 de setembro. Agora, ele anda com um porrete ao alcance da mão e uma atenção incrível para quem já passou dos 80.
O ar desconfiado, de quem fala sem querer dizer, só desaparece quando seu Jorge começa a planejar o futuro.

De repente, após muitas palavras arrancadas praticamente na marra, ele engata uma conversa animada e pede para a reportagem fazer o anúncio: “Diz que eu coloquei o bar à venda. Tenho dois lotes aqui. Quero me desfazer para ir morar com a minha filha em Andradina (SP)”.

Na árvore em frente ao bar, por falta de uma, são 3 placas anunciando a venda: “Vendo dois lotes por R$ 70 mil cada, sem desconto”.

Os imóveis estão em terrenos de tamanho 12X30. Foram comprados quando poucos se aventuravam na região. “Tô vendendo barato. Tem gente que diz que vale R$ 120 mil cada um”, garante o proprietário.

Para quem duvida do justo valor, ele acrescenta: “Aqui só se usa a verdade. Se for para eu mentir, vou deixar de ser homem”.

Para os interessados nos terrenos, seu Jorge pede para divulgar o número do telefone: 91719187.

Produtos no teto têm a poeira de décadas.Produtos no teto têm a poeira de décadas.



esse é irmão do meu avô, manoel jorge da silva !!! kkkkk igualzinho o meu avô, incrível !!
 
francilene jorge em 11/10/2013 00:33:40
nem todos vasilhames contem sistema de fechamento que permite conservar o produto por tanto tempo, cautela ao consumir o xixi de onça..
 
suzi da costa em 10/10/2013 06:23:29
Muito boa a materia infelizmente a maioria não quer mais a vida simples sem tecnologia ,seu jorge tomara que o senhor realize seu sonho e vá para Andradina em chegando lá monte outro secos e molhados e continue sendo assim um pernambucano original. parabéns ao campo grande news por esta reportagem. (o pouco com Deus é muito).
 
claudeci candido em 10/10/2013 06:12:58
ótima reportagem, isso amplia ainda mais a qualidade das reportagens desse conceituado meio de comunicação, e por cima ajudando pessoas com necessidade de uma forcinha, parabéns.
 
osavaldo leite dos santos apelido (guere) em 10/10/2013 05:22:54
Maravilhosa matéria, estamos realmente precisando de matérias com esta, que histórias de gente do bem que vivem na simplicidade, que mostra que não precisamos de muito para sermos felizes, parabéns e façam mais matérias dessas. Fiz uma viagem ao passado incrível aqui. Muito boa matéria!!!
 
Fernanda Cruz Fernandes em 09/10/2013 20:47:00
Parabéns a repórter!
 
cristiana rosa em 09/10/2013 20:07:45
Sou colecionador de cachaça há 35 anos. Tenho mais de 2.600 litros e garrafas do Brasil inteiro e algumas do exterior. Vou ter que ir neste boteco comprar uma oNCINHA. qUEM QUISER TROCAR CACHAÇAS REPETIDAS É SÓ ME LIGAR. Nelson Dias Neto 67-9973-1144. ndneto@terra.com.br
 
nelson dias neto em 09/10/2013 16:38:15
Linda reportagem parabéns, para a repórter. Hoje moro no Rio de Janeiro, mas
você conseguiu que eu ficasse saudoso. Sei muito bem como são esses comércios a beira da estrada. Me fez retornar a minha infância. Sou sul matogrossense com muuuuuito orgulho de tudo que o meu estado tem. Valeu e até o final do ano.









 
cleber barbier em 09/10/2013 16:31:19
Esse é meu vô João Jorge da Silva, trabalhador, pessoa simples e de bom coração.
 
Doralice P.P. da silva em 09/10/2013 16:15:31
Faz muito tempo que não tomo uma IPIOCA será que tem lá.
 
jose carlos em 09/10/2013 16:00:20
Que matéria linda!! Parabéns, Angela. Morei próximo ao B. Manoel Taveira e não conheci esse bar. Confesso que fiquei curiosa para conhecer o Sr. Jorge.
 
Mara C. Freitas em 09/10/2013 14:44:31
Sr jorge , vou compra duas garrafas dessa oncinha que o senhor tem ai , tomar uma oncinha de 50 anos so pra quem saber degustar uma velha pinga brasileira, sempre com moderacao e sim apreciacao.


 
paulo moura em 09/10/2013 14:29:18
Adorei a matéria muito boa mesmo olhando esse lugar da saudades do tempo que eu morava em Corumbá e tinham bares assim.Hoje tudo mudou e quando entramos em lugares assim que são poucos ficamos maravilhadas com coisas antigas mas que fizeram parte da nossa infância.Parabéns pela matéria
 
Vania Regina em 09/10/2013 14:01:50
Vou visitar, e tomar essa Oncinha do Sr. Jorge
 
rubens.alvarenga em 09/10/2013 13:50:04
Parabéns pela matéria !!
 
José Menezes em 09/10/2013 10:44:56
Essa coluna Lado B é a melhor! Leio todas as matérias desde que me mudei para Campo Grande e conheci o Campo Grande News. Parabéns!
Obs. Espero que o sr. Jorge consiga realizar o sonho dele.
 
Letícia Moraes em 09/10/2013 10:44:14
tio jorge,nao mudou nada,continua com a mesma feição de sempre,o bar continua intacto desde da época da tia marina,ja falecida,parabens tio,que Deus te conserve sempre assim.
 
CELIA BRITO PORTO em 09/10/2013 09:33:22
Gostei muito da mateia, parabens pela ideia.
 
tina.leite em 09/10/2013 09:30:26
Nossa, maravilhosa matéria, estamos realmente precisando de matérias que contem histórias de gente do bem que vivem na simplicidade, que mostra que não precisamos de muito para sermos felizes. Como ja dizia o cantor Daniel " quanto de dinheiro eu preciso, como é que se conquista o paraíso... quanto custa, pro verdadeiro sorriso, brotar do coração" :) PARABENS.
 
dorileu vilassante romero em 09/10/2013 08:51:56
As matérias do lado B sempre são muito interessantes. Revirando a história.Sucesso!
 
Hercules Hillesheim em 09/10/2013 08:14:15
Grande Seu Jorge, foi combatente na segunda guerra mundial...
 
Willian Holz em 09/10/2013 08:01:40
Que matéria legal, Ângela!
Na minha opinião o texto está legal também. Poucos parágrafos, bastante informação, bom emprego das palavras. Não sou letrado, mas gostei.
Parabéns!
 
Erasmo Dias em 09/10/2013 07:16:31
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.