A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

01/04/2014 12:49

Catchup agora pode ter pelo de rato e chocolate das crianças vir com 10 insetos

Paula Maciulevicius
Notícia até parecia pegadinha para os consumidores. A reação da representante comercial Fátima foi de que horror. (Fotos: Marcelo Victor)Notícia até parecia pegadinha para os consumidores. A reação da representante comercial Fátima foi de "que horror". (Fotos: Marcelo Victor)

Catchup agora pode ter pelo de rato e o chá de camomila ser servido com até cinco insetos. É oficial, norma estabelecida pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). 

Veja Mais
Anvisa define regras sobre presença de matérias estranhas em alimentos e bebidas
Anvisa vai dar nota a bares, restaurantes e lanchonetes pela higiene

Parece até brincadeira, mas uma resolução publicada ontem no Diário Oficial da União normatizou o número máximo de insetos, pelos de ratos e ácaros que podem ser encontrados nos alimentos, quando na verdade, não teria de ser nenhum.

Mas como nem a indústria alimentícia, nem a Anvisa têm tecnologia para tolerância 0, a jeito foi estabelecer "algum parâmetro", evitando assim uma enxurrada de denúncias e pedidos de indenização. 

A medida estabelece o limite tolerável de “matérias estranhas” em frutas, farinhas, chás, cafés e achocolatados. Por exemplo: catchup, molho, purê, polpa e extrato de tomate podem ter até 10 pedaços de insetos para cada 100g.

Para a mesma proporção, um pelo de rato achado ainda está dentro do permitido e não pode gerar reclamação. O achocolatado em pó das crianças, pode conter até um pelo de rato, ou 10 partes de insetos para cada 100g.

As frutas desidratadas não escaparam. O limite máximo para pedaços de insetos é de 25 para 25g. Nas geleias de frutas, uma embalagem de 100g não pode ter mais do que 25 fragmentos de insetos.

Na farinha de trigo, ingrediente primordial para pães, biscoitos e bolos, a quantidade permitida é de 75 pedaços de insetos para cada 50g. O chá de camomila entra com número mais específico: na embalagem de 25g, quem encontrar até cinco insetos inteiros não tem direito a reclamar.

Para a dona de casa Elisa, absurdo é. Mas se for avaliar tudo, não se come mais nada. Para a dona de casa Elisa, absurdo é. Mas se for avaliar tudo, não se come mais nada.

Na justificativa, a Anvisa coloca que tais percentuais não significam risco. Consumir produtos assim pode não provocar problema de saúde, mas que causa repulsa, isso é inegável. 

“Nossa, que horror”, é o comentário da representante comercial, Fátima Cristina Monteiro, de 47 anos. A normativa abre margem para se imaginar quanto de insetos e pelos de roedores não estamos consumindo antes de qualquer legislação definir o máximo. “A população está à mercê dessas coisas e isso não é legal”, diz a dona de casa Rosângela Nunes, de 59 anos.

A dona de casa Elisa Maria Loureiro, de 57 anos, se choca. “Agora tem a quantidade que vai ser permitida? Isso é um absurdo. Não é só esses alimentos, massa de tomate, óleo... Se a gente for avaliar como é feito, não come nada”, resume.

A Anvisa justifica que a regulamentação visa promover a melhoria da qualidade e segurança dos alimentos. Para ver a resolução completa, clique aqui.

Anvisa define regras sobre presença de matérias estranhas em alimentos e bebidas
Resolução da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicada hoje no Diário Oficial da União define requisitos mínimos para a avaliação d...
Anvisa vai dar nota a bares, restaurantes e lanchonetes pela higiene
A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou proposta que prevê categorização de serviços de alimentação. A intenção da agência regula...
Anvisa proíbe venda de 20 lotes de suplemento de proteína para atletas
Resoluções da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicadas hoje (28) no Diário Oficial da União proíbem a venda de 20 lotes de suplem...



Só pode ser brincadeira de 1º de abril!! Isso não tem cabimento em um País que se diz sério!! Quem aprovou isso?!
 
Oliver Barbosa em 01/04/2014 17:58:50
kkkkkkk sera que insetos agora fazem bem pra saude, daqui uns dias vamos estar que nem a china comendo cachorro kkkkk
 
daiane silva santos em 01/04/2014 17:56:20
Olha o absurdo que acontece somente no nosso BRASIL.Com esta brecha ,vamos comprar alimentos com fungos.....estamos esquecendo de ver quantas pernas de baratas vai poder ter nos alimentos....O Brasil vai mudar o nome para Hogwarts, e teremos vários Voldemort....ensinando bruxaria aos nossos filhos..
 
GILBERTO P PEREIRA em 01/04/2014 16:41:54
Isso só comprova e mostra de vez o quanto nosso país não tem condições de ser um país de primeiro mundo mesmo, se voce não tem equipamento para produzir produtos alimenticios 100% livres de "corpos estranhos", meu amigo, abra uma fabrica de pneus, claramente sua empresa não tem CONDIÇÕES de produzir produtos alimenticios.
Se o órgão não tem CONDIÇÕES para fiscalizar de forma 100% eficiente, vamos fechar o órgão, melhor não ter, melhor não pagar salário a profissionais que não tem equipamentos para exercer a função, melhor não gastar com aluguel do predio da ANVISA, melhor não ter a ANVISA, se eu não tenho martelo e serrote, eu não vou abrir uma marcenaria.
 
maximiliano rodrigo antonio nahas em 01/04/2014 15:24:19
Torcendo pra ser mentira de 1º de abril, tão de sacanagem com a cara do consumidor só pode.
 
Maryanna Meins em 01/04/2014 13:29:13
Quem aprovou isso por acaso foi o Andrew Zimmern, aquele apresentador do programa Comidas Exóticas do canal Discovery ?
 
Edney Ueno em 01/04/2014 13:21:26
Notícia de primeiro de Abril....só pode!
Ninguém pode ser tão estúpido assim!
 
Luciano Bandeira em 01/04/2014 13:09:17
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.