A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

15/08/2012 10:31

Com greve na Universidade Federal, quem sofre é dono de bar

Ângela Kempfer
Conveniência do Escobar fica quase vazia em dias de greve. (Fotos Minamar Júnior)Conveniência do Escobar fica quase vazia em dias de greve. (Fotos Minamar Júnior)
No concorrente Batata Mais, conhecido como bar da Heineken, a dona diz que já está desistindo de colocar as mesas para fora.No concorrente Batata Mais, conhecido como bar da Heineken, a dona diz que já está desistindo de colocar as mesas para fora.

O bar tem 24 anos e há muito tempo não ficava tão às moscas. Desde o início da greve na Universidade Federal, em 20 de junho, já se vão quase dois meses de paradeira na Conveniência Escobar, lugar preferido dos universitários para terminar a noite em dias de aulas.

Veja Mais
Begèt de Lucena e Mari Depieri são as vozes do Som da Concha de hoje
Festival de Artes começa com público fraco, mas tem vocação para ser resistência

É assim há gerações de calouros e veteranos da UFMS. Quem passou pela universidade e não conhece o Escobar, não aproveitou tudo o que poderia.

O endereço na rota de quem deixa a universidade, na Rui Barbosa, os preços bem ao gosto do bolso de estudante e o clima divertido são o que mantêm o bar por tanto tempo.

Mas o que realmente conta, na avaliação do dono, é a quantidade de histórias produzidas no lugar que viram história para a vida toda, depois da formatura.

“É aqui que as pessoas encontraram o namorado, a namorada, que fizeram amigos para sempre”, diz o filho do proprietário, Onivaldo Escobar.

Quando o pai abriu a conveniência, o rapaz de 18 anos já trabalhava no lugar e viu muita coisa mudar com o tempo, principalmente a frequência feminina. “Antes não tinha menina que jogava sinuca, agora elas jogam e sentam para tomar uma cerveja”.

Com a greve, o número de clientes caiu 70%. O agravante, é que nem os vizinhos salvam o movimento, porque a maioria é universitário de outras cidades e voltou para casa durante a folga forçada.

Nem a possibilidade de recuperar o prejuízo durante a reposição de aulas lá na frente, no período férias, é capaz de animar. “É que aí vira uma correria, muita gente tendo de tirar o atraso e não vai para o bar, né”, avalia Onivaldo.

Não dá nem para conversar com estudantes sobre o assunto, porque nenhum apareceu no bar nos últimos dias.

No concorrente Batata Mais, conhecido como bar da Heineken, a dona diz que já está desistindo de colocar as mesas para fora. “É só para pegar poeira”, reclama.

Graziele Soares dos Santos, de 36 anos, lembra da péssima notícia uma semana antes de começarem as férias do meio de ano, a greve. “Aproveitei então para fazer uma reforma, mas parece que essas férias não terminam nunca mais”, diz.

Agora, a empresária apela para Deus. “Fiquei sabendo que na semana que vem acaba (greve). Vou rezar”.




A Grazy é foooooooda !
 
Gabriel Monteiro em 18/09/2012 11:19:54
No escobar tem muitas historias !!!Ah tem muita gente forma e se especializando na faculdade escobar .
 
Arianne faria em 16/08/2012 09:10:45
Um ponto que ja marcou a Historia de muita gente, o Escobar faz parte da agenda semanal dos academicos.Eu não me fiz de rogada e mesmo com greve dou meus pulos por la. Bora dar uma força pro Nivaldo kkkk
 
michela becker em 16/08/2012 07:43:51
Queridos acadêmicos, queremos que a greve acabe, ainda não terminei meu semestre no Bar do Escobar KKK
 
Vinícius Gomes em 15/08/2012 12:21:55
SHUAIHSAIUHSUIAHSUIA Tava demorando! Tem gente que ta esperando as aulas voltarem só pra voltar pro Escobar!
 
Guilherme Delmondes em 15/08/2012 10:59:03
Calma pessoal já estamos com o movimento de voltar ao ESCOBAR, devido a triste matéria publicada pelo site campograndenews, resolvemos fazer este comunicado: vamos todos amanhã no escobar matar as saudades e mostrar que não é para as moscas tomarem conta do nosso querido escobar; Convocamos todos e de todos os cursos. Bora confraternizar. Conto com a presença de todos

Amanha quinta-feira 13:30hs
 
Carla Zurutuza em 15/08/2012 07:50:16
Com greve na Universidade Federal, quem sofre é os estudantes, que estão com a vida acadêmica estagnada e têm seus projetos todos adiados.
Mas eu não vi os professores adiarem participação em Colóquio, Congresso, simpósio, em Lançamento de Livros.etc
Em não vem com esse papinho de que é prol da educação, que não vai colar.
 
Camila Soares em 15/08/2012 05:49:37
Bom, se o pessoal quer tanto ir lá, é só ir! Em período não letivo é lícito frequentar o local. Mas com relação à greve: Que vergonha para o Brasil! Meses de atrasos em pesquisas e no ensino!
 
Gustavo Ribeiro em 15/08/2012 04:45:37
Como assim não recupera o prejuizo depois que voltam as aulas? Claro que recuperam e muito, se não já tinham fechado as portas faz tempo.
 
Maximiliano Nahas em 15/08/2012 01:41:23
Cara, fica tranquilo, eu não passei na materia "ESCOBAR" no ultimo semestre, então vou ter que fazer denovo. hahaha' Com certeza irei repor as aulas do "ESCOBAR".
 
Pedro Teodoro em 15/08/2012 01:39:25
QUANDO A GREVE ACABAR.. BORA PRO ESCOBAAAAAAAAAAAAAAAAR
 
James Jr. em 15/08/2012 01:08:33
E um bar antigo, feio, mas o clima la é gostoso, nas sextas depois das 15 hrs esse escobar é o fervo, sou academico, não é so academico q vai não, mtos funcionarios da federal do expediente passa ali para uma reunião com os amigos kkkkk
 
Ricardo yoki em 15/08/2012 01:01:01
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.