A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

08/10/2015 06:34

De estilista aos alimentos sem glúten, espaço na Calógeras é de todos os estilos

Naiane Mesquita
Deid nasceu em Dourados, mas agora faz os vestidos de alta costura no Rio (Fotos: Gerson Walber)Deid nasceu em Dourados, mas agora faz os vestidos de alta costura no Rio (Fotos: Gerson Walber)

Há 24 anos trabalhando com moda, o estilista Deid Oliveira prioriza tecidos finos da alta costura para os vestidos que confecciona.

Veja Mais
Estilistas criam coleção especial para quem tem algum tipo de deficiência física
Referência em Medicina, cursinho abre inscrições para bolsas de até 100%

Morando no Rio de Janeiro, mas douradense na certidão de nascimento, Deid agora integra a lista de artistas que vendem seus produtos no Espaço Higa, localizado em frente à Antiga Estação Ferroviária Noroeste do Brasil, que une artesanato, moda, saúde e alimentação funcional em um só local.

Mariana idealiza o espaço há 7 anosMariana idealiza o espaço há 7 anos

Deid afirma que se mudou para o Rio pelas oportunidades que a cidade oferece em relação a moda e a cartela de clientes. “É uma cidade maravilhosa, onde tudo acontece. Esse segmento da alta costura, da roupa sob medida está com uma demanda lá pelo crescimento da procura da roupa pronta, moda praia. Casou com o que eu ofereço”, explica.

Para continuar atendendo as clientes sul-mato-grossenses, Deid foi convidado a ocupar uma das salas do Espaço Higa. “Eu venho de tempos em tempos para cá, fiquei 50 dias nessa última temporada, estou indo embora hoje e volto no Natal. Também trabalho com roupas de Carnaval e em breve já preparo as peças para a festa daqui”, diz.

O espaço também faz uma homenagem ao pai de Mariana, o fotógrafo Roberto HigaO espaço também faz uma homenagem ao pai de Mariana, o fotógrafo Roberto Higa
Roupas indianas e de outras partes do mundo são vendidas no local Roupas indianas e de outras partes do mundo são vendidas no local

A proposta de Deid casa perfeitamente com o objetivo do Espaço. Inaugurado há três meses pelas sócias Mariana Higa e Juliana Matos, o local busca se tornar um ponto de encontro e divulgação dos artistas regionais, que sentem algum tipo de dificuldade em mostrar esse trabalho.

“Temos saraus, festas, oficinas de fotografia, agora vamos montar um grupo de teatro, além de eventos esporádicos, como no dia 9 de outubro, que terá o lançamento da banda Comando Pérola. Todo domingo tem aula de tai ching chuan gratuito”, afirma Mariana.

Filha do fotojornalista Roberto Higa, Mariana projetou o espaço para ser um local de exposição, inclusive do trabalho do pai. Logo na primeira sala há fotos e máquinas antigas utilizadas por Roberto.

“Fizemos alguns produtos exclusivos também, como porta copos com imagens históricas de Campo Grande, fotos que podem ser transformadas em quadros e vendidas ao cidadão e não a jornais e revistas, é algo diferente do que fazíamos. É um pouco da história da imprensa, tem alguns acessórios dele, como colete e crachás”, aponta.

Os alimentos comercializados no local são do Capim Santo, sem glúten e sem lactoseOs alimentos comercializados no local são do Capim Santo, sem glúten e sem lactose

O artesanato é comercializado também, com um espaço definido para cada artista. “Brinco que tudo que você pode tocar você pode levar”, ri Mariana.

Ainda há uma sala para massagem e quiropraxia e o espaço do Capim Santo, de comida funcional, com produtos sem glúten e sem lactose. “Temos bolo de laranja com calda de laranja sem glúten ou lactose, torta de shimeji, shitake e cogumelos de paris, além de cookie de amendoas 70% cacau e um cupcake de cenoura com chocolate”, explica.

O preço varia de R$ 6,00 até R$ 8,00 (a fatia do bolo), todo o bolo sai em média por R$ 45,00 ou R$ 50,00. “O espaço é um sonho de sete anos. Eu sempre trabalhei no varejo e quando reencontrei a Juliana ela estava envolvida na alimentação funcional. Pensamos que a hora era essa”, acredita Mariana.

O Espaço Higa fica na avenida Calógeras, 3100, em frente a Estação Ferroviária. O horário de funcionamento é 10h às 20h, de terça à sábado, e das 8h às 13h, aos domingos. Informações pelo telefone (67) 3211- 7557.

O espaço fica em um lugar tombado como patrimônio histórico e cultural de Mato Grosso do Sul O espaço fica em um lugar tombado como patrimônio histórico e cultural de Mato Grosso do Sul



imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.