A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

10/04/2015 06:34

Dos 15 aos 18 anos, Bianca preparou o Fusca amarelo para a estreia na direção

Aline Araújo
O Fusca Amarelo, ficou como Bianca sonhou. (Foto: Marcelo Calazans)O Fusca Amarelo, ficou como Bianca sonhou. (Foto: Marcelo Calazans)

Bianca tinha 12 anos quando decidiu que o seu primeiro carro seria um fusca amarelo. Ela nem lembra como surgiu o encanto, mas conta que sempre desejou ter um carro desse modelo e cor. Uma paixão, daquelas que não se precisa explicar. De tanto desejar, para quem acredita, dá até para dizer que o destino deu uma ajudinha.

Veja Mais
Oficina oferece de graça curso básico sobre veículos para mulheres
Escola para crianças de até 6 anos não vai fechar nem nas férias

A mãe da acadêmica de Química, hoje com 18 anos, trabalha com vendas de carros usados e certo dia um senhor colocou à venda um fusca, ano 73, caindo aos pedaços, mas com o motor em bom estado. Um carro por R$ 3 mil. Na época, Bianca tinha apenas 15 anos, nem podia dirigir ainda, mas já que a oportunidade apareceu, os pais resolveram realizar o desejo da filha.

Bianca cuidou de cada detalhes do carro.  (Foto: Marcelo Calazans)Bianca cuidou de cada detalhes do carro. (Foto: Marcelo Calazans)

“Ele ficou dois anos parados e depois, um ano inteiro reformando. Teve muito estresse, porque é muito difícil mexer com carro antigo e gasta muito! Mas esse fusquinha é o carro dos meu sonhos e eu não vou vender nunca! Quero que ele faça história na minha família, até um dia, quem sabe, eu passar para os meus filhos”, comenta Bianca.

Com o Fusca comprado, a ideia era ir reformando o carro aos poucos, até Bianca completar a idade necessária para tirara a Carteira de Habilitação. Tudo foi feito com calma. A reforma parava quando as finanças apertavam. Primeiro, foi feita a pintura, depois o estofado, volante e acessórios. As peças foram escolhidas uma a uma por ela e tudo foi comprado na internet.

Na hora de selecionar cada item, ela decidiu priorizar o design original. Os detalhes escolhidos com cuidado estão reproduzidos em uma miniatura fixada no fundo do Fusca, e até no chaveiro do carro.

Os tios dela sempre gostaram de carros antigos e Bianca acabou ganhando o apoio da família e Fusca foi apelidado de “Leleco”. Impecável, o zelo mostra o quanto o veículo é tratado com carinho.

Ela tentou manter tudo como mais próximo ao original.  (Foto: Marcelo Calazans)Ela tentou manter tudo como mais próximo ao original. (Foto: Marcelo Calazans)
Leleco é o xodó da família.  (Foto: Marcelo Calazans)Leleco é o xodó da família. (Foto: Marcelo Calazans)

O carro ficou pronto em fevereiro, no dia do primeiro exame prático de direção de Bianca. Como ela reprovou, foi preciso esperar mais duas semanas até conquistar a Habilitação e poder, finalmente, sair por aí sem medo. 

“Foi lindo quando eu vi ele pronto. Eu queria muito andar nele, mas ainda não podia. Mas com certeza foi o melhor presente que os meus pais já me deram”, agradece. Toda a reforma saiu por mais ou menos R$ 15 mil, mas para Bianca não tem valor maior do que ver o seu sonho tomando forma.

Quando Leleco passa na rua é impossível não arrancar olhares das pessoas, o Fusca amarelo gema chama atenção. Bianca já até levou um susto por conta disso. “Eu estava parando em um semáforo na Ernesto Geisel, era quase meia noite e estava chovendo. Um cara parou e bateu no vidro do Fusca. Na hora eu pensei, 'já era, vou perder meu fusquinha'. Ai eu baixei o vidro e ele perguntou se eu queria vender! Eu falei que não vendo por nada”, conta a estudante.

No começo, os amigos até brincavam com a paixão dela pelo Fusca, hoje ele já ganhou o carinho da turma, que quando o fusquinha demora a andar, ajudam na base do "tranco".

Leleco antes...Leleco antes...
E depois.  E depois.



Muito boa a materia, e muito legal! Parece bem feito a restauração. Também ando bastante em um carro antigo retaurado, no meu caso um Caravan, e só duas dicas... (1) coloca apoio cabeça nos bancos dianteiros; é mais seguro em caso de um acidente. E (2) eu ando com um camera filmando o transito atras do retrovisor. Tem tanta gente furando sinal, e depois de causar um acidente geralmente fogem. E a prefeitura tem pouca camera para vc conseguir as provas contra quem danificou seu veiculo (alias, onde tem, poucos furam o sinal). Então filmando todo o que acontece é uma segurança a mais, já que seguro para veiculo antigo indeniza só terceiros mas não você.
 
Marc em 10/04/2015 12:36:51
Ficou muito bom, eu só não tiraria o farol original.
 
Max em 10/04/2015 08:25:25
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.