A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

10/09/2013 06:07

Enquanto tantos fecham, empresários vão inaugurar 2 bares longe da Afonso Pena

Paula Maciulevicius
Salomé Café Bar, franquia de Sorocaba chega a Campo Grande em outubro. (Foto: Marcos Ermínio)Salomé Café Bar, franquia de Sorocaba chega a Campo Grande em outubro. (Foto: Marcos Ermínio)

Na contramão da principal avenida de Campo Grande, empresários deixaram de lado a Afonso Pena para se aventurar nas ruas 7 de Setembro e na Barão do Rio Branco. Enquanto estabelecimentos fecham as portas do lado de lá, pelas redondezas há quem esteja contando os dias para inauguração.

Veja Mais
Para quem só toma Sidra, sommelier apresenta espumante bom e barato
Loja reinaugura com liquidação de jeans por 39,90

Os investidores são profissionais conhecidos no ramo da alimentação, um é o chefe de cozinha Marcílio Galeano, um dos proprietários do restaurante Jojô, e o outro é Ricardo Villaça Júnior, dono da Pastel D’ouro da avenida Tamandaré.

Aos 49 anos, Ricardo, diz em tom de brincadeira “quem é esse maluco que está abrindo bar enquanto outros estão fechando, não é?”, mas ele mesmo responde que o ‘x’ da questão está no perfil do estabelecimento. “Os bares da Afonso Pena estão em uma situação difícil. Você vê que são bares grandes e se observar os de tamanho mais enxuto, com um público definido, estes estão muito bem”, comenta.

O bar dele já está com a fachada pronta, na Barão do Rio Branco, o Salomé Café Bar é uma franquia de Sorocaba, interior de São Paulo. Da ideia inicial até a abertura foram três anos. “Visitamos um a um os bares de Campo Grande, pra saber os pontos fortes e fracos”, completa.

Foi em janeiro que o ponto foi escolhido e as reformas efetivas começaram em maio. O bar vai abrir onde antes funcionava uma casa de sucos, sem as restrições de estacionamento que uma avenida como a Afonso Pena impõe aos clientes, por exemplo.

Um dos donos do restaurante Jojô abre bar Maracutaia, também no próximo mês. Um dos donos do restaurante Jojô abre bar "Maracutaia", também no próximo mês.
O bar promete simplicidade de cerveja em copo de extrato de tomate e teto de caixote de frutas. (Foto: Cleber Gellio)O bar promete simplicidade de cerveja em copo de extrato de tomate e teto de caixote de frutas. (Foto: Cleber Gellio)

“Eu tenho a impressão de que sair da Afonso Pena é uma tendência. Se você pegar a Antônio Maria Coelho, tem cinco ou seis estabelecimentos, a José Antônio, a partir da Cândido Mariano também tem. Essa descentralização da Afonso Pena é em função principalmente do custo, que é muito alto”, avalia.

Antes de abrir, o bar já chega sem caçar confusão. O dono quer passar longe de brigas com a lei do silêncio e por isso não vai trabalhar com música ao vivo. “Nosso perfil será de pessoas um pouco mais velhas. Não vai ser um bar de balada”, acredita o empresário. A previsão é de abrir dentro da primeira quinzena de outubro.

Na rua 7 de setembro, quase esquina com a Bahia, a proposta do ‘Maracutaia’ é servir cerveja em copo de extrato de tomate. Nada a ver com o padrão de bares da Afonso Pena e muito menos com o que o chefe de cozinha Marcílio Galeano, de 32 anos, trabalha no dia-a-dia, como sócio-proprietário de um dos restaurantes de luxo da cidade.

Na opinião dele o problema com a maré de baixas que a cidade vem sofrendo não tem relação com a Afonso Pena. “É falta de gestão, de conhecimento. Mas acredito que seja uma tendência sair da avenida sim, é muito movimentado a para um público que senta e bebe, a Afonso Pena não é via para isso, atrapalha”, comenta.

A escolha do bar não teve a ver com o fato de ser ou não na avenida e sim muito mais pela sorte de achar o ponto vago, onde antes funcionou o Burger & Co. “Independente do lugar que abrir, se souber administrar vai dar certo”, diz. Marcílio e a sócia passaram os últimos seis meses fazendo levantamentos, planejando a obra e o cardápio e estudando o mercado. A previsão de abertura também é para a primeira quinzena de outubro.




Adoro música ao vivo, ainda mais ao ar livre. Campo Grande, especificamente a Afonso Pena, precisa se livrar desta Lei do Silêncio. É preciso reconhecer que a Avenida é historicamente um ponto de diversão da cidade e fazer uma Lei do Barulho para esta avenida. Os incomodados que se mudem da Afonso Pena. Esta cidade está se tornando uma cidade de velhos. Não é à toa que as conveniências ficam mais cheias que os bares. Se não tem música ao vivo, pra quê pagar bebida cara e couvert? Vai na conveniência, compra bebida barata e conversa lá mesmo... Até estacionamento de supermercado anda mais animado que os bares da cidade...
 
Patricia Lima Mira em 11/09/2013 00:31:40
A maioria dos que comentaram estão cobertos de razão. Música alta, em que é impossível conversar, comida péssima e cara, mau atendimento, isso somado gera falência. Curtir a noite é caro, tem que haver um retorno muito bom do empresário que se dispõe a investir nesse ramo. Tem que ser profissional e conhecedor do que faz.
 
Fátima Maria Ribeiro Dos Santos em 10/09/2013 22:34:07
Faça-me o favor, Luciane Pedroso. Você me lembrou a piada do marido traído que vendeu o sofá. Mau atendimento existe sim. É um fato notório. A pessoa que sai para uma noite de lazer tem uma expectativa de se divertir e ser bem atendido. É o mínimo, pois vai gastar, ou seja, pagará pelos produtos e serviços. Não está pedindo favor nenhum. Quem não tem esta visão, que não se estabeleça. Eu, que faço parte da maioria, só frequento lugares em que sou bem atendida. Seria muito burra e masoquista se fizesse o contrário.
 
Fátima Santos em 10/09/2013 22:26:52
Concordo com a Luciene Pedroso, é isso aí, moro em BH a 4 anos, e sabe porque aqui é a Capital do Boteco??? PORQUE mineiro, não tem frescura, se é para beber , bebe em copo de massa de tomate, senta em bar que tem engradado, o que importa é sentar, jogar conversa fora com o amigos e beber, seja onde for, me perdoe, sou sul-mato-grossense com orgulho, mas, tem nego nessa terra metido, quer STATUS, bebo na Afonso Pena, porque é chique, me ajudem, juntar a galera, seja onde for é bom demais, ver gente feia, bonita, sorridente, de bem com a vida é o que vale. Tenho certeza, que esses novos bares serão um sucesso, porque pensam no bem estar dos Campo-Grandenses e não na frescurite dos outros. Mês que vem, tô aí, terra querida e vou beber nos bares novos. ÔBAAAAAAAAAAAAAAA!!!
 
Patricia Vianna em 10/09/2013 21:26:41
Bruna Moura , eu sempre ouço musicas do tempo que eu não tinha nascido e olha que são bem melhores que as atuais.O que que tem demais um moço com violão tocando musica do tempo que ele ainda não tinha nascido?
 
paulo lessa em 10/09/2013 19:44:05
Se a cerveja estiver gelada, pouco importo se o copo é de extrato de tomate. Tem muito fresco aqui.
 
RODRIGO FERREIRA em 10/09/2013 15:33:56
Que tal um bar simples, aconchegante, com bom atendimento e boa música com volume propício a uma boa conversa?
Creio que agradaria o povo de meia idade que quer beber, comer, ouvir música boa (ao vivo sim) que tal MPB???? E que pode pagar a conta, porque já é profissionalmente resolvido.
Pense nisso!
 
Ana Gonçalves em 10/09/2013 14:30:32
Como proprietário de um bar e um restaurante em Campo Grande não posso deixar de contribuir com minha experiência. Deixei a vida de executivo de multinacional para realizar o "sonho" do negócio próprio, comprei um bar tradicional, na época com 13 anos de existência (isso foi a 3 anos), repaginei-o e não posso reclamar do resultado obtido, emprego 20 pessoas, cumpro com as exigências da lei, recolho todos os impostos e sobrevivo do negócio. Respeito e entendo a opinião de todas as pessoas que se manifestam, mesmo reconhecendo que muitas opinam sem nenhuma propriedade, mas respeito. Meu bar tem música ao vivo de 5ª a sábado, logo, atendo aos clientes que gostam de música de excelente qualidade nestes dias, para os amantes do som ambiente a casa tem as 3ªs e 4ªs.
 
Pedro Luiz Domingues em 10/09/2013 13:16:15
temos um bar novo na cidade, chama-se Boteco da Gula, na R. da Paz, sai da afonso pena, sobe a r. bahia, a direita na r. da Paz, bem no meio do quarteirão, do meu amigo Jullyam, tem ótimo atendimento, vale a pena conferir!
 
hudson f g terencio em 10/09/2013 12:57:35
em belo horizonte, tem dois bares que o pessoal aqui de campo grande poderia aprender um pouco com eles: o emporium que fica nos altos da av afonso pena dela, em frente ao edifício sede da Oi, e ou outro é o bar brahma, próximo ao pátio savassi, e outro próximo da sede do governo de minas...aquilo sim é bar com atendimento de excelência....em são Paulo até as barraquinhas que ficam ao redor do Pacaembu e do Morumbi tem um atendimento melhor do que qualquer bar de campo grande, certa vez um amigo meu chegou numa dessas barracas horas antes do jogo e perguntou ao senhor: qual cerveja o senhor tem aí pra vender? ele disse: todas! qual vai querer? original, stella Heineken, bohemia, brahma, skol, antártica ou kaiser?
 
hudson f g terencio em 10/09/2013 12:52:11
O que procuro em um bar, é musica ambiente, preço justo, bom atendimento. Gosto do conforto de poltronas.... mesa/cadeira tradicional, só p/ refeições.
 
Suely Ferreira em 10/09/2013 12:48:40
O que precisa, é um lugar aconchegante para bater papo, ouvir misica ambiente, com preço justo.... Bom atendimento... quem não quer voltar num lugar assim? Também lugares assim para dançar, por que não? Queremos sair, se relacionar, sentir bem, num lugar agradavel... Adoro conforto de uma boa poltrona.. Mesa gosto p/ refeições.
 
Suely Helena em 10/09/2013 12:42:25
COPO DE MASSA DE TOMATE NINGUÉM MERECE.........É O "Ó" DO MAL GOSTO....... e põe mal gosto nisso!!
 
Helena Ferreira em 10/09/2013 12:06:48
Adoro este tipo de bar...tranquilo e que se escute música ambiente e dê pra conversar. Mas,atenção para o atendimento,pois se for ruim,como acontece em alguns estabelecimentos não dará certo,pois as pessoas mais velhas como foi dito,gostam de bom atendimento...
 
cristiane claudino em 10/09/2013 11:05:11
só acho que o volume deveria ser um pouco mais baixo, para os clientes poderem conversar
 
fernando alves em 10/09/2013 11:02:55
Comercio é assim mesmo, uns abrindo outros fechando, quem tem competência se estabelece seja aqui ou ali.
AGORA COPO DE MASSA DE TOMATE NINGUÉM MERECE.........É O Ó DO MAU GOSTO.......
 
LUCIANA CAMPOS em 10/09/2013 10:36:39
Certíssimo o comentário que fala sobre a Cantina Mato Grosso e o Parks Burguer. São lugares que tem sua própria identidade. São lugares em que o atendimento é muito bom, que seus proprietários fazem com paixão, fazem o que gostam, não fazem somente para ganhar dinheiro. É isso que falta, talvez não só aqui. Pessoas que gostam do que fazem, que tem uma estrutura de funcionários boa, que oferece aos seus funcionários condições boas de trabalho, para que os mesmos tratem seus clientes bem. Uma coisa leva a outra.
 
Mychelle Sobral em 10/09/2013 10:04:51
Não há crise! Os aluguéis na Afonso Pena estão passando dos R$30mil por mês! Mas isso pra um escritório de advocacia, um hotel, ou uma grande loja de móveis que ganha isso de um único cliente é fácil. Pra um bar, nenhuma cidade os mantêm em lugares de locações tão caras! As boates então, pra ter estacionamento e fugirem das leis do silêncio, se estabelecem em centros velhos ou zonas periféricas. Só em CG ainda estavam em áreas nobres. Em SP a maioria desapareceu dos jardins também, e se instalaram em áreas da periferia ( os grandes clubes) e os menores em regiões centrais que estavam desvalorizadas como a rua Augusta. Hoje com a nova valorização do centro, já estão sendo expulsas também. Não se trata de crise.
 
Alexandre Pellizzon em 10/09/2013 10:00:34
Só para nota de esclarecimento... o Bar Bodega não está a venda ou mudará de ramo por crise financeira ou falência. Basta passar em frente de quinta a sábado para constatar que seu movimento vai bem, obrigada. Trata-se de questões administrativas e pessoais que só interessam a seus proprietários e suas famílias.
Agradecem aos clientes que,de alguma forma, deram valor a essa casa criada com muita dedicação e trazida à nossa cidade frente a carência da vida noturna campograndense.
 
Luciane Pedroso em 10/09/2013 09:32:29
Sabem pq a vida noturna de Campo Grande não vai pra frente? A resposta está nos comentários sempre negativos dos consumidores desta cidade. Sempre insatisfeitos e sempre criticando.
O campo grandense tem a cultura de ñ valorizar o que é seu. Gosta de modinha, de "vitrine"... Só quem trabalha na noite sabe o quanto é desgastante essa profissão, por isso merece mesmo ganhar bem, pois enquanto esses consumidores insatisfeitos estão bebendo e se divertindo, os trabalhadores estão na lida, deixando suas famílias e seu lar.
A maioria dos Campo Grandenses não merece bares estruturados como os que foram investidos por aqui.
 
Luciane Pedroso em 10/09/2013 09:26:55
Musica ao vivo é excelente o problema é o volume alto, som ambiente você conversa e curte a musica, aqui em Campo grande não sei o motivo, mas aonde tem musica ao vivo o volume é alto, parece um show musical, por este motivo que as pessoas reclamam com razão, e tão simples musica ao som ambiente e todos satisfeitos.
 
Tamio Oki em 10/09/2013 09:22:05
Realmente, estamos "pobres" de lugares onde possamos curtir... Qdo passamos na Afonso Pena, nós, os menos "agitados", só vemos bares p/jovens que ainda estão na fase do "ficar". Está faltando um lugar aconchegante, pode ser até simples, mas com criatividade e bom gosto, td fica bom. Tem que ter uma pista de dança que não escorregue como no Surian, e uma boa música, sem ser estridente, daquela que a gente dança legal, depois faz uma pausa p/um petisco, (sem assaltos ao nosso bolso, enfim um preço justo) , bota conversa fora..., e encontra os amigos. Digamos, uma Cantina (como a da Mato Grosso) "melhorada", embora simples, mas que nos dê mais uma opção a partir das sextas-feiras...
 
Solange Lopes em 10/09/2013 09:05:59
Não suporto bares com aquele tipo de rapaz com o violão no colo cantando músicas que ele não ouviu tocar pois não tinha nascido. Aposto em bares intimistas que recebam bem seus clientes mas que valorizam a conversa e a amizade. Boa sorte aos novos empresários!
 
Bruna Moura em 10/09/2013 09:03:31
CAMPO GRANDE É A CIDADE DA "LATINHA" LÁ TINHA UMA CHOPERIA, LÁ TINHA UMA BOATE, LÁ TINHA UM RESTAURANTE, LÁ TINHA UM BAR DOS BONS....E AÍ VAI.
CAMPOGRANDENSE É UM PÚBLICO MUITO INGRATO, FUI GERENTE DE UMA CHOPERIA GRANDE AQUI, E TINHA QUE ESTAR INOVANDO PRA NÃO PERDER CLIENTES, DE DUAS EM DUAS SEMANAS COLOCAVA UMA ATRAÇÃO DIFERENTE, FICAR NA MESMICE O POVO NÃO GOSTA.
TEM QUE FAZER COISAS DIFERENTE.

ABRAÇOS
 
Marcílio Geraldo Monteiro Duarte em 10/09/2013 08:36:06
ENQUANTO UNS DA AFONSO PENA FECHAM.....OUTROS SE ARRISCAM.......A TRADICIONALISSIMA CANTINA MATOGROSSO VAI EM FRENTE ...ASSIM COMO O PARKS BURGER.... ESTA TALVEZ SEJA A DIFERENÇA...ESTES DOIS SAO "BARES" COM MUSICA AO VIVO...OS OUTROS QUE FECHARAM NAO SE SABE SE É BAR /BOATE/BALADA...SE TOCA SERTANEJO /AXE/ ETC.....OU SEJA NAO MANTEM UMA LINHA....ISTO PQ O DONO DO BODEGA ME FALOU AO INAUGURAR QUE ELE SABIA DAS COISAS...
 
marco aurelio em 10/09/2013 08:27:12
Os empresários acertaram a música ao vivo não é em todo lugar as pessoas querem uma boa conversa, trocar olhares, ver e ser visto hoje nos bares com música não há conversa você sai com dor na garganta tentando conversar.
 
Juarez Souza em 10/09/2013 08:26:18
Acho ótimo, bares aconchegantes com uma bebida e comida de boa qualidade, e um bom atendimento é tudo o que precisamos!
Não é a toa que os bares mencionados na reportagem anterior irão fechar, atendimento de péssima qualidade, a comida do Real Botequim era "incomível" e a bebida geralmente vinha quente...
Aos que gostam de baladas, como o colega que falou agora pouco que não curte "restaurante", vá para as boates lá tem muita musica...
 
Rhaisa F. Moleno em 10/09/2013 08:11:10
Particularmente odeio musica ao vivo, e sim, estava faltando essa visão de mercado, os bares normalmente não tem qualidade e compensão isso com musica estouranto os timpanos.
 
Filipe Auer em 10/09/2013 08:03:05
Atender público mais velho foi a melhor decisão desse empresário. Primeiro que é um público que gasta mais e depois não quer confusão. Esses outros pseudo empresários de Campo Grande abrem bares com o dinheiro do pai e para receber os amigos da mesma idade, todos jovens que se acham com o carro e dinheiro do pai, enchem a cara, gastam tudo em bebida para se aparecer e depois saem dirigindo. Vamos torcer para que esses deem certo e não fechem depois de um, dois anos como todos os outros, porque no começo é novidade e sempre lotam, depois ficam vazios.
 
Rafael Santos em 10/09/2013 07:58:48
Sem música? Não, obrigado. Restaurantes temos aos montes.
 
Bruno Nodes em 10/09/2013 07:43:53
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.