A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

18/03/2012 16:59

No improviso, Feira da Troca promove sustentabilidade e desapego

Paula Vitorino
Mesa para a Feira é montada com caixotes de madeira em meio ao quintal. Elder mostra luminárias para atrair esposa (o). (Fotos: Paula Vitorino)Mesa para a Feira é montada com caixotes de madeira em meio ao quintal. Elder mostra luminárias para atrair esposa (o). (Fotos: Paula Vitorino)

É em meio ao quintal, com clima de improviso, que neste domingo (18) acontece a Feira da Troca entre um grupo de amigos e simpatizantes, no bairro Jardim Leblon, em Campo Grande.

Veja Mais
Loja reinaugura com liquidação de jeans por 39,90
Unigran Capital terá Design de Interiores e Arquitetura e Urbanismo

A ideia é simples: qualquer um pode participar e trocar todo produto que é usável, mas está largado em algum canto da casa.

Pode ser aquela roupa que você ganhou e ficou esquecida no guarda-roupa, um objeto artesanal que aprendeu a fazer, um livro que já enjoou e até uma mudinha de alguma planta. Vale de tudo, basta ter imaginação e praticar o desapego.

“Às vezes tem um objeto que você tem há anos, mas tá parado, ninguém usa, aí você troca na feira e outra pessoa dá um novo uso para o produto. A ideia é dar movimento as coisas. Mudar a ideia do apego ao valor material, trocar”, define um dos participantes da feira, Elder Alves Severino, de 44 anos.

Estudante levou caixa artesanal e revista de colecionador. Estudante levou caixa artesanal e revista de colecionador.

Mas além dos objetos reutilizáveis, a Feira tem espaço para troca de serviços, músicas, gentileza e até olhares. O lanche durante o evento também funciona na base da troca entre os participantes.

“Rola troca de abraço, olhares, massagem e serviços. A pessoa pode oferecer um serviço que sabe em troca de outro”, diz a estudante Ana Carolina Arantes, de 19 anos.

Elder, por exemplo, diz que iniciou o troca-troca da feira com o seu serviço de decoração em troca da fraternidade dos amigos. A Feira só termina às 22h, com um Sarau feito com a troca de música entre os participantes.

Valor da troca - Em meio ao objetivo de reaproveitar os objetos e incentivar o respeito ao meio ambiente, a Feira conta com o bom-humor dos participantes e a disposição para brincar.

A estudante de biologia Sara Maria Sguissardi, de 19 anos, explica que as trocas não podem ser escolhidas com base no valor material, o que vale mais é a brincadeira de trocar.

Ela lembra da troca que mais gostou: um cachecol por um insenso e da mais interessantes que viu: um violão por dois livros e um lenço. “É claro que você não vai trocar um violão por uma presilha de cabelo, mas as pessoas também não ficam presas no valor do produto”, diz.

Produtos na embalagem, roupas e artesanatos valem como troca.Produtos na embalagem, roupas e artesanatos valem como troca.

Gostou, trocou - A troca dos produtos na Feira começa com a apresentação de cada um e seus respectivos objetos. A partir daí, cada participante vê o que mais gostou e parte para negociação.

Sara mostra a blusa que ganhou da mãe, a caixa artesanal e a revista Rolling Stones. “Usei umas duas vezes essa blusa e acho que outra pessoa pode fazer mais uso que eu”, diz.

Para facilitar a troca, Elder dá a dica de levar produtos unissex e que servem para decoração. “Sempre querem trocar”, diz.

Ele levou luminárias feitas artesanalmente com fibra de mandioca e improvisou mais um uso para o objeto, com a intenção de atrair mais interessados.

“Você coloca essa luminária em algum local e todo dia olha para ela e faz uma oração para Santo Antônio pedindo uma esposa ou esposo. Em 7 dias aparece, mas se quiser um companheiro de qualidade aí pode demorar mais”, garante em tom de brincadeira.

Até produtos ainda na embalagem são levados para troca, como o porta-treco levado pela estudante Ana. Já Aurora Gonçalves, de 21 anos, preferiu desapegar das pulseiras de strass que aprendeu a fazer recentemente.

Permacultura - A iniciativa da Feira da Troca surgiu entre os integrantes do movimento de Permacultura, que visa criar e incentivar o uso de iniciativas sustentáveis, que promovam a interação com o meio ambiente.

O Instituto oferece cursos e promove eventos, como a Feira de Trocas. Quem quiser conhecer mais sobre o trabalho pode acessar o blog http://permaculturams.blogspot.com.br .




Aqui em Palmas, participo da feira de troca que é feita mensalmente. Sabe que vicia? Trabalho com capim Dourado e geralmente troco por outros artesanatos, roupas interessantes e até edredons ja faturei! É uma troca genial. Quero ser convidada quando estiver por aí... Podem me mandar convite por e-mail? Costumo ir de 4 a 6 vezes por ano a Campo Grande. Obrigada.
 
Elizane Ramalho em 05/04/2012 10:29:41
A mais de 03 anos que realizo a feira da troca com nossos alunos no curso de qualificação social dos projetos financiados pelo Ministério do Trabalho (FAT, PLANSEQ, PLANTEQ e PROJOVEM). É o maior sucesso..... economia, alegria, preservação ambiental e socialização.

Parabéns a todos que organizaram este momento. Se todos pudessemos em nossas comunidades realizar a Feira da Troca. bjssssssssssssss
 
MARA CALVIS em 20/03/2012 04:40:34
Tá linda a matéria. Para quem se interessou na feira de trocas, no próximo domingo haverá um ato no parque das nações indígenas próximo aos caiaques, onde realizaremos várias atividades dentre ela a Feira de Trocas. Levem seus pertences!
Abraços!
 
Cintia Bezerra Possas em 20/03/2012 03:04:06
É hora dessas boas ideias saírem dos fundos de quintais e partirem pra logradouros públicos, como a Feira Central de Campo Grande. Chega de barracas de produtos importados na Feira, queremos a boa cultura, boas práticas, boas ideias! Parabéns aos organizadores!
 
Fabio Pellegrini em 19/03/2012 12:03:15
PARABÉNS À ADRIANA E A TURMA TODA DO PERMACULTURA PANTANAL PELA BELÍSSIMA INICIATIVA. A HUMANIDADE VENCE.....
 
LUIZ EUGENIO DE ARRUDA em 19/03/2012 11:35:18
só pra constar na informalidade que rolou.. não trocar ouro por pedra não é o objetivo da feira, viu?! os valores muitas vezes podem nao ser equivalentes e aí vai da pessoa trocar ou não!
foi na correria a matéria, mas ficou bacana!
obrigada!
 
sara sguissardi em 19/03/2012 10:50:51
Que iniciativa linda. O grupo esta de parabéns. Quando ocorrerá a próxima feira. Gostaria muito de participar.
 
Larissa Santos em 19/03/2012 09:32:34
Tem q/existir mais e mais feiras nesse estilo. È a retomada da valorização das relações humanas sem o fetiche do dinheiro. Como foi descrito na reportagem não é apenas troca de mercadorias, mas espaço para amizade, cultura e arte.
 
Romildo Fagundes em 19/03/2012 08:25:47
Ola? adorei a idéia gostaria de participar, me mandem o horário e o local da
feira e como faz para participar.
Éssa idéia é sensacional!!!!
 
Rosania Ferreira Lima em 19/03/2012 07:42:48
Olá boa tarde!
Adorei a iniciativa de vocês. Deixo meu E-mail a disposição caso precisem de voluntária para o próximo evento e para que possam me comunicar do mesmo se possível.

PARABÉNS PELA IDÉIA!!!!
 
Mariana Corrêa da Costa Barros em 19/03/2012 01:55:11
concordo com o fabio pelllegrini.realmente ha possibilidades de ser em um logradouro publico.digamos todos os sabados, por exemplo, de acordo com o horario para nao atrapalhar outros eventos nesse local creio que o poder publico cederia de bom grado o local.ha varios locais como o armazem cultural, a praca do radio, a orla morena entre outros. meus parabens pela iniciativa, que nao pare por ai.
 
sady barros em 19/03/2012 01:30:53
Parabéns. Idéia genial. Mas, como disse o Fábio, é hora dessa feira sair dos fundos de quintais e ganhar local público. Quando vai ser a próxima. Quero participar. Divulguem mais.!!!!
 
Ana Cristina em 19/03/2012 01:16:08
Boa ideia!!! tem tantas coisas p/ser trocadas temos que se desapegar das coisas antigas ou que não usamos mais.
 
Claudia chillaver em 18/03/2012 08:10:11
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.