A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 11 de Dezembro de 2016

20/05/2013 16:58

Para ministro da Ciência, MS tem demanda de projetos reprimida

Mariana Lopes
Para ministro da Ciência, MS tem demanda de projetos reprimida

Em visita a Mato Grosso do Sul, o ministro da Ciência e Tecnologia, Marco Antônio Raupp, avaliou que o Estado tem uma demanda de projetos reprimida e prometeu recursos com menos burocracia para as empresas. Na tarde desta segunda-feira, ele se reuniu com empresários, na Casa da Indústria, para apresentar o Plano Inova Empresa.

Veja Mais
De super-herói a câmera analógica, presentes para nerds estão em alta
Oficina oferece de graça curso básico sobre veículos para mulheres

De acordo com o ministro, o edital, lançado em março deste ano, prevê crédito de R$ 32,9 bilhões, a serem aplicados até 2014. Raupp ressalta que esse valor não será distribuído por estado, mas sim por setores da economia, a fim de fomentar a produtividade e competitividade dos segmentos.

O ministro salientou que ficou impressionado com as articulações já existentes no Estado e aposta em um projeto que beneficie várias empresas. Raupp deixou no ar o bom grado em uma proposta que inclua a participação de vários setores, "claro que cada um com seu interesse", pontuou o ministro.

Cheio de expectativas, o presidente da Fiems, Sérgio Longen, concordou que há uma demanda reprimida no Estado, mas que agora é uma nova fase, com a garantia de que os projetos terão uma resposta em até 30 dias depois de enviados ao Finep (Financiadora de Estudos e Projetos).

“Além da burocracia, os projetos demoravam a ser aprovados e o dinheiro nem sempre era empregado com facilidade, isso frustrava as empresas e desestimulava a enviar os projetos”, comentou Longen.

O ministro, em coletiva de imprensa, disse que a preocupação maior é dar sustentabilidade para as micros e pequenas empresas entrarem no mercado.




imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.