A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 19 de Dezembro de 2014

07/06/2012 19:36

Universidade apresenta órteses e próteses feitas de tubo de PVC

Nicholas Vasconcelos

Equipamentos são utilizados por pessoas que têm alguma dificuldade de locomoção. Versão tradicional sai por mais de R$ 1 mil.

Equipamentos são feitos conforme o tamanho do paciente,como crianças. (Foto: Rodrio Pazinato)Equipamentos são feitos conforme o tamanho do paciente,como crianças. (Foto: Rodrio Pazinato)

Ajudar na locomoção de que sofreu AVC (Acidente Vascular Cerebral), lesão de medula e outras lesões neurológicas de graça. Essa é a ideia do projeto desenvolvido pelo curso de fisioterapia da UCDB (Universidade Católica Dom Bosco) que fabrica órteses e próteses feitas de tubos de PVC e distribuindo de forma gratuita para os pacientes atendidos na clínica-escola da instituição.

Na versão tradicional, feito com material importado, uma prótese de perna, por exemplo, pode custar mais de R$ 1 mil, enquanto na versão feita com tubos comuns de encanamento sai muito mais barata. São equipamentos desenvolvidos para mãos, pernas, joelho e pé e que garantem a mobilidade.

Raissa explica que peça é fabricada em duas semanas. (Foto: Rodrigo Pazinato)Raissa explica que peça é fabricada em duas semanas. (Foto: Rodrigo Pazinato)

A acadêmica Raissa Castoldi, de 18 anos, conta que os equipamentos levam em média duas semanas para ficarem prontas. O primeiro passo é retirar as medidas do paciente, aplicar o PVC sobre o molde com calor e por último revestir de EVA, para que fique mais confortável.

O trabalho desenvolvido pela universidade foi um dos que foram mostrados na 4ª Edição da Mostra de Soluções Sustentáveis, promovida pela Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano).



olá,estou pretendendo realizar um artigo, o qual tem como objetivo realizar uma comparaçao entre os materiais já existentes para orteses e o de pvc, quero poder mostrar atraves de bases pertinentes como custo- benefício deste material em relaçao aos outros.
Se alguem puder mandar algumas referencias argumentando a importancia deste material ser mais utilizado em relaçao aos outros, principalmente ao de termoplastico, eu agradeceria..
bj
 
Rosana Braga em 08/05/2013 22:21:14
gostaria de obter informacoes onde posso esta fazendo curso com PVC
 
sonia dantas ribeiro em 07/04/2013 18:36:03
Foi professor da UCDB de 1998 a 2005 e antes disto trabalhei com o colega fisioterapeuta Albert Schiaveto que em sua faculdade aprendeu a fazer órteses em PVC (tutor longo e tala punho-mão) para pacientes pós lesão medular e AVC, mas ainda acadêmico (1994) na UFSM/RS desenvolvi a órtese AFO. Fui aperfeiçoando a técnica e este modelo AFO roxo que aparece acima é invenção minha e o modelo punho-mão, amarela, também. Minha monografia de especialização foi a Uso de órtese na marcha do paciente hemiplégico (2000). Orientei também Priscila Silva. ESTUDO DE CASO DA UTILIZAÇÃO DE ÓRTESE PARA ORTOSTATISMO NO TRATAMENTO HIDROCINESIOTERAPÊUTICO EM PACIENTES LESADO MEDULAR 2005.. 2005. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Fisioterapia) - Universidade Católica Dom Bosco.
 
Leandro Hubner da Silva em 11/11/2012 22:36:57
Segue um vídeo de 2006 falando sobre este tipo de dispositivo pelos profissionais da Universidade do Estado do Pará, que conta inclusive com um laboratório para a confecção desse tipo de órteses e outros dispositivos de tecnologia assistiva, pelos acadêmicos de Terapia Ocupacional já há alguns anos.

http://www.youtube.com/watch?v=CWz1w8LAqSQ
 
Erica Farat em 22/07/2012 10:53:13
Olá! Sou estudante de Terapia Ocupacional e assim como outras colegas afirmo que esse tipo de órtese não foi criada pelo grupo de fisioterapeutas da referida Universidade.
Vamos fazer jus a ética profissional e retratar tal erro.
 
Gabriela Gonçalves em 05/07/2012 07:08:01
Sou Terapeuta Ocupacional e fui estagiária do Prof. Jorge Lopes-Terapeuta Ocupacional, no Laboratório de confecções de órteses em PVC da UEPA em 2003. Ele mesmo desenvolveu essa técnica, realmente de grande utilidade pública, pois é de baixo custo, ajudando muitos os pacientes com pouco recurso financeiro. Já foi premiado pelo Banco do Brasil e Petrobrás.
 
Sandra Fonseca em 01/07/2012 05:46:08
É gratificante perceber que a técnica apresentada na matéria está sendo difundida para melhor atendimento da população atendida, no entanto, os créditos devem ser repassados corretamente. A técnica não foi criada por fisioterapeutas, tão pouco na referida universidade. Já existe há mais de uma década na UEPA e foi criada e amplamente desenvolvida pelo Terapeuta Ocupacional Jorge Rodrigues!
 
Tayana Sabino em 27/06/2012 08:58:58
olá pessoal, sou aluna de Terapia Ocupacional e a técnica de órteses em PVC chama-se técnica de Rodrigues e foi criada pelo terapeuta ocupacional Jorge Lopes Rodrigues Júnior que é professor da Universidade do Estado do Pará, há mais de 10 anos.O terapeuta ocupacional Jorge inclusive recebeu prêmios de Inovação em tecnologia Social do Banco do Brasil e da Pétrobas.

obrigada!
 
Joyce Crippa em 26/06/2012 10:01:52
Bom, não sei se venho parabenizá-los pela iniciativa. Pois tenho uma certa resistência quanto a isso, já que se tem o conhecimento que essa técnica foi desenvolvida por um Terapeuta ocupacional de Belém Jorge Lopes, que já utiliza há mais de 5 anos aqui em nossa região e pela qual recebeu prêmios do Banco do Brasil e Petrobrás.A ética profissional deve ser vista e espero a reparação do erro.
 
Ana Paula Colares em 26/06/2012 08:27:48
A Universidade Católica Dom Bosco está de parabéns por buscar o desenvolvimento de novas tecnologias e por aproximá-las da comunidade, porém, há mais de 10 anos o Terapeuta Ocupacional Jorge Lopes Rodrigues (professor da Universidade do Estado do Pará) confecciona órteses em PVC revestidas por EVA, inclusive, já tendo recebido prêmios pelo desenvolvimento desta técnica.
 
Thaís Fernanda Rolemberg em 26/06/2012 07:11:16
Prezados, parabenizo pela iniciativa, pois a comunidade precisa usufruir dos conhecimentos produzidos nas universidades.
 
Otavio Folha em 26/06/2012 06:21:00
Boa noite, sou terapeuta ocupacional e gostaria de parabenizá-los pelo trabalho. Também queria informações a respeito de cursos. Em minha atuação profissional costumo confeccioná-las em termoplástico, porém esse material é muito caro e encontra-se em falta há bastante tempo em meu trabalho. As pessoas que atendo são de baixa renda e poderiam se beneficiar muito com órteses de pvc.
Muito obrigada.
 
Eliane Dias em 09/06/2012 06:05:12
imagem transparente

Compartilhe


Copyright © 2014 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.