A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

08/01/2016 06:56

Viajar, sim! Já gastar dinheiro com passagem, nem sempre...

Evelise Couto
Viajar, sim! Já gastar dinheiro com passagem, nem sempre...

Para muita gente está aberta a temporada de botar o pé na estrada. Viajar de uma cidade a outra, pra grande parte da galera que mora sozinha é quase que rotina. Muitos têm os pais em outros cantos do país, principalmente em cidades no interior do Estado, e aproveitam as férias para curtirem um pouco do aconchego da família.

Veja Mais
De super-herói a câmera analógica, presentes para nerds estão em alta
Oficina oferece de graça curso básico sobre veículos para mulheres

O grande problema é que nem sempre viajar é muito barato. Principalmente para quem mora sozinho e tem o orçamento apertado. Uma viagem de ida e volta a Três Lagoas de ônibus, por exemplo, não sai por menos de 150 reais. A Corumbá então, pode chegar a quase 250 reais. Se for fora do Estado, nem se fala!

Para ajudar na hora de viajar sem gastar muito, foi criado um grupo no Facebook chamado Caronas MS. Nesse grupo, as pessoas oferecem ou procuram parceiros para viajar de uma cidade a outra, quase sempre dividindo os custos do trajeto.

Ana Paula Ostapenko viaja na base da carona.Ana Paula Ostapenko viaja na base da carona.

A jornalista Ana Paula Ostapenko é uma usuária bastante frequente do Caronas MS, fazendo o trecho Campo Grande - Dourados."Faz mais de dois anos que pego carona. Nunca mais andei de ônibus. É econômico, rápido, e muitas vezes divertido", conta. Além de economizar cerca de 40 reais por viagem feita, Ana acredita que é possível inclusive fazer amizades nesses trajetos. As boas experiências, em seu caso, são maioria, mas, por falta de bom senso alheio, ela também já passou por alguns perrengues.

"Teve gente que levou 5 pessoas grandes dentro de um Celta sem ar.Foram 3 horas de tensão e suor. E ainda, uma volta de Dourados, em um carro pequeno, três pessoas atrás e um filhote de cachorro. Em determinado momento da viagem o bichinho começou a passear nos colos das pessoas e tivemos que parar ums 2 vezes porque o bendito cachorro queria mijar", conta.

Para segurança, segundo a jornalista, uma vez que o grupo é no Facebook, é aconselhável dar aquela conferida no perfil do cidadão antes de aceitar a carona. "É legal ver quantos amigos tem em comum. Geralmente a pessoa passa o telefone de contato, então você vai falando com ela pra ter mais segurança. Creio que os motoristas têm esse mesmo cuidado, pelo menos os que eu pego carona sempre fazem isso também", aconselha.

Para os conectados, aplicativos como o Bleep.me também ajudam na hora de buscar uma carona. A parte legal é que ele pode ser usado em diversos países. Uma opção que ajuda a baratear a viagem de quem for passar um tempo fora do país, mas que também ajuda quem precisa fazer trechos regionais e interestaduais no Brasil.

Outra opção bacana é o BlablaCar, uma startup francesa que iniciou suas operações por aqui no final de novembro. O serviço funciona como um "Uber de caronas". A ideia é conectar pessoas que estão interessadas em dividir um carro para viajar. Na versão brasileira do site da BlaBlaCar, a empresa já oferece opções das viagens mais procuradas e seus preços médios. Presente em 20 países, o tempo dirá se a iniciativa vai ser entre os brasileiros o mesmo sucesso que é na Europa. O download do app está disponível para dispositivos Android e iOS.

*Evelise Couto é jornalista, colaboradora do Lado B e autora do blog Casa de Um, com dicas e experiências para quem mora sozinho.




imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.