A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 19 de Janeiro de 2017

25/05/2012 15:49

A moda passou, mas a mulherada continua de cabeça para baixo no Pole Dance

Ângela Kempfer
Uliana, de cabeça para baixo.Uliana, de cabeça para baixo.
Com 3 aulas por semana, ela conta que a maior recompensa veio quando conseguiu fazer o movimento “Superman. (Foto: Rodrigo Pazinato)Com 3 aulas por semana, ela conta que a maior recompensa veio quando conseguiu fazer o movimento “Superman". (Foto: Rodrigo Pazinato)

Jesus! É a primeira palavra a surgir na cabeça quando a professora sobe na barra, trava a perna e fica de cabeça para baixo lá em cima, em uma dança sensual que ficou chique depois que a atriz Flávia Alessandra incorporou personagem que ganhava dinheiro com o Pole Dance.

Veja Mais
Tem de ter coragem para encarar um "The Voice" no Centro de Campo Grande
Quem conhece diz que só preocupação com filho pode manter BBB longe de “tretas”

O modismo veio com a novela, passou, e a mulherada que não gosta de academia, mas quer definir o corpo, continua firme na barra. O melhor é que tudo parece bem divertido. “Tem mulher que chega para aprender a dançar para o marido, outras que querem emagrecer e outras porque odeiam academia. O bom é que elas acabam emagrecendo, dançando para o marido e se divertindo”, diz a professora Uliana de Marco.

A jovem, com rostinho de anjo, pele clarinha e apenas 1,55 metro, tem mais cara de balé clássico, mas quando sobe na barra...sai de baixo.

Ela faz movimentos com uma leveza de espantar, parece brincar, quase 2 metros do chão. “É uma herança do Balé Clássico, que fazia quando pequena”, explica.

Mas a professora garante que a atividade é para qualquer um. “Pode ser gordinha, magra, mais velha, não tem problema algum. Começamos bem devagar, na base do alongamento”.

Laís tem 22 anos, começou em maio e já fica de pernas para o ar com facilidade. Estudante de Nutrição, diz que terá de repensar o cardápio porque perdeu muito peso. “Meu metabolismo já era acelerado”, explica.

Com 3 aulas por semana, ela conta que a maior recompensa veio quando conseguiu fazer o “Superman”, um movimento onde a pessoa fica suspensa, presa apenas pelas perna. Até agora os exercícios só valeram para moldar o corpo.

“Meu braço está definido. Ainda não dancei para ninguém não”, comenta

A mãe Leila acompanha a aula cheia de sorrisos. “Sou coruja, adoro que ela pratique e faço propaganda”.

Professora mostra o primeiro movimento, para iniciantes.Professora mostra o primeiro movimento, para iniciantes.
A moda passou, mas a mulherada continua de cabeça para baixo no Pole Dance

O estúdio de Pole Dance, na rua Euclides da Cunha, é bem enxuto, são 3 barras com almofadas estrategicamente posicionadas para não haver quedas traumáticas. Mesmo assim, o início é complicado. “Como temos de usar short curto, a pele machuca um pouco”, diz Uliana.

A professora é tão dedicada à atividade que já fez pesquisa nos motéis da cidade para saber onde existe barra para Pole Dance nos quartos. “Tem muita aluna que quer dançar para o marido. Só encontrei a barra em um motel e fui até lá verificar quarto por quarto qual a segurança”.

A preocupação é com a coreografia, uma das fases mais avançadas das aulas. “Já pensou se faço uma coreografia muito ousada, com a menina lá no alto e ela vai usar uma barra que não está segura”, justifica.

As aulas podem ser individuais ou em grupos de no máximo 3 pessoas. Uma vez por semana custa R$ 100,00 para fitness em grupo, ou R$ 200 a individual. Três vezes por semana o custo é de 270 ou o dobro para a individual.

O estúdio faz aulas experimentais todas as terças-feiras, às 18 horas. A marcação é feita pelo telefone 92529934.




imagem transparente
Busca

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2017 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.