A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

11/11/2016 10:39

Adolescente de MS é identificado como autor de ato racista contra Preta Gil

Renata Volpe Haddad
Cantora Preta Gil sofreu ataque racista nas redes sociais em julho deste ano. (Foto: Divulgação)Cantora Preta Gil sofreu ataque racista nas redes sociais em julho deste ano. (Foto: Divulgação)

Um adolescente de 16 anos, que mora em Três Lagoas, distante 338 km de Campo Grande, foi identificado como um dos autores de comentários racistas e por dizer ofensas contra a cantora Preta Gil, em julho deste ano. O menino foi encaminhado ontem (10) à sede do SIG (Setor de Investigações Gerais) do município.

Veja Mais
Begèt de Lucena e Mari Depieri são as vozes do Som da Concha de hoje
Festival de Artes começa com público fraco, mas tem vocação para ser resistência

Conforme informações do site Rádio Caçula, o caso que teve repercussão nacional passou a ser investigado pela Delegacia de Repressão a Crimes de Informática do Rio de Janeiro, que identificou mais de 100 perfis nas redes sociais que poderiam ter ligação com o crime.

Durante as investigações, foi identificado que uma das mensagens ofensivas teria sido postada utilizando a rede de dados instalada em um imóvel localizado no bairro São Jorge, em Três Lagoas.

Os policiais foram até o local e a mãe do adolescente que os recebeu, ficou surpresa com a suspeita de que o filho pode ter participação nas ofensas proferidas à cantora.

Equipamentos eletrônicos da casa do adolescente foram apreendidos e encaminhados à perícia técnica de Campo Grande. (Foto: Rádio Caçula)Equipamentos eletrônicos da casa do adolescente foram apreendidos e encaminhados à perícia técnica de Campo Grande. (Foto: Rádio Caçula)

O menino confessou o crime e disse aos policiais que no início do ano participava de um grupo social falso denominado Máfia Maliciosa e que através de um perfil no Facebook, publicou na página oficial de Petra Gil, vários xingamentos e comentários racistas.

O jovem disse ainda que fez isso, por ter sido coagido pelo administrador do grupo e ameaçado de ter o seu perfil no Facebook hackeado e excluído.

A casa do jovem foi revistada e vários equipamentos eletrônicos, entre computador e celulares, foram apreendidos e encaminhados à perícia técnica de Campo Grande. O jovem se mostrou arrependido com o caso e após prestar esclarecimentos, foi liberado.




imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.