A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

04/09/2013 06:04

Afonso Pena em crise? Real Botequim fecha, Bodega e outros 2 bares estão à venda

Ângela Kempfer
Bar fechou esta semana na Afonso Pena.Bar fechou esta semana na Afonso Pena.

Um ano e meio depois de inaugurar com o gosto pernambucano nos altos da Afonso Pena, o Real Botequim fecha as portas. A casa encerrou o contrato com os funcionários e boa parte deve retornar a Recife (PE). Domingo foi o último dia de bar movimentado.

Veja Mais
Antiga casa noturna virou 2 na Afonso Pena e reabre com lounge e pub sertanejo
Avião de Xuxa faz pouso de emergência após ser atingido por raio

O gerente em Campo Grande, Rafael de Oliveira, é um dos que voltará para a terra natal, mas fala pouco sobre o fechamento. “Foi uma decisão da matriz”, resume.

Segundo ele, apesar de todos os empregados terem sido dispensados, é política do Real Botequim mudar de endereço e reabrir na mesma cidade com outra cara, repaginado. Mas não há qualquer previsão de reinauguração referente a Campo Grande.

Nascido no Recife, o bar abriu a quinta filial do País aqui na cidade em 2012. O espaço tinha música ao vivo nos fins de semana e trabalhava com comida típica de boteco. Se instalou com estrutura das grandes, arquitetura de bares cariocas da década de 60 e mais de 20 garçons.

Antes de decidir por Campo Grande, o proprietário da rede, Adeildo Adrião pensou em abrir em Uberlândia de Minas Gerais, mas decidiu pela capital sul-mato-grossense pela falta de um ambiente parecido por aqui. Hoje, o Lado B voltou a procurar o empresário que pediu um tempo para responder sobre o assunto, mas não retornou conforme combinado.

À venda - O fechamento tão rápido deixou empresários surpresos. “Jura? Nem sabia”, questiona o dono do Bodega, Antônio Meneguini, que também colocou o bar à venda na Afonso Pena.

É outra casa noturna da cidade que caminha para fechar ou mudar o conceito. Antes bar com mesas na calçada, o local virou “balada noturna” o que aumentou os custos e derrubou os lucros, diz o dono. “Ficou insustentável. Temos público de balada, o que custa muito mais porque contratar shows bons é caro”.

A venda foi anunciada e caso não apareça qualquer interessado, o ponto deve virar restaurante ainda este ano. “Uma pessoa diz que vai vir ver o local na próxima semana, mas se não der certo, vamos servir comida”, confirma.

O Lado B apurou que pelo menos 3 empresas de entretenimento tradicionais estão à venda na Afonso Pena, por valores que variam de R$ 350 mil a R$ 1,5 milhão.

Há cerca de 10 anos, a avenida passou a ser um dos pontos de concentração da vida noturna na cidade. Mas por conta de denúncias sobre som alto, os empresários passaram a enfrentar dificuldades. "Mas não é só isso, também enfrentamos uma crise de consumo no Brasil", lembra Meneguini.

Dura fiscalização - Os donos do Miça Bar também estariam a procura de interessados em fazer negócio na marca. O local chegou a ser fechado em março deste ano por conta da música ao vivo. A Polícia Civil e a Semadur (Secretária Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano) interditaram a casa por falta de análise de “ondas de som”, procedimento para verificar emissão de ruídos.

Para liberação, os proprietários investiram R$ 130 mil em obras de acústica. A casa abriu em 2008 com o conceito do happy hour e música ao vivo, mas, desde o ano passado, o que era bar agora parece mais uma casa noturna. Hoje só abre sextas e sábados com eventos esporádicos.

O proprietário Carlos Roledo Júnior foi procurado para falar sobre a possibilidade de venda, mas não atendeu o celular. Porém, em entrevista recente ao Lado B já havia dito que realmente pensava em desistir do ponto na Afonso Pena.

 




Concordo com os colegas que comentaram que Campo Grande é uma cidade de aparências. Morei na cidade até meados deste ano e percebi mesmo que as pessoas querem circular, porém não estão dispostas ou não podem pagar por um consumo "razoável" em uma casa noturna. Sou de um instituto de pesquisas salariais e a média de Campo Grande é muito baixa para tantos bares e restaurantes de bom nível, o resultado é todos vazios e falindo. As pessoas de poder aquisitivo elevado são poucas para sustentarem este mar de aparências. Mudem os conceitos , os preços e quem sabe as coisas se ajeitem.
 
Julio Senne em 28/09/2013 20:38:58
O povo que realmente tem dinheiro em Campo Grande, não é de sair muito, até porque tem família, os solteiros que querem mostrar aparências, vão e gastam pouco, sobrando assim a conta para os que tem poder aquisitivo maior, se esses bares reavaliassem seus custos, fariam com que uma classe média(que é a que frequenta) gastasse um pouco mais, na média se cobra 30,00 para entrar, fora o que se gasta ,sei porque frequento alguns desses lugares, é muita gente comendo mortadela e arrotando caviar.
 
Carlos Matos em 12/09/2013 10:03:40
Campo Grande é uma cidade de pessoas esnobes ,que vivem de "aparências" e o alto custo desses bares vai para quem gasta um pouco, pois boa parte "enrola" o tempo, capital tupiniquim,,, queriam o que? os comentários são todos válidos,,,hora de rever preços,, para uma população que na media salarial ainda é baixa, quem sabe assim a frequência aumenta,
 
Carlos Gonçalves em 12/09/2013 09:33:07
É lamentável ver essa situação acontecendo ainda em Campo Grande. Desde o tempo da boate Tunel que venho observando o quanto é complicado encontrar o equilíbrio empresarial em estabelecimentos de entretenimentos e gastronômico aqui. Os empresários não são os maiores responsáveis pelos constantes fracassos nesses empreendimentos, acho que eles tem dado o melhor que existem nesses segmentos para a cidade. Aqui se encontra ou encontrava os melhores produtos em qualidades e até preço dos existentes nas maiores metrópoles do país. Você paga para comer em São Paulo cifras altíssimas para saborear um simples lanche feitos de hambúrgueres, passado por uma salamandra, mas recusa-se a pagar um mísero preço para um mesmo lanche da mesma qualidade aqui. Acabou o espaço!!! kkkkkkk
 
João Barbosa da Silveira em 11/09/2013 16:00:11
Me entristece ver os negócios abrindo e fechando em Campo Grande, sou nascido aqui mas vejo que a nossa cidade não tem capacidade de receber e manter os empreendimentos, a gente vai a Corumbá e Cuiabá e por lá tudo tá acontecendo, sem lei do silencio, sem o modismo momentâneo de uma sociedade predadora que frequenta o lugar por um certo momento e quando sai da moda, o lugar fica às moscas. A cidade com pouca idade e muita miscigenação não forma bem teus costumes e a aparência de rica não condiz com os negócios fechando todo dia e pra se viver numa cidade rica em vida noturna tem que se gastar, às vezes a bons preços mas não é o que acontece aqui onde é tudo muito caro, mal servido o que nos passa a sensação de que somos todos imbecis.
 
Rodolfo Strobel Diniz em 05/09/2013 17:39:32
Concordo com grande parte dos comentarios acima, mas o que realmente acontece em Campo Grande é o ar de grandeza e de ser mais que o outro. Abrem um barzinho e vzi todo mundo pra la daí os empresarios ja sabem desse comportamento sobem o preço mesmo. Tomar um chopp aqui ta mais caro que em copacabana que tem otimos bares e com preço bacana. Ah, atendimento ruim existe em qualquer lugar!!!
 
Jonatas Alves em 05/09/2013 12:43:59
Não é Afonso Pena que está em crise, ou mesmo Campo Grande, mas sim o povo que mora em Campo Grande que está a muito tempo em crise, reclamam por não haver um espaço legal, mas não prestigiam. Com o tempo vai se esfriando e assim acabam sendo fechados os bares, botecos e afins...As pessoas que residem em Campo Grande gostam de festas em residências, então Campo Grande dificilmente irá ter uma vida noturna decente e gostosa. Alguém se lembra da noites de quinta feira gostosas do Tunel Club? Então acabou...e assim acontece com todas as casas noturnas de Campo Grande...Infelizmente...
 
Shirlei Boretti em 05/09/2013 09:02:58
É uma cidade de matuto, tanto de um lado do balcão quanto do outro.
 
Mário Souza Lima Júnior em 05/09/2013 00:28:24
Momentos de inflação, alta carga tributária, insegurança pública, altos índices de acidentes de trânsito, Lei Seca, Lei do Silêncio, mau atendimento, altos preços, longas jornadas de trabalho, etc. ... não é só o campo grandense que está deixando de "gastar" em baladas e se "aventurar" pelas perigosas noites! Lazer e entretenimento deixou de ser prioridade dos BRASILEIROS, infelizmente, em todo o país.
 
Andressa Oliveira em 04/09/2013 20:11:38
Há muito tempo penso que Campo Grande é uma capital com cara de interior. As pessoas vivem de aparência e quase nenhum lugar parece conseguir perpetuar sua existência.Que eu me lembre não tem mais nenhum bar na área central com música ao vivo que funcione ao ar livre, como é tão bom! Nenhum local com som ao vivo, que não seja fechado e vire "balada" cara consegue sobreviver em Campo Grande!! São vários pontos que percebo: o custo alto para o empresário; excesso de fiscalização; vizinhança que não facilita! Gente só queria sair em paz na minha cidade, mas isso está cada vez mais difícil!! O excesso de regras/fiscalização atenta contra nossa liberdade! Não se acha mais o bom e velho boteco depois de certo horário!! Espero que as coisas melhorem, afinal, lazer também é direito constitucional!
 
Denise Braga em 04/09/2013 19:31:11
Certo todos os comentários; atendimento PÉSSIMO e preços ABUSIVOS. Quem deve por as "barbas de molho", são os lugares que servem rodízio de sushi: 25 a 30 reais por bolinhos de arroz enfeitados! Aff. Ninguém merece!
 
Rosangela godoy em 04/09/2013 19:23:58
Quantos comentários sem informação!
Campo Grande é uma cidade onde as pessoas tem um poder de consumo bem alto comparado ao de outras capitais e referência em boates como a Valley e a Move.
O problema é o comodismo dos empresários que não investem em novidades no estabelecimento. O consumidor gosta de coisa nova, atraente que o instiga a frequentar o lugar, tudo isso aliado a um bom atendimento.
Pegando o exemplo do Real Botequim, faço as palavras do Ernesto Gazal as minhas. Ambiente escuro, atendimento péssimo (enfiavam comida em você sem pedir e cobravam o que não pedia), comida ruim e nada de novidades.
Enfim, os consumidores campo-grandenses gostam de novidades e são exigentes, então se não puder oferecer isso a ele o estabelecimento corre sim o grande risco de fechar.
 
Victor Bitencourt Arossi em 04/09/2013 18:53:33
Bar da Bramha? bom atendimento?? forçou agora...realmente não tem um excelente atendimento nos bares de CG,
 
Caio Prado em 04/09/2013 18:08:13
Na boa... o pessoal tem que parar com essa mania de se achar. Aqui em CG tem muita gente comendo mortadela e arrotando caviar. Meia dúzia de gato pingado que bota banca de rico e que frequenta uma vez ou outra esses locais, ou seja é um público que não sustenta a quantidade de estabelecimentos titulados como "top" e esses por sua vez acham que podem cobrar o quanto quiserem pois "pagam", pq tá na modinha. Não adianta falar de atendimento culpando garçons, a maioria desses empresários pagam uma miséria e mal tratam seus funcionários. Vai querer o quê?O dono sorridente e simpático atrás do balcão que agradece o visitante nem sempre é o mesmo com seus funcionários.
O que falta em campo grande é lugar para classe média e com valores "pé no chão", caso contrário serão "uma vez e nunca mais".
 
Leo Amarante em 04/09/2013 18:05:57
Amigos a verdade é uma só: Todos bares de balada em CG é preço de capital praiana e eixo SP, RJ, MG etc, só que não tem suporte pra isso, pior qualidade, deveria as autoridades fiscalizar mais, seus wisks tds falsificados c/ raras exceções!!! É só conferir, alem de o PY ser ao lado, ainda nos servem lixos de bebidas falsificadas!!!
Long neck a 8 Reais...Wisk 8 anos casa China U$16-18, dose em CG U$5-8 ou litro U$ 70 -9;, Litro vodka casa China U$ 7 - 14 U$ garrafa na noite CG 60 - 70 U$, ainda vendem falsificados e td mundo sabe, os Donos de Baladas compram de 01 a 02 fornecedores sabendo que o produto é falso a preço mais barato que o PY casa China, achando que o povo de bala de CG toma com energético e nem sabe diferenciar!!! Por ai vai!!
 
netto alencar em 04/09/2013 17:48:12
Parece que o empresário da noite quer empurrar uma cultura goela abaixo do povo de Campo Grande. Não é de hoje que vejo pessoas de fora falarem que a vida noturna por aqui é muito fraca, e sempre foi assim e não vai mudar. Basta ver que em 80% da cidade já se vê poucas pessoas nas ruas a partir das 20hs, se esfriar então são 100%, completamente diferente de Goiânia e Cuiabá, que também são do centro oeste. O povo daqui não tem essa cultura e nem essa tradição, não se sabe o motivo. Os moradores daqui querem mesmo é ir aos shopings, e dificilmente se acha vaga nos estacionamentos dos shopings nos horários da noite.
 
Jorge Souza em 04/09/2013 17:43:25
Há pouco mais de 2 anos, fecharam uma boate na 15, e o dono (falido) disse que o que campograndense gosta é de farmácia e edredom..
Todo mundo ficou p**o com o que ele falou.. Mas será que ele está tão errado assim?
 
Pedro Alcântara em 04/09/2013 17:03:41
Vou ter que abrir o Barnabé novamente...:)
 
Luis Carlos Xavier em 04/09/2013 16:53:02
Bianca Martins e só não fica velho quem morre jovem, parece que vcs querem a segunda opção para si mesmas.
 
paulo lessa em 04/09/2013 16:36:46
CG está a beira da falência. Há anos essa cidade vive de modinha. Era modinha do macalé e pitanga, bombava. Aparecia outro, impregnavam no novo e abandonavam o antigo. É fato que os estabelecimentos tem péssimos atendimentos, mas qdo se gosta de um bar, vire cliente e pronto. Por que será que em outras cidades os bares se tornam famosos e tradicionais e duram anos, como o famoso bar Brahma em SP? Custo alto é relativo. Vá a um bar no aero rancho e pague 3 reais o litrão, ou vá na Af. Pena e pague 6 reais um copo de chop. Normal.
 
isabela cordeiro em 04/09/2013 16:31:03
Enquanto isso Café Mostarda firme e forte... ainda acho um dos melhores da cidade
 
Bruno S. Pessoa em 04/09/2013 16:30:55
E o consumidor ficando mais individado, e com real valendo cada vez menos, Negócios fecham mesmo!
 
Silvio Alves em 04/09/2013 16:15:26
Campo Grande não tem mão de obra capacitada. É difícil achar mas fui bem atendido em um barzinho novo na Via Park (barato, chopp muito gelado, e atendimento bom) e vi que o garçom já tempo de estrada, o problema maior é de todos os outros profissionais terem o mesmo patamar de qualidade no atendimento. A culpa de termos péssimos profissionais deste ramo na cidade não é do empresário que abre o empreendimento, muitas vezes eles são obrigados a formar novos profissionais com o estabelecimento já aberto. Casas que sobrevivem 1 a 2 anos, geralmente costumam indo melhorando o atendimento justamente por ter uma equipe que já conhece o trabalho e o gosto do cliente! Espero que bares novos como este fiquem por muito tempo para mostrarem a evolução no atendimento
 
Flavio Campos em 04/09/2013 16:09:30
Li todos os comentários acima e realmente Campo Grande é o fim. Bares, restaurantes e etc, não temos muitas opções bacana para ir ...
Sobre a música ao vivo, acho boa a ideia e vi muita reclamação da lei do silencio. Na minha opinião acho que bar com musica alta nao dá. Pois o intuito de vc ir em um bar com amigos é conversar e desfrutar de uma musica ambiente e musica ambiente não tem lei para proibir.
Vamos pegar como exemplo Parks, musica ao vivo em um volume bom, sem que a gente precise gritar para conversar. Ja a mercearia q nem musica ao vivo tem e é sempre lotado.
Acho que o problema pode ser os preços muito alto das coisas, se colocassem preços no meio termo, todos pagariam.
Fora que tem muito lugar em CG que aprovei o resto de arroz, porção para complementar os novos pedidos.
 
Marcelo Novaes em 04/09/2013 15:57:27
Também, um chopp é quase R$ 10,00... Quem que vai?
 
THIAGO CAMPOS em 04/09/2013 15:55:05
Quando o Real Botequim inaugurou fiquei louca para ir, mas depois que vários amigos reclamaram do PÉSSIMO atendimento, desisti e nunca fui. Acho que Campo Grande precisa de profissionais qualificados que atendam com respeito e qualidade e façam jus ao alto preço cobrado nessas casas. Acredito que por falta de mão de obra qualificada o outback não veio p cá. E outra barulho existe em todo lugar. Se fosse assim não existiria as grandes capitais como São Paulo. Acorda Campo Grande...
 
Luana Neves em 04/09/2013 15:33:59
Visão de quem morava em Campo Grande e agora mora no Rio. Eu acredito que o problema não seja a crise de consumo que o Brasil enfrenta, mas o que vejo é que realmente o povo de CG, as pessoas no geral não são "botequeiros". Não tem o costume de "sentar a bunda no bar" e beber, desculpe o linguajar.
O programa que o campograndenses fazem é ir no bar-boteco, beber um pouco para depois se divertirem de fato. Eles não tem o costume de "virar" uma noite num boteco ou bar bebendo, é sempre um programa para antecipar o programa principal. O que funciona realmente em CG são boates e casas de show.
Os bares e os botecos tornam-se lugares para "aquecer" a noite e por isso talvez, não tenha condições de se manter por muito tempo. BORA BEBER NO BOTECO! E MAIS BARATO, DIVERTIDO E AS PESSOAS CONVERSAM
 
giselle ribeiro em 04/09/2013 15:23:40
Dêem uma volta nos bairros e verão os botecos lotados e animados, grande parte devido ao preço ser condizente com a realidade das pessoas e outra seria a famosa lei seca, as pessoas (eu, inclusive) preferem beber próximo às suas residências ao invés de aventurar-se pelo centro da cidade e correr o risco de cair numa blitz.
 
Lucas Sarcozi em 04/09/2013 14:54:42
Fechou pq essa cidade é da 'modinha' de gente rasa e que adora se aparecer. Não dou mais que 1 ano pro Deck ter o mesmo caminho... Aqui não há pão, muito menos circo! Ôh Rincolândia fúnebre e tacanha!
 
JESSICA MACHADO em 04/09/2013 14:53:55
O Real botequim fechar não é novidade nenhuma. Atendimento ruim, e as más línguas diziam que a cozinha deles era uma porquice. Certa vez fui a esse bar e inventei de pedir um dos pratos rebuscados que eles tinham no cardápio, e depois de passados 25 minutos de espera, já com muita fome, fui informado que o peixe não tinha mais no estoque. É claro que me levantei, paguei a conta e fui embora pra nunca mais voltar.
 
Joaquim Junior em 04/09/2013 14:49:47
Para esse bar um resumo: Atendimento ruim e preços altíssimos. tem que fechar mesmo. Uma lata de coca-cola R$ 5,00??? um Chopp R$ 8,00???? FECHA JÁ!
 
Paulo Bonsini em 04/09/2013 14:29:49
Normalmente os empresários de fora (São Paulo, Brasília....) traz contigo o jeito esnobe de que aqui não tem coisa boa.
O representante do Porcão Churrascaria disse que ia mostrar o que era picanha de verdade....de verdade é 100,00 reais o almoço????
Vamos valorizar a nossa cidade e ao empresário favor capacitar-se e respeitar o consumidor.
 
Juarez Souza em 04/09/2013 14:10:39
O que acontece é que não existe apenas um fator "culpado" por esses fechamentos. A vida noturna está concentrada, em sua maioria, na Afonso Pena. O problema já começa por ae, falta de opções. Os bares dessa avenida, que estão na moda, além de cobrarem preços exorbitantes, têm um péssimo atendimento, todavia a maioria dos frequentadores não estão preocupados com isso, querem apenas ter fotos para colocar nas redes sociais. Porém como tudo referente à moda, uma hora passa. É preciso criar bares e casas noturnas (cada qual com sua função, sem querer misturar funções) em lugares diferentes, com preços acessíveis e e atendimento de qualidade, assim cada qual terá seu público fixo e não correrá o risco de fechar.
 
José Marcos em 04/09/2013 13:30:43
Sr. Cristian Dos Reis, então o senhor acha que os comerciantes pagam muitos impostos? Que impostos eles pagam se tudo é repassado ao consumidor? O que eles fazem é recolher o tributo, mas quem paga mesmo é o consumidor. Nem imposto de renda estes empresários pagam. Agora, querem abrir negócios, ganharem dinheiro as custas da sociedade e não querem contribuir para o desenvolvimento através dos tributos? ai fica fácil, né? E ainda falam mal dos funcionários públicos, que pagam tudo na fonte, nem tem como discutir. Agora, que Campo Grande sempre foi a cidade dos velhos isso não é novidade.
 
José Brasil de Oliveira em 04/09/2013 13:07:25
O que realmente ocorre é que a renda da população não acompanhou essa tal demanda por lugares novos.Campo Grande é a capital mais endividada do Brasil segundo os últimos dados de pesquisa divulgados pela tv globo e rede record o que mostra que Campo Grande é uma cidade de mera aparência e dinheiro que é bom nada ; sou empresário e falo porque observo isso diariamente.Aquele tal aquecimento da economia em meados de 2009 e 2010 não passou de uma mera irresponsabilidade do governo lula que esta refletindo agora com tantos estabelecimentos falindo e fechando; realmente a economia vai de mal a pior. observem isso os tal frequentadores de shopping e vejam o que vai acontecer com as lojas do shopping bosque dos ipês;infelizmente é a realidade.
 
edgar garcia em 04/09/2013 12:53:33
Não precisa pagar caro por atendimento bom, não. Sou super bem atendido ali no Espetinho do Edy, pago 6,50 por um completo e muito gostoso. No Real fui super mal atendido e paguei caro. Fechou porque era ruim.
 
Murilo Delmondes em 04/09/2013 12:35:18
CONCORDO COM VC CAROL
AQUI O POVO QUER COISAS BOAS MAS NÃO QUEREM METER A MÃO NO BOLSO.
 
saulo bitencurt em 04/09/2013 12:32:12
Meus caros o Campograndense gosta mesmo é de Espetinho e Mandioca.
Esse negocio sim, não para de crescer por aqui.
 
Reinaldo Sandim em 04/09/2013 12:24:42
O grande erro, é as pessoas acharem que a Afonso Pena é um bom lugar para abrir esse tipo de comércio, se vc pensar que é uma avenida de grande e rápido fluxo, onde é extremamente difícil estacionar e até mesmo de simplesmente passar na frente, se vc visitar cidades como SP, RJ, BHZ, PORTO ALEGRE e até mesmo Cuiabá, todas essas cidades criaram determinadas áreas, bairros que são afastadas das avenidas, onde abrem um conglomerado de bares e restaurantes todos ao lado um do outro, tornando um point certeiro tanto para as pessoas quanto para os proprietários, isso pq todos os bares lotam, pq todas as pessoas se concentram no mesmo lugar
 
Léo Freitas em 04/09/2013 12:18:12
E como os estabelecimentos estão sendo fechados, poderia também diminuir o numero de pessoas que trabalham na Semadur, já que estão acabando com os estabelecimentos, não terá mais necessidade do povo pagar o salário deles por não terem mais o que muito fiscalizarem.
 
Bento Moreira em 04/09/2013 11:55:59
Eba, vou abrir minhas lojas de colchão e farmaceutica!

;(
 
joão samam em 04/09/2013 11:52:34
É só abrir uma farmácia no local!!!!
 
Lourdes Maria Morgado em 04/09/2013 11:51:22
A reclamação de mau atendimento: O que fazer num país que paga tantas bolsas aos desempregados??? Pq trabalhar? Melhor ficar em casa recebendo as bolsas-auxílios!! Trabalho na área e afirmo: falta gente querendo trabalhar! O problema de atendimento, não é dos empresários e sim da falta de mão de obra no mercado de trabalho. Estou a 3 meses buscando garçons, e não consigo.
 
Bento Moreira em 04/09/2013 11:51:07
Gostei do seu comentário, Romeu Luitz .
aqui em campo grande é o lugar que o péssimo atendimento impera , difícil um lugar que se salva. é a cidade dos mentiroso, como tem mentiroso aqui em c.g. tem gente que esnoba de repente some, é só acaba um governo, pra vc ver , olha o cara na pior isso é sempre assim. fim de governo cuidado com negocio com eles. é fria.....
 
paulo g diaz em 04/09/2013 11:35:47
O real é que o povo de campo grande e estranho, quando o valor e salgado para o publico classe a como vcs dizem, ninguém vai pq e caro, quando o valor e barato ninguém vai pq o publico so da " malokeiro ". Oque vcs querem afinal?
Locais Bons são caros, quer um atendimento diferenciado pague a mais por isso, apesar que em muitos locais o atendimento peca realmente, mais funciona assim mesmo, o publico não da valor em nada. Tem muita casa que vive vazia aqui em CG, porque disso? atendimento? valor? publico? qual e o mistério que nada fica vivo aqui?
 
Amauri Voltolini em 04/09/2013 11:34:21
Olha, acho que falta saber administração e existe a ilusão do lucro imediato, o Bar da Brahma que é do lado faz tempo que existe, o Mercearia é velho na cidade, aliás um dos melhores de CG. Campo Grande tem muitos bares bons que não tem a desculpa da lei seca ou de som alto para continuarem firmes e fortes, pra mim isso é falta de administração correta.
 
Madjer Walace em 04/09/2013 11:14:48
Bom dia
Gente nao e so a Afonso Pena que esta em crise e sim o comercio em geral.
Nunca vc comerciante recebe alguém pra ir te incentivar, mas sim so pra cobrar,
Sao tantas coisa, tanta cobrança, tanto imposto que ninguém mais ta aguentando,
daqui ums dias vcs vao ver o tanto de comercio que vai fechar, e se fizerem uma pesquisa tem muitos mas muitos comércios a venda.
Ninguém aguenta mais tanta fiscalização e multa, o comerciante nos dias de hoje e um guerreiro pois todos os dias e uma autuação uma cobrança e cada dia o custo fica mais alto.
E revoltante o tanto de cobranças e fiscalizações que o comercio de hoje tem.
Comerciante no Brasil não e fácil.
Fica aqui o meu apoio aos comerciantes guerreiros que eu sei que são.
 
Cristian Dos Reis em 04/09/2013 11:14:29
Política do povo de CGR! Frequentar só no início, não gastar nada, pagar de rico e ir tomar tereré nos altos da avenida competindo com seus sons estrondosos e absurdamente com gosto musicais de quinta categoria! Vamos ver até quando o campo-grandense irá evoluir sua vida noturna e sua cultura! De fato tenho que concordar que os preços desse bar eram de tabelas de grandes capitais e o serviço era péssimo! Outro é o Habbi's que está com um serviço que deixa a desejar! Está faltando investimento na qualificação de garçons entre outras partes aqui na nossa capital! Colocam matutos desinformados, grosseiros sem um pingo de vontade de trabalhar para atender o público, esse é o resultado!
 
Miguel de Paula em 04/09/2013 11:12:46
Por mais que a cidade tenha o costume de viver por aparencias, para mim o que vale é o atendimento e custo que importa, fui uma vez apenas no Real, fui extremamente mal atendido, e a qualidade dos produtos nao tinham o sabor nem um pouco proporcional ao custo. E como todos os bares de Afonso Pena estao no mesmo patamar, a cidade ja esta migrando para a Euclides da Cunha, que a aglomeracao esta muito mais forte do que na Afonso Pena
 
Marcus Rolim em 04/09/2013 11:12:11
Lamentável, mas em Campo Grande a maioria dos bares que abrem, são os que estão na moda, e como tudo o que esta na moda passa rápido. Também tem a questão do preço, do atendimento.
 
Gabriela Freitas em 04/09/2013 11:11:18
Por causa de alguns que abusam da bebida (misturam vodka, cerveja, whisky...), todo o povo brasileiro tem que pagar pelos erro dos irresponsáveis. Sempre fomos a baile, pizzaria... e sempre tomamos a nossa cervejinha sem exageros. Agora esta difícil de sair e sentar em uma pizzaria ou barzinho e tomar com prazer uma cerveja gelada, porque o fulano que misturou tudo que é bebida e ficou realmente embriagado cometeu acidente. Todos os meus amigos que bebem socialmente jamais cometeram acidentes ou coisas deste tipo. A lei tem que punir realmente os que exageram com rigor, mas só que esta punindo quem quer ter uma vida social correta.
 
Placida Barros em 04/09/2013 10:59:21
Esses empresários da noite querem ganhar tudo de uma vez só.Os preços cobrados por chopp,cerveja e petiscos é exorbitante.Temos que procurar os botecos de periferia e bairros,que cobram bem menos e atendem melhor.Tomara que fechem todos esses bares da afonso pena.Falta nenhuma vai nos fazer.
 
PAULO SÉRGIO DA CUNHA RAMOS em 04/09/2013 10:58:49
Acontece que os Bares de Campo Grande formaram uma espécie de cartel, e hoje acredito que são os bares mais caros do Brasil, campo grande é sim uma cidade rica, mas cobrar 10,00 Reais por um copo de chopp é demais. Por isso que estão fechando.
 
Marcos Wild em 04/09/2013 10:58:45
tem que fechar mesmo, atendimento péssimo, e pagar 8 reais numa longneck é roubo demais.
 
Mauro Nunes em 04/09/2013 10:56:52
É muito simples, o campo-grandense aos poucos está cansando de ser saco de bancada da burguesia. Real, SIS, Bodega, Miça, Tabua, todos capitalistas cegos que estão se lixando para seu público, vêem seus clientes como cifões. O atendimento é padrão para todos = PÉSSIMO. A falta de movimento é reflexo da política de atendimento, que é quase inexistente.
Os consumidores se cansam.
Hoje em dia balada boa em CG é balada caseira, amigos, etc. Porque é barato, você não precisa se sujeitar às humilhações públicas por parte das empresas e de seus funcionários, etc.
 
Rick Mayer em 04/09/2013 10:55:09
Verdade Adriana Silva, este fato aconteceu comigo também a diferença, que fomos embora sem consumir nada, meu esposo ficou indignado com o péssimo atendimento.
 
Enir Garcia em 04/09/2013 10:45:15
A história não é novidade em Campo Grande, sempre assim, abrem os bares, lotam, e depois fecham, agora é a vez do bar da Bud, todo mundo acha o máximo dizer que foi lá, sinal que você está na moda, foi visto, bem coisinha de Campo Grande. Daqui um ano, dois, capaz de fechar também. Essa cidade não sustenta nada não é só pelo problema do barulho, é que é a capital da aparência, das pessoas fúteis que querem aparentar ter bem mais do que tem, e ai não dão conta de manter o padrão que querem com o salário que ganham, e no final não tem dinheiro para tanta badalação. O problema do barulho sempre vai existir, e nas outras cidades também tem, engano achar que é só aqui. E quem acha que é cidade de velho, que se mude, e quem gosta de barulho, mude para o lado da casa noturna.
 
Rafael Santos em 04/09/2013 10:37:28
É isso ai... em Campo Grande é assim, não se trabalha vendendo produtos por um preço justo, estabelecimentos trabalham vendendo por quanto os clientes estão dispostos a pagar. o real botequim fechou? deveriam postar uma foto do cardápio, olhando os preços seria fácil entender o fechamento. o mesmo que se gasta para fazer um churrasco para os amigos em casa, gasta uma pessoa só para ficar sentado em um buteco desses da afonso pena por apenas 2 horas. e ai o que vocês escolhem? um churrascão com os amigos, cerveja a vontade e picanha, ou 2 hrs de fitinha em um bar "classe a"?
 
João da Silva em 04/09/2013 10:25:16
A verdade é que o campo-grandense já não valoriza os poucos e bons bares e restaurante da cidade. E pagam pau para os lugares nos grandes centros, onde vão gastar suas reservas... Por isso os bares tem que apelar para musica ao vivo, que ainda tem publico, mas o ministério publico esta mais interessado em atrapalhar do que a ajudar.... É lamentável como as autoridades levam essa situação... E ainda queriam a copa em campo grande? Lamentável!!!
 
Bento Moreira em 04/09/2013 10:23:26
Os camaradas oferecem produtos e serviços populares mas querem cobrar valores não equivalentes, chega uma hora que nem o modismo de Campo Grande consegue sustentar o superfaturamento. No final a culpa é da crise? Também!
 
Igor Holanda em 04/09/2013 10:20:23
Desculpe-me, mas o dono do Bodega dizer que está caro manter a casa por conta dos shows é uma grande falácia, pura demagogia... ele alega que shows bons são caros. Deixei de ir ao Bodega pq a qualidade dos shows ficou baixa... então, tais shows deve sair bem baixo. Pq não experimenta trocar as atrações de vez em quando? #ficaadica
 
Tereza Hideki em 04/09/2013 10:20:00
Logo após a inauguração, estive com minha família no Real Botequim, e apesar dos preços altos, encontramos um ambiente muito agradável e bom atendimento, no entanto, ao chegarmos no carro "no estacionamento do próprio empreendimento" deparamos com o veículo riscado, assim como outros veículos estacionado ao lado, também riscados. Procuramos pelo Sr Rafael (Gerente), que não admitiu ter acontecido dentro do estacionamento. Passado alguns dias, ponderou os fatos e solicitou que levássemos 3 orçamentos e o mais barato ficou em R$ 350,00. Com o orçamento em mãos, disse que precisava de autorização da matriz, autorização essa que nunca chegou. Moral da história: Se um gerente não tem autonomia para autorizar um serviço de R$ 350,00 e manter a satisfação do cliente, como gerir o negócio?
 
Sebastião Rosa em 04/09/2013 10:18:17
ja disse e vou dizer de novo: Campo Grande não tem mais volta...ja era, ta perdendo pra qualquer cidadezinha de 100 mil habitantes. uma capital que só tem farmacia, mercado e loja de colchão dá nisto.. um bando de gente que dorme e trabalha, mal amados, reclamam de quem quer se divertir, e acham que estão com a razão.. aí nas férias, viajam pra santa catarina, gastam tudo o que tem la e voltam falando mal da morena. é bem da cidade isto. bem feito!
 
jorge mendes em 04/09/2013 10:17:43
O problema é que a fiscalização dos bares está bem rígida, enquanto dessas conveniências que só aglomeram bêbados arruaceiros é feito vista grossa. Será que, como está aumentando o lucro das conveniências tá rolando propina para os responsáveis não darem um fim na bagunça?
 
Rhaisa F.Molena em 04/09/2013 10:08:13
Concordo com a Barbara Oliveira, campo grande esta virando uma cidade de velhos, totalmente radicalizada pela lei do silencio, e pelo individualismo popular, daqui a pouco a cidade ja nao tera mais atracoes turisticas, nao tera renda vinda de fora para dentro da cidade, e quem mora em Campo Gande ja esta saindo fora, pra curtir eventos melhores, mais baratos em outros lugares, infelizmente isso vai falir empresarios, vai desanimar jovens, como q em outras cidades tem eventos melhores, vida noturna mais badalada e nao tem esse tipo de problema, e quem ganha muito com isso sao as proprias cidades que fazem esse tipo de evento! ja acabaram com a exposicao, agora com os bares, onde os jovens vao parar???? pensem vcs preferem seus filhos pegando estradas pra curtir balada??? correndo mais risco de vida
 
Thiago Marco em 04/09/2013 09:53:13
Campo Grande "CAPITAL" vai se tornar uma cidade fantasma nas noites!! onde estao os Politicos que em épocas de campanha prometem fazer o melhor para a cidade?? agora é a hora de colocar em pratica e planejar espaços para um BOM happy hour ou Balada!!.
#Os usuários agradecem.
 
Dieme Garcia em 04/09/2013 09:48:49
O que está matando os bares da Avenida Afonso Pena chama-se "Lei Seca", pois como a tolerância é zero, as pessoas estão evitando correr o risco de frequentar bares em avenidas de forte fiscalização.
 
Douglas Lopes em 04/09/2013 09:42:41
Crise? Os imóveis estão cobrando acima de R$30mil de aluguel. Que crise?
O problema tá longe de ser "crise econômica" na capital que mais cresce no país. O problema se divide em 3:
- Com os aluguéis nesse preço, onde uma casa menor que esses bares está por R$30mil pra locação, fica difícil manter um bar, que não é todos meses que tem movimento.
-A região que concentrava o maior movimento ( Miça, Café , Bodega e outros) não era permitida a construção de prédios entre Bahia e Ceará. Foi liberado no final da administração Nelsinho e há o medo de volta da proibição, o que acelerou a construção de prédios.
-A lei do silencio e a lei seca, a primeira estragou o legal que eram mesas nas calçadas, e a segunda fez o campo-grandense que tem vergonha de táxi sumir da noite.
 
Alexandre Pellizzon em 04/09/2013 09:41:45
Acho que fecham, porque cobram muito caro! É muita grana em um chop ou uma cerveja!
Não tem quem aguenta...
 
Roberto de Carvalho em 04/09/2013 09:29:25
Análise profunda, Sra. Andrea Buarque. Comentário phino. De quem conhece o que é economia. Este é o padrão do empreendedor brasileiro: os lucros sempre precisam ser os maiores possíveis, não importando impostos, direitos trabalhistas, meio ambiente, etc. O sonho da classe média brasileira é ter seus escravos trabalhando por eles, poder propalar seus insultos discriminatórios aos quatro ventos e, é claro, poder comprar seus produtos eletrônicos sem pagar impostos. Se der para incluir uma baladinha, melhor...
 
Guilherme Novaux em 04/09/2013 09:21:48
Concordo com vc Andrea Burque... é muita inflação em nosso país, que o povo brasileiro trabalha para pagar os impostos, e o que sobra não da pra ir em uma balada muitos estão nessa situação, não só aqui mais em todo o Brasil. Infelizmente é a triste realidade.
 
Willyan Souza em 04/09/2013 09:04:06
Não me admira nada o Real Botequim fechar. Final do ano passado fui com meu namorado que é de SP e fomos muito mal atendidos; Inclusive ele comentou sobre o mau atendimento do local, disse que como uma casa com a estrutura que tinha não possuia funcionários qualificados.
Demora para os garçons atenderem as mesas, depois que fizemos o pedido esperamos mais de 40 minutos para chegar o pedido que não chegou, cancelamos e fomos embora sem comer.
Falta qualificação profissional em Campo Grande.
assim como aconteceu comigo, com certeza deve ter acontecido com outras pessoas.
 
Adriana Silva em 04/09/2013 08:52:45
Falta de planejamento e estudo de mercado.
 
Tássio Mourão em 04/09/2013 08:52:45
Campo Grande é uma cidade de velhos! ou de pessoas cricri... também por isso, os bares estão fechando. Eles reclamam do som alto, reclamam, se não tiver como reclamar do som, que o movimento na rua atrapalha, reclamam que os 'jovens' quebram tudo, depredam tudo, generalizando. Difícil um bar que resiste a tanta pressão.. todos vão fechar, ou se modificar. A cidade já não tem muitas opções de lazer/cultura que não seja sertanejo, com toda essa implicância, daqui a pouco nem sertanejo não tem mais.
 
bianca martins em 04/09/2013 08:48:04
É triste mas é a realidade, morar em Campo Grande não é fácil para quem é jovem. Em viagens pelo Brasil, reparei que nossa capital deixa muito a desejar com relação a bares tradicionais, e baladas. A verdade é que algumas cidades de interior são muito mais animadas que nossa cidade, com maior quantidade de bares e boates inclusive.
Moramos em uma capital que não quer ser capital, não quer ter barulho, não quer ter festa no final da Afonso Pena, não quer shows no parque de exposições!!! Mas é pretensiosa até demais em outros aspectos, como tentar loucamente sediar jogos da copa do mundo em nosso Estado por exemplo, embora Cuiabá tenha sido a escolha mais idiota de todas, façam-se a pergunta, o que temos a oferecer??? Esse é um desabafo de um Campo grandense insatisfeito!
 
Renato Barreto em 04/09/2013 08:46:04
Pode até ser que o país está em crise, mas por outro lado, a poucas semanas estive no Real Botequim em uma quarta a noite. Em menos de 2 horas, somente a minha parte ficou em mais de R$ 150,00. E uma realidade para poucos. Está mais que na hora de Campo Grande ter bares "classe a" com preços justo !
 
Dennis Felisberto em 04/09/2013 08:42:49
Campo Grande sempre foi assim, não tem uma vida noturna forte, por mais que falem, não tem renda forte o suficiente para isso, e mais as carolas de plantão ficam criando empecilhos, bar e volante não combina?que adianta não beber num bar, mas beber na conveniência, comprar no mercado e vai na afonso pena.com as meninas dançando quase peladas...essa é a vida noturna de Campo Grande, e pelo jeito para os que tem real condição, vai ficar mais chato ainda!!
 
Caio Prado em 04/09/2013 08:41:06
É uma vergonha os proprietários de bares tão conhecidos terem que fechar as portas por causa de leis mal elaboradas..Não sou frequentador de bar,mas fico extremamente chateado pelos acontecimentos..Em CG não se pode ir aos altos da afonso pena tomar tereré e relaxar um pouco(sem badernas)pq a policia manda ir embora;não se pode ir aos bares ouvir musica ao vivo pq tem a tal lei mal elaborada do silencio,,mesmo sendo de boa cultura,não tem onde ir se divertir saudavelmente,pq tudo é proibido!!!
CG é praticamente uma cidade de velhos..(idosos)
Todos nós temos no minimo o direito de se divertir saudavelmente!!
CG tem que ser de todos!
não tenho mais coragem de morar aqui...Tem cidade do interior que é mais animada que a própria capital....
mas enfim,não adianta,reclamar,tem que se conformar!!
 
Wladimir Cândia em 04/09/2013 08:39:49
Nem conheci e ja fechou?
 
Romeu Luitz em 04/09/2013 08:30:03
Campo Grande,o lugar mais parado do Centro-Oeste....Parabéns Cidade Morena...
 
Renato Silva em 04/09/2013 08:21:35
Poxa mas também !! esses dias fui nesse bar e gastei R$ 277,00 numa sentada, sem exagerar, só tomando chopp. Desse jeito não tem quem aguenta mesmo. Para ir la é uma vez na vida e outra na morte ! Por isso que não da movimento e acaba fechando
 
Paulo Andrade em 04/09/2013 08:17:34
Infelizmente moramos numa cidade dormitório, onde a maioria não gosta de som alto!
Um tempo atrás li uma matéria onde um empresário disse " se quer ganhar dinheiro aqui em Campo Grande, monte uma farmácia ou venda colchões!" ele foi bastante criticado, mas é a pura verdade!!
 
Carol Villa em 04/09/2013 08:17:23
o miça agora é só sacanagem show da playboy bailes funks vê ai o exemplo do duk jatobá atalaia etc... começou baixar o nível pode saber logo logo a casa fecha as portas
 
milton lopes tijuca 2 em 04/09/2013 08:15:38
É só abrir um loja de colchão ou uma Farmácia nos locais que forem fechados que será sucesso na certa... Ehh Campo Grande MS....
 
Alexandre Mello em 04/09/2013 08:11:24
Tem que abrir escritórios de algum gênero, quer abrir bar vai pra Cuiabá, lá eles bebem todo dia...
 
Luiz Antonio em 04/09/2013 08:06:28
Me desculpem, mas o Real Botequim, veio com uma política péssima para Campo Grande, preços altos, um atendimento com pouca qualidade, enfim veio fardado para fechar. Pois, todos somente iam uma única vez e os comentários entre nós era esse.
Ai você pega o Bar da Bramha ao lado, chopp ótimo, um atendimento de alta qualidade, comidas típicas e saborosas, enfim... acho que consegui explicar um pouco né... Não basta abrir somente, tem que entender o cliente... abraços
 
Ernesto Gazal em 04/09/2013 08:02:04
Está na hora de admitirmos que nossa cidade, apesar do título de capital, está muito mais pra cidade de interior. Seja pelas decisões dos nossos governantes, seja pela postura do povo.
 
Leandro Batista em 04/09/2013 07:59:52
Na verdade o setor precisa que restruturação no país todo está tendo este movimento a vida noturna em Campo Grande está ficando caro e a qualidade de serviço não reflete o valor cobrado vide as ações do Procon e Vigilância Sanitária no Rio de Janeiro restaurante, bares ..com produtos vencidos e altos preços.
O grupo empresarial é sempre o mesmo a mesma família possui 2 ou 3 serviços de alimentação na cidade o que está dificultando até a aquisição de mão de obra especializada é necessário rever gestão e lucros e parar com esta incessante necessidade do Estado sustentar as atividades econômicas vamos trabalhar existem muitos exemplos de sucesso na cidade.
 
Juarez Souza em 04/09/2013 07:59:43
Há Empresários que não acompanha a evolução e qualidade do consumidor e cliente. Tudo para se fazer sucesso hoje, tem que pensar na classe média, a maior consumidora e pagadora em dia. Querem fazer coisas chique, explorando o quanto pode e em vez de ter 10 clientes, tem 3 por noite. Vendeu mais, ganhou mais.
 
luiz alves em 04/09/2013 07:52:11
Campo Grande está virando uma cidade de velhos!
 
Barbara Oliveira em 04/09/2013 07:49:53
Afonso Pena não...Campo Grande está em crise devido ao "Populismo Burro" que hoje manda no País!
Os poucos que trabalham sustentam os muitos que são incentivados a não trabalhar.
As leis trabalhistas só estão dando "direitos" a população e esquecem dos "deveres" para com a sociedade. Se nada mudar Campo Grande se transformará em cidade "fantasma".
 
Paulenir de Barros em 04/09/2013 07:44:36
Os frequentadores desse tipo de ambiente são como aves de arribação, mudam constantemente de lugar, daí, fica o vazio, e a falta de clientes gera fechamento, onde deveria entrar em cena o famoso plano B que a maioria dos empreendedores deveriam ter. Porque não transformam o local em estacionamentos?
 
Flavio Augusto de Magalhaes em 04/09/2013 07:40:17
Não é a Afonso Pena que está em crise. É o país inteiro com esse governo do PT mascarando a inflação. Numa situação como essa a primeira coisa que a pessoa para de fazer é ir a baladas!!! Pois a mesma é trocada por reuniões em casa de amigas, vaquinhas de bebidas, uma comidinha simples...pronto! E os bares, boates ficam as moscas! :/
 
Andrea Burque em 04/09/2013 07:26:20
Bom Dia!
Campo Grande, jamais será uma capital Multicultural e eclética,infelizmente quem perde é a população...,temos que curtir uma boa musica e uma vida noturna,pegando o primeiro voo ou outros tipos veículos,deslocando para outros cantos do país.
 
Weverson F. de Castro em 04/09/2013 07:02:48
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.