A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

02/09/2016 06:10

Assentamento que virou refúgio é programa em meio à natureza de Bodoquena

Paula Maciulevicius
Rio Salobra, maior atrativo do Refúgio. (Fotos: cedidas por clientes do Refúgio Canaã)Rio Salobra, maior atrativo do Refúgio. (Fotos: cedidas por clientes do Refúgio Canaã)

Com o verso de Belchior em meio ao verde. O que canta a placa, cantarola o dono pelo telefone. "Viver, é melhor que sonhar..." A canção eternizada na voz de Elis Regina, traduz exatamente o apreço de Cido e Odete ao cantinho que de só deles virou de todo mundo. A 280 quilômetros da Capital, em Bodoquena, o "Refúgio Canaã" abriu as portas há 15 anos atendendo a pedido de amigos.

Veja Mais
Begèt de Lucena e Mari Depieri são as vozes do Som da Concha de hoje
Festival de Artes começa com público fraco, mas tem vocação para ser resistência

"Comprei o espaço, era uma área rural e montei toda a estrutura", explica Aparecido Rojo Duarte, de 53 anos. "Lá na verdade era um assentamento rural, comprei para fazer de lazer particular, pessoal mesmo, depois senti que tinha potencial, as pessoas falavam e abrimos ao público", completa o dono, mais conhecido como "Cido". Quando ele diz o "lá", é porque a morada dele é em Miranda. 

O local era parte do assentamento Canaã, por isso leva o nome no refúgio. Em 22 hectares, ele propaga que oferece um lugar paradisíaco que proporciona a ele e aos demais, muito contato com a natureza.

Entrada do espaço, que antes era assentamento.Entrada do espaço, que antes era assentamento.
Parte do verde que enche os olhos dos visitantes. Parte do verde que enche os olhos dos visitantes.
Viver é melhor que sonhar, lema dos donos do espaço. (Foto: Julio Cezar)"Viver é melhor que sonhar", lema dos donos do espaço. (Foto: Julio Cezar)

Ele e a sócia, hoje ex-mulher, Odete, é quem administram o negócio e veem na proximidade com Bonito, a divisão da beleza pela metade dos custos. "A gente pensa em algo que não esteja nos preços exorbitantes de Bonito, que acabam sendo muito caro para o sul-mato-grossense. O que oferecemos é padrão e não deve nada a Bonito, mas por uma situação mais acessível", explica o dono.

A vegetação que brinda os visitantes é, segundo ele, remanescente da Mata Atlântica. Os morros impedem de se ver o sol se pondo, mas a cor do rio e a temperatura da água do rio, compensa. O maior atrativo está no balneário. "É um rio salobra, que tem uma vantagem sobre os demais da região, por ter muita pedra, o reflexo do sol nelas quebram o gelo d'água. Ou seja, fica uma água menos gelada", descreve Cido. A cor, também é um convite à parte. "Ela varia entre o azul turqueza e o verde esmeralda, uma outra peculiaridade nossa", completa.

As opções para os visitantes vão desde o "day use" ao camping e hospedagem. Os valores vão de R$ 25,00 para aproveitar o dia, para acampar, R$ 40 e apartamentos e suítes de R$ 180 até R$ 210,00. Em nenhuma das opções o almoço é pago. Em breve, o refúgio vai abrir também um restaurante, focado na comida regional. 

"Lá é um cenário fantástico. Olha o comentário das pessoas na nossa página, nossa proposta é criar um encantamento e é isso que está acontecendo. Sabe por que? Pela nossa receptividade, você não tem aquela obrigação, pode levar sua bebida ou comprar lá dentro. Nossa proposta é bm alternativa, não-mercantilista", ressalta Cido. 

Balneário do refúgio. Balneário do refúgio.
Todo verde disponível para se apreciar. Todo verde disponível para se apreciar.
Um dos espaços de alimentação. Um dos espaços de alimentação.
Araras são fáceis de serem contempladas. (Foto: Julio Cezar)Araras são fáceis de serem contempladas. (Foto: Julio Cezar)

De animais, é possível andar ao som das araras. E entre a região, há passeios que dá para pegar carona. "A própria cachoeira Boca da Onça, que não é um produto nosso, mas é próximo. O morro do Jericó, que pode ser visitado. A gruta do Urubu Rei, o mirante, tem tudo isso em Bodoquena", anuncia o dono. 

Durante as altas temperaturas, o Refúgio chega a receber 150 pessoas por final de semana. Sobre a placa e a música cantada no início da entrevista, ele brinca. "Viver é melhor que sonhar. Eu acho que essa frase tem muito a ver com o que a gente e o Belchior propõem. É um poeta vivendo a natureza do momento. Por isso, viver é melhor que sonhar", explica.

Para chegar lá é preciso reservar antes, pelos telefones: 9-9984-5948 e 9-9984-6549. O melhor caminho é partindo de Bodoquena, pegando a rodovia para Bonito, 5 quilômetros depois do trevo, segue as placas indicativas. São cinco de asfalto e 20 de estrada de terra.

Curta o Lado B no Facebook.  

Fachada que se chega, 25 km de Bodoquena. Fachada que se chega, 25 km de Bodoquena.
Estrutura que abriga a pousada. (Foto: Julio Cezar)Estrutura que abriga a pousada. (Foto: Julio Cezar)
Quartos e suítes. (Foto: Julio Cezar)Quartos e suítes. (Foto: Julio Cezar)
Um dos chalés disponíveis para alugar. (Foto: Julio Cezar)Um dos chalés disponíveis para alugar. (Foto: Julio Cezar)



imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.