A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

29/08/2012 15:20

Bienal de Teatro terá cinco dias de espetáculos nacionais

Ângela Kempfer
Domingos Montagner vem para o lançamento da programação, no dia 2 de setembro. (Foto: Divulgação)Domingos Montagner vem para o lançamento da programação, no dia 2 de setembro. (Foto: Divulgação)

Passados dois anos da primeira edição, a Bienal de Teatro de Mato Grosso do Sul volta maior, com espetáculos nacionais que mesclam linguagens.

Veja Mais
Begèt de Lucena e Mari Depieri são as vozes do Som da Concha de hoje
Festival de Artes começa com público fraco, mas tem vocação para ser resistência

A programação ainda não foi divulgada, só será lançada no domingo, com apresentação do grupo LaMínima, formado no Circo Escola Picadeiro de São Paulo. Já com Prêmio Shell na estante, a trupe tem como integrante mais conhecido o ator Domingos Montagner, protagonista da série “Brado Retumbante”.

Na Orla Morena, às 16h30, o teatro vai ocupar o calçadão com a peça Rádio Varieté. Domingos Montagner, Fernando Sampaio e Filipe Bregantim vão incorporar três artistas do teatro de variedades dispostos a instalar uma parafernália aparentemente obsoleta para fazer uma homenagem à rádio e ao palhaço brasileiro.

Será só o começo. Os organizadores prometem uma programação interessantíssima a partir do dia 12 de setembro, para convencer o público de Campo Grande a consumir teatro com gosto.

“Preparamos tudo pensando no público, não na categoria (atores). Sabemos que hoje em Campo Grande é muito difícil conseguir público e isso é uma prioridade”, explica o ator Victor Samudio, do grupo Mercado Cênico, responsável pela Bienal.

A reclamação é generalizada. Quem faz teatro em Campo Grande sabe que, no máximo, a estréia é de casa lotada, lembra o ator. “Até por isso vamos trazer peças com atores que são conhecidos, que têm alguma referência para despertar o interesse nas pessoas”.

Já para os atores, atrizes, diretores e produtores, as discussões começam dia 10, sobre 3 assuntos principais: arte contemporânea, redes sociais e colaborativismo. Vão tratar de linguagens recorrentes hoje na produção teatral, como o hibridismo, a mistura do teatro com a dança e o audiovisual, por exemplo.

“Não existe mais isso de colocar as coisas em caixinhas para delimitar que uma coisa é teatro, outra é dança, outra é música. Hoje, a arte se funde o tempo todo”, antecipa Vitor sobre o que deve pontuar os debates.

Para discutir a melhor forma de usar as mídias sociais e difundir arte, uma rede de colaboradores será formada para postar informações em tempo real e o evento terminará no dia 16 de setembro com uma transmissão ao vivo do último espetáculo da Bienal.

O Campo Grande News é parceiro no projeto e aqui no Lado B será possível conhecer a programação no próximo fim de semana.




imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.