A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

07/10/2013 06:38

Bilhares viram "balada" e opção bem mais em conta para o fim de semana

Anny Malagolini
Depois do baile,  bilhar também é a saidera para casal (Foto: Marcos Ermínio)Depois do baile, bilhar também é a "saidera" para casal (Foto: Marcos Ermínio)

Levar a bola preta até a caçapa não é a principal preocupação de quem frequenta os bilhares de Campo Grande, pelo menos não para a maioria. Esse tipo de divertimento virou opção para quem tem pouca “grana” no bolso.

Veja Mais
"Toma aqui uns 50 reais", Naiara Azevedo abre fim de semana eclético
Ludmilla é uma fofa e mostra o que o funk pode ensinar ao nosso sertanejo

Não é preciso nem saber as regras do jogo, o importante é a conversa. De olho na mudança de público, o bilhar agora oferece até porções e pratos que normalmente são oferecidos em barzinhos, além da música, até com duplas sertanejas ao vivo.

No “Rei do Bilhar”, na rua 13 de Maio, o proprietário sentiu a necessidade de animar o espaço e até convidou uma dupla sertaneja para os finais de semana. “Para incrementar o espaço e fazer uma balada mesmo coloquei a música, foi fundamental”, explica.

E claro, os clientes aprovam. Para a comerciante Joice de Almeida Carvalho, de 27 anos, o local já é ponto de encontro. O bom, diz ela, é que mesmo com som alto é possível até levar a filha, de 5 meses. “Não da pra sair com criança por aí, mas no bilhar não tem problema, não tem só bêbado”, justifica.

No Yumy bilhar, na rua Pedro Celestino, o que chama a atenção é diversidade de público. Há seis meses, o jogo no fim de semana virou rotina e com ele a competição (saudável) do casal de “namoridos” Leonilda Gomes Oliveira, de 54 anos e o funcionário público, Rubens Belchior, de 58. Os dois terminam a noite ali. "Passamos para jogar depois dos bailes", reforçam.

Jogar é o de menos para as amigas Miriam Alves e Tatiana Rabel, ambas de 35 anos. “Nem sabemos jogar, isso é só diversão”, contam. Apenas a bebida e a ficha da sinuca são os gastos da noite, uma grande vantagem, ponderam.

A idade é a maior diversidade da casa. Com apenas 15 anos, a estudante Natalle Araujo se úne as amigas Eloa Rocha, de 18, e Nicolle Araujo, de 17, para não ficar em casa. Segundo elas, no bilhar não rola paquera nem música do agrado, porém, elas descobriram ali uma forma de se divertiram juntas, sem se preocupar. "Meu pai joga sinuca, acho que comecei a gostar por causa dele", conta Nicolle. 

No Edcel’s, também na rua Pedro Celestino, quem frequenta, lembra logo da falta de dinheiro. Como aos sábados a noite é sagrada para o estudante Renan Oliveira Machado, de 20 anos, se a grana é curta para um show em uma  das casas noturna da cidade, o destino passa a ser o bilhar.

"Não recebi  o salário do estágio ainda, tive que encontrar uma opção barata", comenta. Enquanto na casa noturna ele teria que gastar ao menos R$ 60,00 de entrada, na sinuca, uma ficha custa R$ 1,50 e a hora sai em média por R$ 20,00 despesa sempre dividida entre os jogadores.

 

Nada de festa, as adolescentes encontraram no jogo motivo para diversão (Foto: Marcos Ermínio)Nada de festa, as adolescentes encontraram no jogo motivo para diversão (Foto: Marcos Ermínio)
Para atrair público, até dupla sertaneja o bilhar ganhou (Foto: Marcos Ermínio)Para atrair público, até dupla sertaneja o bilhar ganhou (Foto: Marcos Ermínio)



Fico sempre mais tranquilo em saber que minhas filhas estão em um ambiente confiável e seguro, sempre me informando do local que frequentam do que as mesmas estarem em locais propícios a confusões.
 
Carlos Roberto F. de Araujo em 08/10/2013 10:09:40
Pela atual legislação menores de idade são proibidos de permanecer ou jogar neste locais segundo o ECA:
"Art. 80. Os responsáveis por estabelecimentos que explorem comercialmente bilhar, sinuca ou congênere ..., cuidarão para que não seja permitida a entrada e a permanência de crianças e adolescentes no local, afixando aviso para orientação do público."
 
Luiz Antonio Cabrera em 07/10/2013 15:34:26
Algo que passei a gostar é jogar uma sinuca no fim de semana, curto muito ir no Edcel's.
 
Diego Souza em 07/10/2013 11:19:58
EU PARTICULARMENTE NÃO TENHO NADA CONTRA MENORES JOGAR SE FOR UM AMBIENTE FAMILIAR COMO BILHAR DA 13 JÁ LEVEI ATE MINHA FILHA DE 6 ANOS COMIGO NAO TEVE PROBLEMAS
 
odiel santos pereira em 07/10/2013 09:56:41
é como dizem se não tem "Tu" vai "Tu" mesmo...
 
Franciele Jung em 07/10/2013 08:25:48
Só um questionamento, vi na reportagem a presença de adolescentes nos bilhares, sei que a presença dos mesmos no bilhar é permitida desde que acompanhados de maiores responsáveis, assim como acontece nas boates e casas de show, mas jogar pode? Certa vez fui com minha sobrinha de 15 anos no Strike e o segurança foi taxativo ao proibir a mesma pois só maiores de idade poderiam jogar.
 
Luciano Yamauchi em 07/10/2013 08:24:55
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.