A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

10/04/2013 16:11

Campo-grandenses ficam divididos sobre shows na 75ª Expogrande

Nícholas Vasconcelos e Viviane Oliveira
Para Denis, enquanto a cidade não tiver um local para shows eles devem permanecer na Expogrande. (Foto: Vanderlei Aparecido)Para Denis, enquanto a cidade não tiver um local para shows eles devem permanecer na Expogrande. (Foto: Vanderlei Aparecido)

Os campo-grandenses estão divididos sobre a realização dos shows na 75ª Expogrande, que começa nesta quinta-feira (11). A exposição foi incluída entre as oito festas que são exceção à Lei do Silêncio, que foi modificada pela Câmara de Vereadores e sancionada pelo prefeito Alcides Bernal (PP).

Veja Mais
Bombeiros aguardam laudos para liberar o alvará para Expogrande
Bombeiros fazem vistoria amanhã para liberar alvará para Expogrande

A auxiliar de dentista Elizângela Silva, 30 anos, é contra a realização dos shows durante a festa agropecuária. Ela acha que a cidade precisa de um local para apresentações musicais. “Enquanto não arrumarem um lugar adequado para os shows, melhor não ter”, comentou.

Elizângela é moradora da Vila Almeida, ao lado da Praça do Papa, e se diz incomodada tanto com o barulho quanto com o trânsito na região quando há shows. “Quando teve o show da Paula Fernandes, eu não consegui nem chegar até lá”, revela.

O vendedor Hebert Lúcio Córdoba, 23 anos, diz que não concorda com a proibição dos shows previstos na Expogrande. “A Expogrande é o único lugar para se fazer show, com a exceção do Jockey Clube, a festa é uma tradição e as pessoas já estão acostumadas”, avalia o jovem que vai levar o filho para o show dos palhaços Patati e Patatá.

A opinião do rapaz é compartilhada por Dulcelina Graciele Acosta, 21 anos, que trabalha como vendedora. De acordo com a jovem, no ano passado quando a Expogrande não teve shows a cidade ficou parada e isso é ruim para a economia.

“É ruim para a economia, mas também para que quer se divertir”, avalia. No entanto, a vendedora reconhece que o barulho incomoda “Qualquer lugar que tiver shows vai incomodar”, disse.

Elizângela diz que a enquanto a cidade não tiver espaço de shows, é melhor que fiquem suspensos. (Foto: Vanderlei Aparecido)Elizângela diz que a enquanto a cidade não tiver espaço de shows, é melhor que fiquem suspensos. (Foto: Vanderlei Aparecido)

Quem já foi vizinho da feira, reconhece que há barulho e que é preciso se acostumar. “Parece que o show está dentro da sua casa”, fala o torneiro mecânico Denis Paes, 25 anos, que morou por dois anos na Vila Carvalho. Na opinião do rapaz, enquanto a cidade não contar com um espaço de shows eles devem continuar no parque de exposições Laucídio Coelho.

Denis acredita que as apresentações devem ter um prazo para encerramento. “Deveria ter um horário estipulado, dentro da Lei, para não atrapalhar”. Durante a cerimônia da assinatura da Lei Municipal Complementar 2012/2013, que regulou a Lei do Silêncio na Capital, ficou estabelecido entre a Prefeitura e a Acrissul (Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul) que os shows terminem à meia-noite durante a semana e, no máximo, 1h da madrugada aos fins de semana.

O MPE (Ministério Público Estadual) contesta em duas vias a realização dos shows durante a 75ª Expogrande. O procurador-geral de Justiça, Humberto Mattos Brittes, ingressou com uma ADIN (Ação Direta de Inconstitucionalidade) no TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) contra a Lei que permitiu os shows. Ele alega que a medida viola a Constituição Estadual e torna sem efeito a legislação ambiental nacional.

Além dele, os promotores do Alexandre Raslan e Eduardo Cândia tentam barrar os shows junto a Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais e Homogêneos de Campo Grande. Eles pedem a suspensão sob pena de multa de R$ 500 mil e a proibição de licença ambiental para os shows na Expogrande, Show da Virada da TV Morena, aniversário de Campo Grande, festa de Santo Antônio e na Expo MS Rural.




Parece coisa de gente que não tem o que fazer, é como ficar discutindo o sexo dos anjos, não leva a nada. Aposto que os opositores acabaram indo na Expo sob o pretexto de fiscalizar, mas com o desejo íntimo de assistir aos shows, rsrsrs, vai vendo. Só aqui na capital é que a gente vê essas coisas, pois no interior todos gostam das exposições, pois é uma forma de promover o bem comum, celebrar o aniversário da cidade e promover o turismo local. Como disse o Capitão NASCIMENTO "os senhores jamais serão, nunca serão", ou seja, "jamais conseguirão, nunca conseguirão proibir algo que faz parte da cultura da CIDADE MORENA". Não se esqueçam que um dia tentaram mudar o nome do Estado para ESTADO DO PANTANAL, conseguiram???
OS INCOMODADOS É QUE SE MUDEM!!!
 
Márcio Dutra em 11/04/2013 23:48:04
esse povo que esta contra e tudo veio, e não sabe das tradição da cidade direito, pois a expogrande virou tradição do estado, e se for pra mudar, não adianta, pois em todos os lugares vão reclamar, se querem silencio vão morar no interior, pois nas cidades do interior do estado, e tranquilo, tem silencio , e a vida que essas pessoas querem, agora não adianta reclamar e querer silencio numa capital, onde esta cada vez mais aumentando a papulação, sou a favor de show no parque laucidio coelho.
 
larissa návia benites em 11/04/2013 10:43:44
Em qualquer local que for realizado um show vai incomodar muita gente porque falta o bom senso para controlar a altura do som e o horário de terminar. O som alto demais, em qualquer horário, prejudica a saúde de muitas pessoas, pois desencadeia taquicardia, pressão alta e nevosismo extremo a ponto da pessoa se descontrolar e cometer atos de violência. Quem tem este problema sabe do que estou falando, mas quem não tem fica criticando. Ha´75 anos, quando começou a expogrande, as caixas de som não eram tão potentes. Ninguem quer acabar com a festa tradicional, apenas querem que se respeite a lei.
 
celia oliveira em 11/04/2013 09:52:13
Concordo plenamente com a Claudia Alves da Silva, quem comprou ou fez casa na região já sabia que o parque existia.
 
Jessica Barbosa em 11/04/2013 08:57:25
aaaeee bafafa besta esse....desde que me conheço por gente tem exposição e tem shows,me lembro bem em um show que teve bem no inicio da carreira de Zezé de Camargo e Luciano,já havia o Bairro Jockey Club e outros.Temos que abraçar os eventos em nossa cidade de braços abertos,expogrande já é da nossa cidade,bora torcer a favor e não contra!!!
 
Raissa Vieira em 11/04/2013 08:31:58
Se este prédio que estão construindo ao lado do parque fosse um prédio de classe "A" com certeza não haveria mais show e acabaria esta BARULHEIRA.
 
joao luiz baisj em 11/04/2013 08:26:47
Moro ha 27 anos no bairro Jockey Clube, e nunca tive problemas com a Expogrande.
Expogrande acontece 1 vez por ano, o que incomodava no meu bairro e bairros vizinhos era a boate TOZEN e a BARRACA da VETERINÀRIA. A boate Tozen era musica eletrônica todos os finais de semana, virava a noite, isso sim incomodava!
Moro ali e não me sinto incomodada com a Expogrande.
Se não é para ter barulho, tem que começar por nós mesmos! Tem mto vizinho que coloca som nas alturas, aqueles funk horrorosos, tem comércios no bairro que coloca som nas alturas e ninguém reclama!
 
Cristiane Lima em 11/04/2013 08:02:34
só é a favor quem não mora ao lado do parque de exposições...se fosse um dia seria tolerável, mas todos os dias... penso que já passou da hora de Campo Grande ter um local adequado para shows...
 
Ionara Berti em 11/04/2013 08:01:36
essa elizangela é um pouco autoritaria demais. quer impor sua vontade sobre a vontade de milhares de pessoas. se ela nao conseguiu ir no show da paula fernandes foi por preguiça, porque mais de cem mil pessoas conseguiram...
 
ubaldo cordoba em 11/04/2013 07:59:13
A CIDADE DE CAMPO GRANDE ESTA VIRANDO UM CIDADE DE VELHOS.... NÃO SE PODE MAIS NADA, NÃO SE PODE TER SHOWS MAIS NÃO SE PODE SOM ALTO, NÃO SE PODE NADA E UMA CIDADE AZILO ........
 
LUCIANO PEREIRA DA SILVA em 11/04/2013 07:27:53
show em campo grande é sinônimo de bagunça, os shows começam 23:00, mas como, esse horário não existe mais ônibus circulando na cidade, deveria começar mais cedo e terminar no máximo 22:00, ai sim seria mais organizado e atenderia a população.
 
marcia v da silva em 11/04/2013 07:17:06
Eu concordo que tenha shows no parque de exposição sim, falta bom senso...e faz parte da cultura do estado....
 
jose maria martins de brito em 10/04/2013 21:49:51
Quem disse que a população esta dividida não sabe o que esta falando, pois a população esta anciosa para poder voltar ao parque e poder patrticipar da festa que nos foi tirado no ano passado , enquanto na feirona , na praça do Papa, no Jockey ,todos tinham seus shows e na Expogrande foi barrada numa canetada a mando de alguem(Italiano).
 
Elizabeth Soares em 10/04/2013 21:31:08
Monta logo um convento na cidade!!!!!!
 
Jean Bueno em 10/04/2013 20:16:18
É impressionante como as pessoas não sabem o que querem. É um absurdo proibir os shows no parque de exposições. Só pra exemplificar: A 70 anos atras, quando o parque foi inaugurado, era um local distante do centro, e não iria incomodar ninguém. As pessoas, ao adquirirem seus terrenos e casas ao redor do parque, ja sabiam que iriam existir dias com barulho. Se proibirmos tudo, por causa do incomodo, teremos que mudar o aeroporto do local onde esta agora, pois seu entorno esta super povoado, e existe risco real de acidentes, a exemplo do que já aconteceu em São Paulo. Eu sou contra a realização de festas todo final de semana no parque, mas as festas tradicionais, que ja acontecem ha mais de 40 anos, pois moro no região ha mais de 40 anos, e a feira ja acontecia.
 
claudia Alves da Silva em 10/04/2013 19:45:41
CIDADE SEM SHOWS...É ISSO AI!!! BARRAR ATE O SHOW DA VIRADA AI NAO,ANIVERSARIO DE CAMPO GRANDE,AI NAO!!!
 
RAFAEL ALVES em 10/04/2013 17:08:38
Mas e aí, vai ou não ter ?!
Sinceramente acho uma sacanagem depois de ter contratado os cantores, ter ocupado um espaço na agenda deles (a qual é bastante apertada) e no fim das contas, cancelar o show.

Concordo que a cidade precisa de um local específico pra isso, foi-se o tempo em que os eventos ali no Laucídio Coelho, não perturbava os moradores vizinhos.
Deve-se levar como exemplo o Parque do Peão, local onde é realizado o Circuíto de Laço Comprido (CLC), onde também foi realizado mais uma vez no ano passado o rodeio 8 Segundos contendo show de alto nível e que não ouve problemas de perturbação sonora.

Está mais do que na hora da nossa capital receber uma "Arena" à altura dos eventos que recebemos. Isso ajuda na economia, no lazer e ainda dá uma "fama" para a cidade assim como outras
 
Luiz Torchetti Neto em 10/04/2013 16:59:53
SHow é Cultura, é tradição da nossa terra! TÔ esperando desde o começo do ano! Essa cidade precisa se assumir! Assumir o que é seu, o que é da gente! TÔ com fé que sai logo! Vamo que vamo!
 
Elder Braga em 10/04/2013 16:55:28
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.