A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

28/07/2014 09:45

Com capivaras, musical de bonecos se apresenta hoje, de graça, no Estrela do Sul

Paula Maciulevicius
O idealizador do espetáculo, Wilson Motta, que confecciona bonecos há mais de 30 anos. O idealizador do espetáculo, Wilson Motta, que confecciona bonecos há mais de 30 anos.

Jacarés, onças, capivaras, araras, garças, tuiuiús, peixes, tartarugas e cobras estão em cena no espetáculo "Pantanália". De hoje até quarta-feira serão três apresentações gratuitas em diferentes regiões da cidade, a começar pelo bairro Estrela do Sul, no Espaço Cultural Multiuso João Renato Pereira Guedes (Picolé), às 14h desta segunda-feira.

Veja Mais
Begèt de Lucena e Mari Depieri são as vozes do Som da Concha de hoje
Festival de Artes começa com público fraco, mas tem vocação para ser resistência

No palco, são mais de 50 bonecos que cantam, dançam, brincam e lutam pela sobrevivência. Um musical, sem texto, apenas com formas e movimentos que retratam a vida de aves, peixes e animais.

O idealizador do espetáculo, Wilson Motta, que confecciona bonecos há mais de 30 anos, explica que a proposta é mostrar o dia-a-dia dos moradores no Pantanal. “A peça começa com o nascer o sol e termina com o anoitecer, mostrando de forma lúdica o cotidiano das aves e animais. Quem não conhece o Pantanal vai ter uma ideia da diversidade do ambiente”, diz.

No palco, são mais de 50 bonecos que cantam, dançam, brincam e lutam pela sobrevivência. No palco, são mais de 50 bonecos que cantam, dançam, brincam e lutam pela sobrevivência.

O espetáculo faz uma homenagem a alguns artistas da música regional, o jacaré, por exemplo, dança "Vida Cigana" de Geraldo Espíndola, fazendo uma referência ao grupo Funk-se. A canção Solidão de João Fígar, serve de trilha para o balé dos peixes. Almir Sater aparece em cena tocando na beira dos corixos, animando os animais que se embalam ao som de sua viola. Tetê Espíndola canta Piraretã, com seu raro timbre de voz.

A montagem é do grupo de bonecos Tareco-Treco e nome do espetáculo foi inspirado no grupo de dança Pantanália, que fez sucesso em Campo Grande nos anos 80. No trabalho tudo é feito aos olhos do público, que podem observar como é feita a manipulação dos bonecos.

As apresentações seguem nesta terça e quarta, sempre às 14h, no Centro de Convivência Vovó Ziza, rua Joaquim Murtinho, 3117, no bairro Tiradentes e depois na Escola Municipal Wilson Taveira Rosalino, no setor 3 do bairro Aero Rancho. O espetáculo foi montado com recursos da Prefeitura Municipal de Campo Grande, aprovado no Edital FOMTEATRO/2013 - Fomento ao Teatro, projeto da FUNDAC - Fundação Municipal de Cultura.




imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.