A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

12/02/2014 20:58

Com samba irônico pra atual conjuntura, Bernal vira enredo de escola no Carnaval

Ângela Kempfer Elverson Cardozo
NO barracão da escola, trabalho de confecção das fantasia. (Foto: Diário Corumbaense)NO barracão da escola, trabalho de confecção das fantasia. (Foto: Diário Corumbaense)

O prefeito de Campo Grande anda meio queimado por aqui, "perseguido" pela Câmara, criticado até por aliados. Mas lá longe, na fronteira com a Bolívia, Alcides Bernal terá um refresco no Carnaval deste ano. Em Corumbá, será homenageado pela Imperatriz Corumbaense.

Veja Mais
Avião de Xuxa faz pouso de emergência após ser atingido por raio
Begèt de Lucena e Mari Depieri são as vozes do Som da Concha de hoje

No samba, há versos que ficam até engraçados na atual conjuntura, com tantas reclamações do prefeito sobre o tratamento na mídia. “É capa de revista, manchete de jornal...”, diz a música. Entre uma estrofe e outra, Bernal também aparece como o herói que enfrentou “o Bicho Papão”, deixando livre a interpretação sobre qual dentre tantos opositores é ou foi o tal mostro ameaçador.

O presidente da agremiação, Clemilson Medina, é um dos maiores defensores do enredo: "Alcides Bernal, das ondas do rádio à legislação, filho de Corumbá brilha na Cidade Morena, Pantanal e Região”. Para justificar o agrado diante da fase nada boa na administração de Campo Grande, ele diz que a "homenagem será à pessoa e não ao político. Queremos mostrar os feitos bons dele."

O prefeito é corumbaense, principal motivo para a lembrança, justifica Clemilson. "Minha escola sempre homenageou pessoas da cidade. Como ele é daqui, tem descendência paraguaia e a família toda tem uma história com Corumbá, resolvemos homenagear"

O presidente também garante que não há qualquer colaboração de Bernal para colocar o enredo na avenida, porque ele não teria dinheiro para isso. "Não está ajudando financeiramente porque não tem condições." Clemilson diz, inclusive, que, se recebesse qualquer quantia, recusaria para evitar polêmicas. "Eu mesmo abriria mão, justamente para não ter essa coisa do povo querer pegar no pé dele."

Há duas semanas, ocorreu uma reunião em Campo Grande e só então houve a definição do tema e a escola iniciou os trabalhos para confecção das fantasias.

Antes do encontro, o primeiro receio, diz Clemilson, era com a personalidade até então considerada conservadora do prefeito. "Eu sou presidente da escola e travesti. Havia comentários que ele poderia ter preconceito, mas ao contrário. É uma pessoa digna de valores".

Na ocasião, Bernal teria dito que não poderia ajudar e que deixaria a escola a vontade para fazer outro assunto, caso fosse necessário. "Ele disse que a Capital esta passando por uma situação 'abalante'". Mesmo assim, a Imperatriz não mudou de ideia e foi a última a apresentar o enredo à Liga das Escolas de Samba de Corumbá, segundo Clemilson "com a ajuda de amigos do prefeito e de pessoas que gostam dele".

Apesar de despertar atualmente ira entre colegas da politica e enfrentar até demissões dentro da equipe, entre os corumbaenses, Clemilson jura que a receptividade é das melhores. "Ninguém joga pedra em árvores secas. Só nas que dão fruto. Comentários e críticas fazem parte, mas se os críticos soubesse o tanto de gente que está nos procurando... Não temos mais alas para vender na Imperatriz. Isso significa que várias pessoas gostam dele".

Bernal, segundo o presidente, garantiu que vai participar do desfile. "Ele falou que não quer vir de carro alegórico, mas no chão, como um nato corumbaense."

A Imperatriz é uma escola do grupo de acesso e trabalha com verba de R$ 50 mil, valor disponibilzado pela prefeitura de Corumbá e pelo Estado. Terá 12 alas, 4 carros alegóricos e 600 componentes, para contar a história do prefeito da infância à vida adulta. Um carro lembrará ele no rádio, outro como advogado e depois como campo-grandense. "Desde a infância, quando soltava pandorga, aos estudos deles, conseguindo se formar", completa Clemilson.

A Comissão de Frente será de paraguaias, uma homenagem aos pais de Bernal. "A fantasia da bateria será ele como um homem do Legislativo. Não colocamos deputados nem vereador, nem prefeito, mas um homem legislativo"

Mesmo dizendo que tudo vai muito melhor que o esperado, Clemilson convoca até quem mora em Campo Grande para colaborar. "A escola vai vir bem colorida. Eu peço para Campo Grande que as pessoas que gostam dele, que liguem para gente, que venham buscar fantasias, fechar pacote e ajudar a escola, porque também vamos falar de Campo Grande".

Ouça o samba da Imperatriz de 2014 aqui.




Fale por você, nunca coloque que o "povo" como sua opinião particular, pois eu odeio essa pessoa, sua administração, seu jeito truculento, suas mentiras e tantos outros adjetivos negativos que esse ser acumula, me traz indignação essa homenagem, isso é falta de criatividade, já não gosto de samba, agora com isso, peguei nojo! E você José, vai se informar, pelo jeito o seu voto é baseado em histórinhas de conto de fadas, o Brasil hoje esta na m.... porque pessoas pensam igual a você, ai o coitadinho era de origem humilde, ele é o melhor, pois ele sabe de nossas necessidades... Faça o favor né! Ainda bem que isso ta mudando, devagar mais ta mudando!
 
Manuel Barbosa em 13/02/2014 14:20:06
Bom samba. Na verdade, o povo gosta do Bernal. Quem menos gosta do Bernal são os meios de comunicação. Mas isto deve ter alguma explicação Freudiana. Ele era empregado dos donos dos meios de comunicação (era radialista). De repente vira Prefeito da Capital do Estado. Homem importante, influente, a inveja atacou. .
 
José Carlos em 12/02/2014 22:35:17
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.