A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 18 de Janeiro de 2017

04/07/2015 19:18

Contra redução da maioridade penal, Mr. Catra fala que perdeu tesão pelo Brasil

Paula Maciulevicius
Catra chegou às 13h deste sábado em Campo Grande e almoçou churrasco. (Foto: Marcos Ermínio)Catra chegou às 13h deste sábado em Campo Grande e almoçou churrasco. (Foto: Marcos Ermínio)

De passagem por Campo Grande para o show de aniversário de um de ano da Atlética Direito da Uniderp, o funkeiro Mr. Catra falou mais sobre política do que o repertório para a apresentação deste sábado, numa casa de shows no bairro Parati, na Capital.

Veja Mais
Dono de hits de Carnaval, Léo Santana faz show amanhã em Campo Grande
Tiago Iorc faz show em abril e venda de ingresso começa amanhã

Aos 46 anos e com mais de duas décadas de carreira, Catra nunca se viu tão indignado com o cenário atual, ainda mais na semana em que foi aprovado pela Câmara a redução da maioridade penal. "Eu penso que para reduzir a maioridade penal tinha que reduzir primeiro os salários dos políticos, fazer eles devolveram tudo o que roubam da gente, para depois mexer com as nossas crianças. É um absurdo", disse.

Catra chegou às 13h deste sábado em Campo Grande e do aeroporto almoçou na churrascaria Nova Querência. No local, tirou foto com fãs e conversou com o Lado B enquanto servia o prato. "A solução é tirar as nossas crianças da rua, é dar educação. A falta de oportunidade é que faz um marginal. Mas quer mais margina do que no Congresso? Estão mexendo com o futuro do nosso País. Não tem nem cadeia para maior de idade, vão colocar crianças lá?" questiona.

Ao dizer que os valores estão invertidos, Catra diz que se sente traído e a vontade é de deixar o Brasil. "Eu não estou mais sentindo tesão de morar aqui. Minha vontade é de pegar meus filhos e ir embora". O país escolhido, ele responde que seria o Uruguai. 

A indignação no contexto político-social, segundo ele, sempre foi passada para suas letras. "Até quando comecei a falar muito de favela, nego falou que aquilo era política", comenta.  Quando questionado se a revolta de hoje é passada para os shows, ele afirma que não dá. "Eu venho trazer alegria, se falar de política acabou a alegria". 

Recentemente, Catra lançou um projeto inspirado no rock, chamado de “super power funk'n roll”, que mistura o estilo com o funk. O novo som não veio para o repertório e segundo o cantor, nem virá. "O meu trabalho de rock é um trabalho paralelo ao meu de funk. Ainda não é o momento de fazer esse samba do crioulo doido", responde rindo. 

O show de Catra é neste sábado, a partir das 23h, no Colizeu Shows e Eventos, na Rua Da Divisão, no Parati.

Funkeiro posou para fotos ao lado de fãs. (Foto: Marcos Ermínio)Funkeiro posou para fotos ao lado de fãs. (Foto: Marcos Ermínio)



imagem transparente
Busca

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2017 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.