A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 11 de Dezembro de 2016

04/07/2015 19:18

Contra redução da maioridade penal, Mr. Catra fala que perdeu tesão pelo Brasil

Paula Maciulevicius
Catra chegou às 13h deste sábado em Campo Grande e almoçou churrasco. (Foto: Marcos Ermínio)Catra chegou às 13h deste sábado em Campo Grande e almoçou churrasco. (Foto: Marcos Ermínio)

De passagem por Campo Grande para o show de aniversário de um de ano da Atlética Direito da Uniderp, o funkeiro Mr. Catra falou mais sobre política do que o repertório para a apresentação deste sábado, numa casa de shows no bairro Parati, na Capital.

Veja Mais
"Toma aqui uns 50 reais", Naiara Azevedo abre fim de semana eclético
Ludmilla é uma fofa e mostra o que o funk pode ensinar ao nosso sertanejo

Aos 46 anos e com mais de duas décadas de carreira, Catra nunca se viu tão indignado com o cenário atual, ainda mais na semana em que foi aprovado pela Câmara a redução da maioridade penal. "Eu penso que para reduzir a maioridade penal tinha que reduzir primeiro os salários dos políticos, fazer eles devolveram tudo o que roubam da gente, para depois mexer com as nossas crianças. É um absurdo", disse.

Catra chegou às 13h deste sábado em Campo Grande e do aeroporto almoçou na churrascaria Nova Querência. No local, tirou foto com fãs e conversou com o Lado B enquanto servia o prato. "A solução é tirar as nossas crianças da rua, é dar educação. A falta de oportunidade é que faz um marginal. Mas quer mais margina do que no Congresso? Estão mexendo com o futuro do nosso País. Não tem nem cadeia para maior de idade, vão colocar crianças lá?" questiona.

Ao dizer que os valores estão invertidos, Catra diz que se sente traído e a vontade é de deixar o Brasil. "Eu não estou mais sentindo tesão de morar aqui. Minha vontade é de pegar meus filhos e ir embora". O país escolhido, ele responde que seria o Uruguai. 

A indignação no contexto político-social, segundo ele, sempre foi passada para suas letras. "Até quando comecei a falar muito de favela, nego falou que aquilo era política", comenta.  Quando questionado se a revolta de hoje é passada para os shows, ele afirma que não dá. "Eu venho trazer alegria, se falar de política acabou a alegria". 

Recentemente, Catra lançou um projeto inspirado no rock, chamado de “super power funk'n roll”, que mistura o estilo com o funk. O novo som não veio para o repertório e segundo o cantor, nem virá. "O meu trabalho de rock é um trabalho paralelo ao meu de funk. Ainda não é o momento de fazer esse samba do crioulo doido", responde rindo. 

O show de Catra é neste sábado, a partir das 23h, no Colizeu Shows e Eventos, na Rua Da Divisão, no Parati.

Funkeiro posou para fotos ao lado de fãs. (Foto: Marcos Ermínio)Funkeiro posou para fotos ao lado de fãs. (Foto: Marcos Ermínio)



imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.