A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

04/01/2013 10:06

Depois de 37 anos, Igrejinha não vai desfilar no carnaval de Campo Grande

Anny Malagolini
Escola de samba segue interditada desde novembro.Escola de samba segue interditada desde novembro.

Apesar dos protestos de carnavalescos e simpatizantes contra a decisão do MPE (Ministério Público Estadual), a Igrejinha, uma das principais escolas de samba de Campo Grande, afirma que não vai desfilar no carnaval desde ano, depois de 37 anos na avenida.

Veja Mais
Manisfetação a favor da Igrejinha reúne escolas
Interditada, Igrejinha pode não desfilar no Carnaval de 2013

A informação foi confirmada pelo diretor da escola, Paulo Freire, que lamenta a decisão, mas afirma que agremiação não tem condições de adequar seu barracão às exigências do MPE.

“É fora da nossa realidade, então preferimos não desfilar”, disse. Segundo o diretor, é a primeira vez que a escola deixará de participar da folia.

Na avaliação dele, uma perda não só para os carnavalescos, mas para a cultura do povo campo-grandense.

O enredo deste ano seria “Embarque na estação Igrejinha, uma viagem pelos trilhos da nossa arte”. O objetivo era mencionar os principais artistas do Estado. A escola, que tem 1.100 componentes, coleciona mais de 20 títulos.

Presidente da escola, Paulo Freire. Presidente da escola, Paulo Freire.

Interdição – O barracão da Igrejinha foi interditado no dia 14 de novembro do ano passado, após ação judicial que pede adequação do espaço. O processo foi aberto logo depois do carnaval de 2012, após denúncia de moradores que reclamam do excesso de barulho e de baderna.

O Ministério Público pediu à entidade um projeto de impacto ambiental, com foco no isolamento acústico do barrão onde ocorrem os ensaios. Segundo cálculo da diretoria e assessoria jurídica da agremiação, o valor para atender às exigências chega a R$ 160 mil.

Protesto - Dez dias depois da interdição, integrantes da Igrejinha e de outras escolas de samba se reuniram no calçadão da rua Barão do Rio Branco, no centro da cidade, para pedir apoio da população.

Integrantes da “Deixa Falar” também participaram da ação. A escola foi notificada pela Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano) e corre o risco de interdição.




Quem tem que ir para uma ilha no meio do Oceano Atlântico são os baderneiros! As pessoas de bem têm o direito ao sossego independente de onde estão. O carnaval em Campo Grande é um lixo, físico e cultural; tem mais é que acabar mesmo. Parabéns ao MPE pela iniciativa.
 
Gustavo Ribeiro em 29/01/2013 10:41:54
esse pessoal que fica contra o carnaval e prejudica uma escola de samba devia morar em fazenda lá não tem barulho que pena nos outros estados como na bahia ninguem fala nada ja acabaram com a exposição agora com o carnaval
 
altamir vargas machado em 15/01/2013 18:06:10
o carnavalzinho tão mediocre que passa aqui no centro que serve pra roubo de carro...
O dinheiro para adequar o tal barraco é 5 vezes mais que gastam com fantasias.

Deviam era proibir essa baderna que junta bêbados, causa brigas violências, roubos e furtos.

Esse carnaval daqui é muito feio mesmo
 
Fabiano Pontes da Silva em 04/01/2013 17:47:02
Bom os que aqui defendem a tal escola volto a dizer, morei a minha vida toda no bairro Cabreúva, hoje não vivo mais lá porém aplaudo a atitude do MP, durante o tempo que esta instituição que em nada contribui pra sociedade esteve por lá só tivemos problemas, muito lixo na rua depois das suas reuniões, gente fazendo necessidades na porta das nossas casas, barulho em excesso até altas horas da noite, transito complicado com gente estacionando em cima de calcadas dentre outras coisas.
Agora fica minha pergunta de novo, por que a prefeitura não pega o dinheiro gasto com carnaval e não direciona para as contas do município que está precisando mais?
 
Oswaldo Ferreira em 04/01/2013 16:21:14
É pena mesmo,cada vez mais a cultura cai no esquecimento, e a alegria do povo da lugar ao apagado,ao escuro.Penso e logo lamento por esse fato!!
 
renata christóforo em 04/01/2013 15:53:48
Isso aí. Campo Grande só regride com essas atitudes. Já não tem o que fazer, e ainda acabam com o pouco que tem. Sou de Pernambuco, e duvido isso acontecer no carnaval lá. É mais fácil tirar o morador e colocá-lo em outro bairro, do que interditar algo. É o fim.
 
Willames Soares em 04/01/2013 15:44:33
Eu estou indignado com essa situação, acho um absurdo o que estão fazendo com escola de samba Igrejinha, por que o MPE não interdita Av. Afonso Pena onde ocorrem rachas, não interdita Boates, Bares etc, onde morrem seguranças com tiro, onde morrem seguranças espancados, onde morrem jovens com tiro na cabeça e por ai vai!! Neste país é tudo ao contrário quanto mais ladrão mais simpático, mais querido. No meu ponto de vista essa situação da igrejinha deveria ter uma atenção melhor. Pois respeito os direitos de quem não gosta. Mais e os que gostam de se divertir como é que ficam?????? sem cometários....
 
evaldo dos Santos Ribeiro em 04/01/2013 12:59:46
Infelizmente estão acabando com a alegria da nossa cidade, o MPE tem que entender que carnaval é uma festa nacional, é festa de rua e por causa de meia dúzias de pessoas que não gostam desta festa, prejudicam milhares.
Gosto de samba, desfilo em outra escola, mas é lamentável.
Nossa cidade já tem pouca diversão e estão acambando com este pouco.
 
Luiz Roberto da fonseca em 04/01/2013 12:59:28
Conheço a luta,a perseverança e determinação de quase todos os diretores de escolas de samba,são pessoas que abdicam de seu tempo com seus familiares em prol da cultura,arte e lazer da sociedade.Fico triste por essa noticia,pois o desfile das escolas é um marco do carnaval de Campo Grande.
 
Victor Barbosa em 04/01/2013 12:42:47
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.