A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

21/08/2012 11:57

É caro sair em Campo Grande? Baladeiros dão as alternativas

Anny Malagolini
Noite no Mercearia, um dos bares mais lotados da cidade. (Fotos: Minamar Júnior)Noite no Mercearia, um dos bares mais lotados da cidade. (Fotos: Minamar Júnior)

A cada fechamento de bar ou boate, a justificativa dos baladeiros é que a noite de Campo Grande é muito cara, por isso só vinga quem cobra menos. Será?

Veja Mais
Festival das Artes é novo espaço da cultura e começa com mais de 10 shows
Humberto Gessinger, Ludmilla e Whindersson Nunes chegam no fim de semana

Em uma dessas de sexta-feira, o Lado B percorreu baladas para saber a opinião de quem curte noitadas pela cidade e quais a alternativas criadas para não consumir todo o orçamento com diversão.

Começamos por um dos bares mais lotados, o Mercearia. Sentados em uma das mesas, os amigos Augusto Espinal, 34 anos, Ana Lucia Contini, 37, e Cristiane Danzer, 34, ensinam a fórmula para continuar na balada do início ao fim do mês. “Tem de sair só aos fins de semana”, dizem.

Mesmo assim, ninguém considera os preços algo distante de outras capitais por aí."O preço da vida noturna na cidade é normal”, garante Ana Lúcia.

O negócio é adequar o bolso ao lugar, lembra Augusto, que contabiliza cerca de R$ 150,00 por noite, quando a opção é o boteco. “Os pubs e boates têm valores mais altos e o dinheiro gasto em uma noite chega a triplicar em relação aos bares”, comenta.

O estudante Diego Moreira, 22 anos, estufa o peito para dizer que gasta praticamente todo o salário com as baladas. Os R$ 800,00 do trabalho com o pai duram 2 semanas, depois a despesa corre por conta do “paitrocínio”. “É que em Campo Grande, o mínimo que se gasta é R$ 50 por noite”.

Gabrieli Gonçalves tem a mesma idade, 22, mas prefere gastar com sapatos e roupas a sair durante a semana. “Eu gasto no máximo 20% do meu orçamento com balada. Quando saio, o limite é de 100 reais”.

Parece que a fama de consumistas das mulheres não se aplica à noite. Os homens são os que mais gastam, sem nenhum remorso, quando o assunto é balada.

Sara Maria diz que o esquema para curtir sem gastar muito é a colaboração entre amigos.Sara Maria diz que o esquema para curtir sem gastar muito é a colaboração entre amigos.

O advogado Henrique Cabral, 25 anos, diz que chegou a gastar R$ 1 mil em uma festa. A justificativa é que trabalha bastante, então sai pouco, mas quando encara um programa gasta em média R$ 200,00. “Gasto 90% por cento do orçamento com o balada e os 10% restantes são do garçom”, brinca.

O preço médio de entrada em uma casa noturna em Campo Grande gira é de R$ 20,00 a R$ 60,00. Os preços também variam de acordo com o gosto musical, já que as baladas eletrônicas são as mais caras. A cerveja custa em média R$ 6,00.

Antônio Neto, 23 anos, veio de Cassilândia, junto da amiga Marina Paro Elias, 21 anos, que saiu de Três Lagoas. Toda semana eles têm encontro marcado na balada campo-grandense.

A publicitária Marina acha caro sair em Campo Grande, a partir da comparação com Três Lagoas, principalmente para ir às casas sertanejas. “Aqui é muito caro para entrar nos lugares, mas o valor das bebidas é quase o mesmo. Eu gosto de sertanejo, e o valor cobrado é altíssimo.”

Antônio Neto se considera o “mão de vaca” da turma. “Meu limite é R$ 50,00. Moro sozinho, então preciso dar conta dos gastos, tenho outras prioridades”.

Para quem não tem a mordomia da mesada do pai, ou dá prioridade a outros gastos, uma estratégia atual são os “esquentas”. Uma vaquinha na casa de um amigo resolve o estoque de bebida para encarar a noite mais animado, sem gastar muito.

A fórmula tem dado certo para estudante Sara Maria, de 20 anos. Na sexta-feira, os R$ 20,00 na carteira eram suficientes para curtir a noite toda. “Se faltar, a gente continua na base da colaboração entre amigos”.

É claro que esta matéria não acaba aqui, vamos aos comentários.




Ficar esperando numa fila do lado de fora de uma boate ou boteco porque o atendente não é eficaz ou ser mal servido isso sim é que faz o lugar aqui fechar. Vejo que o potencial de CG para o lazer é muito maior do que é explorado hoje. A questão é onde encontrar gente qualificada para atender bem aos clientes.
 
Fernando Almeida da Rocha em 22/08/2012 10:42:39
Não acho CG uma cidade cara pra sair. Acho que falta respeito com os clientes. Moro aqui tem dois anos, gosto de sair, mas vou sempre aos mesmos lugares por questão de atendimento. Não ligo de pagar um pouco mais caro e ser bem atendido. Acredito que o que falta aqui não é dinheiro para se gastar e sim eficiência no atendimento ao cliente, seja num boteco, numa boate ou numa casa de shows.
 
Fernando Almeida da Rocha em 22/08/2012 10:40:12
quem acha que sair em campo grande é caro, basta ir para são paulo para saber o que é caro de verdade. e para poder gastar mais, basta fazer uma coisa que adultos fazem quando falta dinheiro: TRABALHAR. pedir dinheiro para os pais com 20 anos nas costas é vergonha demais.
 
marcelo higa em 22/08/2012 01:25:08
Concordo com o Adão,eu não sei como tem gente que paga 300 reais num johnnie RED numa balada aqui em CG é quase meio salario minimo e a grande maioria são pobres que até passa certas dificuldades em casa como eu ja vi,e acham que isso é status,
 
Alex da silva em 21/08/2012 12:39:07
As baladas de rock ninguém fala né? Rsrs. Não são tão caras, bebidas com preços justos e gente de todos os tipos. E as pessoas não costumam ir vestidas uniformizadas, olhando qual etiqueta custa mais cara. Uma ótima opção para se conhecer um dia.
 
Ana Gabriella em 21/08/2012 12:29:10
Campo Grande têm se notabilizado com uma cidade cuja custo de vida é elevado, ainda mais se comparamos com outras capitais. Então, vejo que o negócio é buscar refujo nos bons e velhos botecos do tipo "pé sujo" espalhados pela cidade. Adotando assim um espaço... Afinal, que importa é com quem e não onde está bebendo.
 
Carlos Alexandre Trubiliano em 21/08/2012 12:09:25
Balada em CG É caro e ruim.Mulheres chatas, cerveja cara. Aqui não tem um ambiente caro pra ter esse preço absurdo.
 
Adao Damasceno - Bonito MS em 21/08/2012 12:03:40
Não vou entrar no mérito se é caro ou não sair em CAmpo Grande, mas o que falta mesmo é respeito aos clientes consumidores.
É incrivel como somos tratados em shows, as bebidas são quentes qdo devem ser servidas geladas, nunca vc consegue consumir um produto com qualidade, principalmente quando falamos de cervejas. Todo show 'open bar' temos que consumir cervejas quentes. Basta!!
 
Luiz Eduardo Amaral em 21/08/2012 09:21:31
Concordo que há alguns locais caros em Campo Grande, mas não é preciso ir somente em botecos "pé sujo" para tomar uns 3 chopps e comer um lanche de primeiro mundo em um local agradável por menos de R$ 30,00. Há novas casas inauguradas a pouco tempo que adendem estes requisitos com qualidade e bom adendimento.
 
Arthur Nikuma em 21/08/2012 06:33:11
Concordo com a Ana Cláudia Duarte. Em São Paulo (capital) o estacionamento particular, vc vai gastar + ou - R$ 40,00. Vc tem a opção de deixar o carro na rua, se quiser. Mas quando voltar, não é garantia que seu veículo esteja no mesmo lugar.
 
Victor Henrique em 21/08/2012 05:42:42
Ê moçada.... vem prá São Paulo! Aí vocês verão o que realmente é balada cara!!! Saudade de gastar por aí, isso sim!
 
Ana Cláudia Duarte em 21/08/2012 05:26:12
Concordo com o João de Souza.
 
AMIR ORTEGA em 21/08/2012 04:38:06
Li alguns comentários e concordo....eu prefiro os butecos pé sujo...gasto no maximo R$ 40,00 com cerveja e espetinhos, sem falar naquela churrasqueira na calçada defumando todos q estão proximos,por causa da fumaça....rsrsrs.....isso sim,na minha opinião,é divertido,sem briga e sem gente querendo mostrar o que ñ é.
 
Eduardo Kotlevski em 21/08/2012 04:28:38
E quanto aos comentarios que é mais barato que sair no Rio ou em Sao Paulo, estão por fora. Além de ter um nível melhor(qto a animaçao, funcionarios que falam ingles e organizaçao) é muito mais barato sair no Rio, que nao e cobra tx de 10% na maioria dos lugares, a cerveja é mais barata...
 
rosa paim em 21/08/2012 03:45:35
CG tem lugares de sobra para se divertir, basta procurar um lugar que voce se identifique seja ele rock, bares sertenejos, eletronicos , gls etc.. A sim o diferencial de preço e ambiente onde muitas cidades por ai não possuem, saindo com os amigos e se divertindo com conciencia é a melhor opção, alías temos uma vida além da noite...Mas como disse a Tais Soares as amizades estão ai!
#ficaAdica
 
Wayne França em 21/08/2012 03:08:06
Já tive a oportunidade de ir para o outro lado do mundo e a realidade daqui é muito diferente. A noite de CG é morta e eu não pago pra entrar em lugar nenhum.Gosto dos botequinhos copo sujo, simplicidade e autenticidade. Fila? Jamais! Em Cuiabá a noite é bem mais interessante, já em Sampa não tem comparação,uma dica pra essa gente é sair desse esquema pobreza de espírito e dar valor ao que importa
 
João de Souza em 21/08/2012 02:53:47
Concordo com o Carlos Alexandre Trubiliano, a melhor coisa é um boteco "pé sujo", eu e meus amigos já temos o nosso.... rsrsrs
Lá a gente se diverte, bebe todas e dá muita risada!!!
O que realmente importa é com quem está e não onde está!!!
Amizade vale muito mais do que qualquer bar caro, roupa cara ou classe social!!!
 
Tais Soares em 21/08/2012 02:29:47
Pior são aquelas gentes que passam fome o mês inteiro só pra ser fitinha no camarote - que nem é open bar em CG, diga-se de passagem. Qual o sentido de pagar BEM mais caro só pra ficar em uma grade mais apertada que a pista? - e, no dia da festa, têm dinheiro pra comprar uma garrafa de água a noite inteira.
 
Maria Lúcia Penha em 21/08/2012 02:28:13
Quem acha que Campo Grande é uma cidade com balada cara é porque nunca saiu daqui. Uma ida em bar em São Paulo ou no Rio não sai por menos de R$150,00 isso economizando. ALmoço em torno de R$100,00. Aqui é muito barato. Dá pra sair todo dia. Os bares daqui combram o preço justo.
 
João Moreira Sampaio em 21/08/2012 02:03:24
Eu não saiu muito em CG, Mas vejo que as pessoas se preocupam muito com a aparência,acabam ficando sem dinheiro pr curtir, pois se preocupa muito no Vestir.
 
Gabi Oliveira em 21/08/2012 01:59:52
"A cada fechamento de bar ou boate, a justificativa dos baladeiros é que a noite de Campo Grande é muito cara, por isso só vinga quem cobra menos. Será?"

Eu já acho o contrário. Só vinga quem cobra caro.
Campo Grande é feita de gente que gosta de sifazer. Se for caro, ótimo. Se tiver fila então, a diversão é garantida.
 
Danilo Mandetta em 21/08/2012 01:47:31
Sair para a balada é caro..... Para a grande maioria o dinheiro encolheu e para o comerciante os custos estão nas alturas.... Não é aqui ou lá que é mais caro, são as coisas que mudaram...
Apesar disso sair em CG continua sendo mais barato que na maioria das capitais, principalmente o valor da entrada em casas noturnas, é abaixo de qualquer outro lugar....
 
Pedro Rosas em 21/08/2012 01:47:14
condordo com o srº Adao Damasceno - Bonito MS.
 
Edson Fontoura em 21/08/2012 01:35:18
Gostaria de ver essas mesmas pessoas, de 20 a 25 anos fazerem o que fazem aos 30 anos em diante,,, maturidade e experiência se adquiri com o passar dos anos, ainda mais com os próprios esforços que os alimentam o pão de cada dia,,, fica a dica,,,
 
Wilson Bellincanta em 21/08/2012 01:05:18
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.